Politica

MPF aguarda PGR responder se investigará Bolsonaro

Aglomeração. Tianguá
Edição Impressa
Tipo Notícia

Os procuradores da República do Ministério Público Federal (MPF) do Ceará ainda não receberam retorno do procurador-geral da República, Augusto Aras, sobre se a PGR irá ou não abrir investigação contra Jair Bolsonaro (sem partido).

Na passagem pelo Ceará, em 26 de fevereiro, o presidente estimulou aglomerações em volta de si, dispensou uso de máscaras, assim como os ministros que o acompanharam.

Comportamentos que deram a procuradores federais no Ceará o entendimento de que o mandatário cometeu crimes contra a saúde pública.

"Nosso papel é indicar o fato e mandar para ele (Augusto Aras). Quando tomar alguma medida lá, se abrir investigação, se arquivar, vamos ficar sabendo", respondeu ao O POVO, ontem, o procurador da República, Alessander Sales.

O prefeito de Tianguá, Luís Menezes (PSD), argumentou que a realidade adversa se deve não ao presidente, mas aos municípios vizinhos, que demandam a estrutura hospitalar da cidade.

O POVO noticiou a alta da taxa de ocupação de leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) após a passagem de Bolsonaro, 100% ocupada até o último dia 11. "Tá cheio de paciente aqui é porque Viçosa, os prefeitos nunca se preocuparam em montar bom hospital. Ibiapina, Camocim, São Benedito... Quem fez alguma coisa e se preparou para o Covid fui eu." (Carlos Holanda)

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais