Reportagem

Ceará quer ampliar estrutura para novos 500 leitos de UTI

Rede ampliada. Meta de governo
Edição Impressa
Tipo Notícia

O governador Camilo Santana (PT) anunciou ontem que o Estado chegou ao patamar de mais de 300 leitos de UTI exclusivamente para pacientes vítimas da doença causada pelo novo coronavírus.

O petista afirmou, porém, que a rede estadual tem estrutura para mais 556 leitos especiais e que esperar ampliar o número com a chegada de novos respiradores.

"Nossa meta inicial era criar 600 novos leitos de UTIs no estado para o enfrentamento da covid-19. Temos estrutura para novos 556", calculou.

Segundo o governador, apenas nos últimos cinco dias, "conseguimos abrir 50 leitos de UTI", parte deles no Interior, já que a infecção chegou a uma centena de municípios cearenses - a Capital segue concentrando mais de 90% dos casos confirmados e dos óbitos.

"No Hospital Regional do Cariri, tínhamos 50 leitos de UTI e criamos mais 35 para atender os pacientes mais graves", aponta o chefe do Executivo. "Sobral tinha 54 leitos, e nós criamos mais 36, chegando a 90. Em Quixeramobim também: eram 40 e criamos mais 20."

O incremento de leitos também foi reforçado pela aquisição de hospitais. O Leonardo da Vinci, em Fortaleza, dispunha de 230 leitos totais, mas só 30 de UTI. "Hoje chegamos a 60 UTIs, dobramos nas últimas semanas", estima Camilo.

Em todo o País, a maior dificuldade de gestores tem sido a compra de equipamentos para estruturar os leitos destinados aos pacientes de covid-19.

Na última segunda-feira, Camilo e os governadores do Nordeste se reuniram com o novo ministro da Saúde, Nelson Teich. "Foi uma reunião positiva", disse Camilo. "Mostramos necessidade de habilitação de leitos de UTIs. Até agora nenhum desses leitos foi habilitado pelo ministério." (Henrique Araújo)

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais