Reportagem

Cenário anuncia uma segunda onda da pandemia, diz professora

Consequências
Edição Impressa
Tipo Notícia

Para a doutora em doenças infecciosas e professora da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Ceará (UFC), Terezinha Leitão, "uma segunda onda da doença é inevitável" diante do comportamento das pessoas nesses últimos dias na Capital.

Ela explica que as consequências dessas aglomerações poderão ser observadas somente nas próximas semanas em razão do período da incubação da doença, que é de cinco a sete dias. O crescimento, acrescenta, deve aparecer por meio do aumento dos indicadores da procura pelo atendimento em Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), postos de saúde e emergências dos hospitais públicos e privados.

"Daqui alguns dias veremos a repercussão desse exagero nas ruas. A segunda onda é muito provável, a questão é o quão intensa ela virá", avalia, lembrando que a Nova Zelândia reabriu a economia somente após zerar os casos do novo coronavírus.

A professora frisa que o isolamento é fundamental para impedir a circulação da Covid-19. "É muito preocupante o descaso das pessoas com sua própria saúde e com a dos outros. O Governo garantiu que irá suspender as medidas se os casos subirem, mas a população precisa entender que é necessário se isolar para o vírus desaparecer", pontua.
(Bruna Damasceno)

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais