Logo O POVO Mais
Opinião

Virgínia Assunção: Universidade Estadual: reconheça o valor, respeite

Edição Impressa
Tipo Notícia Por
Virginia Assunção, presidente da Sinduece (Foto: DIVULGAÇÃO)
Foto: DIVULGAÇÃO Virginia Assunção, presidente da Sinduece

O anúncio do concurso público para professores das universidades estaduais do Ceará (Uece, UVA e Urca), feito em fevereiro último, é conquista histórica dos movimentos docente e estudantil, que pleiteiam há décadas melhorias para suas instituições.

As universidades estaduais oferecem dezenas de graduações e pós-graduações em todo o Ceará, mesmo tendo desfalque de mais de 700 docentes. Isso porque, ao longo do tempo, o número de cursos aumentou e o de professores efetivos diminuiu. Desta forma, a maioria dos docentes trabalha mais de 40h por semana dando aulas, fazendo pesquisas e oferecendo à sociedade serviços gratuitos, desdobrando-se para compensar a carência.

O princípio de indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão, firmado na Constituição Federal, define o papel da universidade brasileira perante a sociedade e permite que esta tenha acesso, como fruto do trabalho acadêmico, a serviços de educação, saúde e outros. Isso só é possível com a chamada Dedicação Exclusiva (DE) do professor.

Contudo, as universidades estaduais cearenses estão sob ameaça, pois o concurso anunciado abrirá 693 vagas sem DE, ou seja, sem que o governo garanta condições para que novos docentes trabalhem, para além das aulas, em pesquisa e extensão. Esse fato nos causa estarrecimento e revolta.

A qualidade de uma universidade pública não pode ser reduzida a cálculos financeiros que comprometam a eficiência de sua estrutura e produção acadêmica. Uece, UVA e Urca são patrimônio do povo cearense e se consolidam como centros de formação de profissionais qualificados, de pesquisas de ponta - como a vacina contra a Covid-19 - e de projetos de extensão.

Por essa razão, nossa luta é por concurso com DE, pois sua exclusão acentua a precarização do trabalho, fragilizando as instituições de ensino superior. As universidades não são apenas passado e presente, são futuro também! E o futuro delas depende do concurso com DE.

É hora de reconhecer o valor das estaduais e respeitá-las. Camilo não permitiu diálogo com os docentes. Esperamos que a governadora Izolda Cela, também professora da UVA, dialogue.

 

Essa notícia foi relevante pra você?