Reportagem

"Todo mundo vai sofrer": o adeus à rainha da sofrência Marília Mendonça

Marília Mendonça, cantora, compositora e instrumentista goiana, morreu ontem, 5, após acidente de avião no interior de Minas Gerais, onde faria shows neste fim de semana
Edição Impressa
Tipo Notícia Por
Marília Mendonça, cantora sertaneja. (Foto: Reprodução redes sociias)
Foto: Reprodução redes sociias Marília Mendonça, cantora sertaneja.

Um dos maiores nomes da música brasileira contemporânea, Marília Mendonça cantou as diversas tramas do amor e da experiência do sentir por meio do sertanejo. Aos 26 anos, a cantora, compositora e instrumentista goiana morreu ontem, 5, após queda de avião em Piedade de Caratinga, município do interior de Minas Gerais. A artista tinha shows marcados para acontecer na noite de ontem, 5, em Caratinga, e hoje, 6, em Ouro Preto.

A aeronave de pequeno porte (Beechcraft King Air C90, da PEC Táxi Aéreo) bateu em um cabo de torre de alta tensão da rede de energia elétrica e caiu por volta das 15h30min, numa área de cachoeira, na serra de Piedade de Caratinga. Além de Marília Mendonça, outras quatro pessoas morreram no acidente: o piloto Geraldo Martins de Medeiros Júnior; o copiloto Tarciso Pessoa Viana; Henrique Ribeiro, produtor da cantora; e Abicieli Silveira Dias Filho, tio e assessor da goiana. Os corpos devem ser liberados para sepultamento ainda nesta manhã. O velório da cantora acontece no ginásio Goiânia Arena, em Goiás.

As informações foram confirmadas pelo Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais e pela Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig). O Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) apura hoje, 6, as causas da queda. Segundo registros da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), o avião bimotor de 1984, com capacidade para seis pessoas, estava em situação regular e com a inspeção em dia.

Após o acidente, a assessoria da cantora chegou a informar que Marília havia sido resgatada e estava bem. No fim da tarde, depois da confirmação da morte pelas autoridades, a assessoria lançou uma nota de pesar. O avião havia decolado de Goiânia, onde Marília morava, com destino a Caratinga.

Marília lançou na manhã de ontem, 5, o videoclipe da canção "Fã Clube", em parceria com a dupla de irmãs Maiara e Maraisa, também do ritmo sertanejo. Em seu Instagram, a artista brincou: "Para quem fala que Marília Mendonça não faz música sobre amores que dão certo, tá aí". A canção aborda um amor romântico: "Meu coração fez um fã clube, só pra você/ Ó meu amor, eu vim aqui só pra te ver". Segundo a própria cantora, não tinha como escutar sem pensar no seu próprio fã clube.

Horas antes do acidente, ainda pelo Instagram, Marília publicou registros audiovisuais do embarque no avião, com os dizeres: "fim de semana de shows em Minas Gerais". Quando os primeiros vídeos do acidente repercutiram na mídia, foram justamente os fãs da artista que associaram o modelo do avião ao que a artista estava.

Meteórica

"Toca uma música da Marília Mendonça, que hoje eu tô sofrendo!" — o bordão era entoado nos mais diversos bares, restaurantes e em festas de todo território brasileiro. Se o assunto era desafogar as amarguras ou mesmo dar a volta por cima, Marília foi intitulada especialista. Não à toa, ganhou o apelido de "rainha da sofrência". A artista transformava a dor e a alegria das relações em letra e melodia. Suas canções caminhavam por uma montanha-russa: amor, traição, superação, sofrimento, empoderamento feminino. Para citar: "Infiel", "Supera" e "Todo Mundo Vai Sofrer".

Marília se tornou símbolo do "Feminejo", abrindo caminhos para a nova geração do sertanejo em que mulheres são as protagonistas (na voz e nas histórias). Ao lado das amigas Maiara e Maraísa, principalmente, ela levantou discussões feministas com a complexidade dos sentimentos das mulheres. Não só chorava as dores de uma relação acabada, mas também poderia ficar feliz com seu fim. Numa cadência de quem fala abertamente sobre o que sente, sobre seus desejos e sua autonomia. Em 2022, Marília e Maiara e Maraísa fariam a turnê "Patroas", mesmo nome do álbum de estúdio lançado em 2020 com a dupla. Na temporada, contariam a história de amizade para incentivar o apoio entre mulheres.

