Politica

Candidatura de Camilo ao Senado é vista como certa no PDT

Senado
Edição Impressa
Tipo Notícia
Governador Camilo Santana na inauguração da reforma da Biblioteca Estadual do Ceará  (Foto: JÚLIO CAESAR)
Foto: JÚLIO CAESAR Governador Camilo Santana na inauguração da reforma da Biblioteca Estadual do Ceará

Entre participantes de encontro do PDT no fim de semana, duas teses se destacaram, segundo fontes ouvidas pela reportagem. Uma é que o partido indicará o nome do candidato ou candidata ao Governo do Estado em 2022.

Outra é que a legenda apoia sem restrições a candidatura do governador Camilo Santana (PT) ao Senado, numa aliança com os trabalhistas, a despeito de correntes internas do PT postularem um nome da legenda para a sucessão.

Sobre a disputa pelo Governo, estão na pista quatro nomes de peso: um chefe de Legislativo (Evandro Leitão), um ex-prefeito bem avaliado e ex-chefe de Legislativo (Roberto Cláudio), um deputado federal e secretário (Mauro Filho) e a atual vice-governadora (Izolda Cela), que pode assumir a titularidade em 2022 caso Camilo decida concorrer ao Senado de fato.

Os quatro têm credenciais para postular o cargo, força política e predicados que os qualificam, reconhecem pedetistas.

Dentro do partido, a intenção é que o representante do PDT saia desse grupo, tal como a sigla fez nas disputas pela Prefeitura de Fortaleza, quando realizou prévias com cinco nomes - dos quais José Sarto acabou indicado e, posteriormente, eleito para o comando do Executivo.

Mas a reunião do fim de semana também frisou a importância de manter sob análise permanente o quadro nacional, trabalhando a pré-candidatura do ex-ministro Ciro Gomes à Presidência.

O entendimento é de que as eleições do ano que vem serão nacionalizadas mais do que costumam ser no Brasil, de maneira que as diretrizes locais e as de fora do estado vão estar ainda mais combinadas. (Henrique Araújo)

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais