Logo O POVO Mais
Opinião

Sandro Caron: União de forças reduz homicídios no Ceará

Edição Impressa
Tipo Notícia Por

O trabalho integrado das Forças de Segurança do Ceará foi responsável, no ano de 2021, pela redução de 18%, no território cearense, nos Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs), que são homicídios, feminicídios, latrocínios e lesões corporais seguidas de morte. Esse é o segundo melhor resultado dos últimos dez anos. Em 2021, foram registradas 3.299 mortes por crimes violentos.

Em comparação com o ano anterior, quando aconteceram 4.039 CVLIs, foram 740 casos a menos. Emprego de novas tecnologias, fortalecimento da inteligência, valorização do profissional da segurança, investimento em capacitações e operações integradas são algumas das estratégias empregadas para se chegar a essa diminuição. O uso de tecnologias foi fundamental para se chegar a esses bons resultados.

Em 2021, passamos a contar com o Sistema Agilis, ferramenta utilizada no combate ao crime integrada ao videomonitoramento, que atualmente tem mais de 3.300 câmeras; com o Status (Sistema Tecnológico para Acompanhamento de Unidades de Segurança), que identifica "manchas criminais"; e com o sistema de Registro de Operações Táticas e Ações de Segurança (Rotas), que aprimora o gerenciamento do uso de viaturas.

Essas ferramentas otimizaram a estrutura operacional que dispomos, permitindo um posicionamento eficaz do policiamento ostensivo realizado pela Polícia Militar do Ceará (PMCE) e um melhor direcionamento das investigações por parte da Polícia Civil do Estado do Ceará (PC-CE).

De janeiro a dezembro, a Coordenadoria Integrada de Planejamento Operacional (Copol/SSPDS) realizou um total de 204 operações policiais, número quatro vezes maior do que a quantidade de ofensivas registrada em 2020. Batizadas com os nomes de Apostos, Cerco Fechado, Domus, Sumé e Guarida, as operações integradas visam coibir crimes, além de aumentar a percepção de segurança dos cidadãos.

Vale destacar ainda as duas grandes operações realizadas pela PC-CE: a Guilhotina, que prendeu o primeiro escalão de uma organização criminosa do Rio de Janeiro, e a Anulare, que capturou o segundo escalão desse mesmo grupo. Registramos no ano passado um recorde histórico de apreensão de cocaína, com mais de uma tonelada dessa droga apreendida em apenas uma única ação.

Sabemos que a grande maioria dos homicídios tem relação com o tráfico de drogas. Combatendo o tráfico, reduzimos os homicídios e retiramos recursos do crime organizado. Portanto, os investimentos e as ações desenvolvidas culminaram na redução dos homicídios no Ceará.

Foto do Articulista

Sandro Caron

Articulista
Essa notícia foi relevante pra você?
Recomendada para você

"