Logo O POVO Mais
Reportagem

Fortaleza tem aglomerações um dia após o anúncio de novas regras com isolamento mais rígido

Edição Impressa
Tipo Notícia Por
COMÉRCIO não essencial burla decreto e funciona com portas semi-abertas no  Centro (Foto: Fabio Lima)
Foto: Fabio Lima COMÉRCIO não essencial burla decreto e funciona com portas semi-abertas no Centro

Nem os números crescentes da Covid-19 nem as regras mais rígidas de isolamento social que passam a valer a partir de amanhã, 8, frearam os fortalezenses. Reportagem do O POVO observou um intenso movimento nas proximidades de agências bancárias, pelas principais avenidas da Capital e na área de comércio no Centro.

As aglomerações, que se tornam proibidas e passíveis de penalização, acontecem nas filas para acessar agências bancárias e em frente a lojas que funcionam de portas fechadas no Centro. Mesmo com a proibição para o comércio não essencial desde 19 de março, diversos estabelecimentos — das lojas de eletrônicos às de artefato religiosos — atendem os clientes que batem à porta. Outros locais funcionam no sistema de drive-thru e geram filas nas calçadas. Em uma delas está a esteticista Edilsa Reis, 34, que foi acompanhar a irmã na compra de um celular.

Para ela, as medidas postas pelos novos decretos "chegam atrasadas". "Está sendo decidido agora o que era para ter começado desde o início do ano, mas tem que fazer, né?", opina. "Está me deixando doida essa história de não poder sair de casa. Quem tem a vida muito corrida como eu tinha, é muito complicado. Dá logo uma depressão, uma ansiedade", completa.

Perto dali estava uma idosa de 78 anos que não quis se identificar, mas afirmou que precisou ir à rua Pedro Pereira para sacar a aposentadoria. Por volta das 11 horas, a fila para entrar na agência do Bradesco já virava duas esquinas.

Nas ruas centrais, carros, motos e ônibus se engarrafavam em um cenário que em quase nada difere do cotidiano antes da pandemia. O fluxo também era grande nas avenidas da Capital. Entre as 9 horas e o meio-dia, O POVO circulou por algumas delas, como Oliveira Paiva, Paulino Rocha, Silas Munguba e Senador Fernandes Távora. Em todas, cerca de 20 automóveis podiam ser contados diante de um semáforo fechado.

A Prefeitura de Fortaleza, por meio da Agência de Fiscalização de Fortaleza (Agefis), está identificando aglomerações e outros descumprimentos do isolamento social. Denúncias podem ser realizadas por meio da Central 156 e via Ciops, pelo 190. (Marcela Tosi)

 

Clique na imagem para abrir a galeria

Essa notícia foi relevante pra você?
Recomendada para você

"