Politica

Partidos pressionam deputado

PSDB e PDT
Edição Impressa
Tipo Notícia

PSDB e PDT entraram no Conselho de Ética da AL-CE contra o deputado André Fernandes na expectativa de uma penalidade. São três as possibilidades: censura verbal ou oral; suspensão; cassação do mandato. Fernandes disse não haver clima para a 3ª opção. Acrescentou que a iniciativa do PSDB — um partido de oposição — deve-se ao presidente da sigla, o ex-senador Luiz Pontes, não aos colegas de Parlamento, os tucanos Nelinho e Fernanda Pessoa, de quem teria recebido apoio.

Fernanda disse que solidarizou-se com Fernandes e com Nezinho. Para a tucana, a Casa sofre com o surgimento do caso. Como ela e Nelinho, que são membros do Conselho de Ética, não podem adiantar voto, a deputada limitou-se a afirmar que, pelo que sente, não há clima para cassação.

O PDT decidiu na última quarta-feira, 19, que representaria contra Fernandes. A peça assinada pelo deputado federal André Figueiredo (presidente estadual da sigla), aponta que o pesselista faltou com os "mais básicos deveres do seu cargo, diante dos fatos e razões".

Figueiredo menciona também o fato de o pesselista ter votado, na Comissão de Constituição e Justiça, pela admissibilidade da proposta de Nezinho para regulamentação dos e-sports.

Fernandes considera má-fé este argumento e ressalta que a CCJ vota constitucionalidade, não mérito. Questionado por O POVO, então, se não seria inconstitucional um projeto que viabilizaria crimes, ele respondeu que "obviamente nenhum projeto vai chegar (dizendo) 'olha aqui, vamos ajudar o crime organizado'."

 

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais