Politica

"Eu sou contra o impeachment", diz Tasso Jereissati

CPI da Covid.
Edição Impressa
Tipo Notícia Por

Embora crítico do presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido) e de seus atos de desrespeito às normas de enfrentamento à pandemia, o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) disse que é contra o afastamento do chefe do Executivo.

Eu sou contra o impeachment, não sou favorável ao impeachment porque aí, sim, poderia causar outra crise”, declarou o tucano ao O POVO em entrevista exclusiva.

Segundo ele, Bolsonaro cometeu crime contra a saúde pública ao estimular aglomerações durante passagem pelo Ceará na última sexta-feira, 26. O senador defende que uma CPI apure a responsabilização do presidente no episódio.

O peessedebista também sinaliza que Bolsonaro pode ter cometido crime ao ameaçar governadores de sustar repasse de valores relativos ao auxílio emergencial caso insistam em adotar medidas de restrição para combater a Covid-19.

Questionado sobre eventual cenário caso a CPI conclua que o presidente praticou algum desvio de responsabilidade, o parlamentar cearense reitera que o impeachment “não resolve a curto prazo” e que “pode desequilibrar mais ainda o presidente e seus ministros”.

"(O afastamento) leva longo tempo, e nós não temos tempo a perder”<br>" Tasso Jereissati (PSDB)-CE, senador

Para o ex-governador, a função da CPI, se instalada no Senado, “é frear agora (Bolsonaro) usando os mecanismos que se tem, inclusive com consequências seja para quem forem os responsáveis por essa política de saúde ou não política de saúde”.

Entre a bancada cearense na Casa, a ideia ganhou apoio ontem do também senador Cid Gomes (PDT), para quem o “sistema brasileiro de saúde está à beira de um colapso e não podemos mais assistir a isso de forma pacífica”.

“Esse presidente da República inconsequente, irresponsável, despreparado”, concorda Cid, “precisa ter um alerta para que não cometa mais tais absurdos e fique repetidas vezes negando um mal que o mundo inteiro teme e reconhece”.

Também senador da República pelo Ceará, Eduardo Girão (Podemos) defende a CPI da Covid, desde que inclua estados e municípios.

“O nosso pedido, que foi apoiado por toda a bancada do Podemos, é que não apenas a União seja investigada, mas estados e municípios também, para que a verdade venha à tona na maior amplitude possível”, argumenta.

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais