Logo O POVO Mais
Politica

MP acusa Wagner de divulgar informações falsas; deputado nega

| Operação Dispneia |
Edição Impressa
Tipo Notícia

O Ministério Público do Ceará (MPCE) se manifestou ontem sobre informações divulgadas nas redes sociais pelo deputado federal Capitão Wagner (Pros-CE) e pelo delegado de Polícia Civil Henrique Silva. De acordo com o órgão, eles estariam compartilhando notícias falsas e ofendendo o trabalho e os membros da Procuradoria dos Crimes contra a Administração Pública (Procap).

Segundo o MPCE, o caso veio à tona após a deflagração da Operação Dispneia, que investiga superfaturamento na compra de respiradores mecânicos pela Prefeitura de Fortaleza. "Mesmo tendo acesso a uma cópia do processo administrativo, o parlamentar e o delegado gravaram um outro vídeo, afirmando falsamente que o Ministério Público, em vez de apurar os fatos alegados, estaria investigando e perseguindo o noticiante", disse a publicação.

De acordo com o MPCE, em 11 de maio o órgão recebeu diretamente do parlamentar denúncias sobre suspeitas de irregularidades da Prefeitura de Fortaleza na contratação dos respiradores. Conforme o órgão, Wagner recebeu o número do processo eletrônico, para a acompanhar o andamento do caso.

O MPCE afirma que o promotor determinou realização de pesquisa sobre a empresa contratada e os sócios nos bancos de dados públicos e pediu à Secretaria Municipal da Saúde de Fortaleza que enviasse a documentação sobre dispensa de licitação, garantia e processos de pagamento.

Ao O POVO, o Capitão Wagner endossou que não havia sido notificado das ações feitas pelo MPCE, exceto pela nota divulgada ontem. "Como ele (procurador) disse lá na nota que eu estava ciente de todas as ações, eu queria que ele provasse, que mostrasse algum documento que foi encaminhado a mim, ou virtualmente, ou pessoalmente, porque até hoje eu não recebi qualquer documento tomando conta dessas ações do Ministério Público. E eu estou muito tranquilo em relação ao que eu falei", disse.

O deputado federal disse que não está mentindo e reiterou que não recebeu notificação. "Quando a nota diz que eu fui notificado das ações do Ministério Público Estadual, aí quem está mentindo não sou mais eu. Quem está mentindo na verdade é... com todo respeito, não vou dizer que o procurador é mentiroso porque ele apenas assinou a nota, mas não sou eu que estou mentindo não...", justificou-se.

Essa notícia foi relevante pra você?
Recomendada para você

"