Seja nas rádios ou nas plataformas digitais de áudio, a goiana tinha presença confirmada nos topos das paradas musicais. Em 2019 e 2020, inclusive, foi a artista mais ouvida do Brasil, segundo o ranking do serviço de streaming Spotify. Até 2019, ela lotou milhares de casas de shows pelo País. Em 2020, em meio à crise sanitária da pandemia da Covid-19, artistas de todo o mundo encontraram nas lives uma forma de atenuar um tanto do vazio que a humanidade estava sentindo.

Assim como seus colegas da música, Marília promoveu um show on-line para arrecadar fundos a instituições de caridade e vitimados pela pandemia. Sua live foi a de maior audiência na plataforma de vídeos YouTube, com mais de 3,31 milhões de visualizações simultâneas. Na ocasião, a artista tocou berrante e avisou: "Todo mundo vai sofrer", em referência ao próprio repertório. Após quase dois anos de isolamento social, sem a possibilidade de realizar shows presenciais, Marília começou a retomar as apresentações com público no fim de outubro. Ela estava no processo de divulgação do EP "Nosso Amor Envelheceu" (2021).

Marília nasceu em Cristianópolis, no interior de Goiás, no dia 22 de julho de 1995. A filha de Ruth Dias e Mário Mendonça teve o primeiro contato com a música ainda na infância, enquanto frequentava a igreja. Com o tempo, enveredou de vez na música e compôs para nomes como Wesley Safadão, Jorge & Mateus, Henrique & Juliano e Cristiano Araújo (1986-2015). A carreira meteórica como intérprete e dona das próprias canções começou há sete anos, quando lançou o EP "Marília Mendonça". Emendou um sucesso atrás do outro até ontem, 5. A artista deixa o filho de um ano de idade, Léo Dias Mendonça Huff, fruto de seu relacionamento com Murilo Huff.

(Colaborou Clara Menezes)

 

Repercussão

Marília Mendonça era querida pelos fãs e pela classe artística. Desde a confirmação de sua morte, famosos lamentaram o ocorrido por meio das redes sociais, principalmente músicos do sertanejo. Na internet, a atmosfera ficava entre o choque e a comoção. O nome da artista foi o mais citado no Twitter durante a noite de ontem, 5.

Em comunicado à imprensa, a gravadora da cantora manifestou: "A Som Livre lamenta imensamente a perda tão precoce de Marília. Que nossa rainha seja sempre lembrada pela alegria que tinha ao cantar as sofrências da vida com muita alma, verdade e amor". O acidente também repercutiu na mídia internacional, como o jornal The New York Times e a revista Billboard, dos Estados Unidos.

A cantora carioca Anitta homenageou uma de suas melhores amigas: "Ontem, eu falei pra você que eu te amo (...) Depois de, mais uma vez, você me exaltar e me colocar lá em cima sem medo, porque você sabe o quão foda você é. (...) Uma das mulheres mais gente boa, generosa, engraçada. Aquela amiga que topa tudo. Não tem inveja de ninguém. Eu te admiro tanto, meu Deus. Um exemplo de tudo de bom (...) Meu Deus, por que? Simplesmente não consigo. Este ano está realmente muito difícil para o nosso país. Que perda, senhor, que perda. Eu tô devastada.

A Workshop, escritório de Marília, comunicou que os shows dos artistas da produtora, previstos para este fim de semana, foram cancelados. As duplas Maiara e Maraisa; Henrique e Juliano; e Jads e Jadson estão entre os artistas com apresentações reagendadas. A dupla Israel e Rodolffo também não fará show nos próximos dias. No Instagram, Rodolffo disse: "Juro que não dá pra acreditar... Que notícia triste. Meu Deus! Descanse em paz cumade Marília". A cantora Naiara Azevedo, também da geração de mulheres no sertanejo, questionou: "O que vamos fazer sem você?".

A dupla Edson e Hudson publicou: "Não conseguimos acreditar, amiga. Você sempre tão cheia de luz e emanando energia boa e alegria por onde passava. Estamos orando por você, pela sua família linda e pela equipe que se foi junto a você, pelos familiares deles e tentando entender tudo isso. Muito triste te perder e perder pessoas tão especiais". O cantor Mariano, da dupla Munhoz e Mariano, também lamentou: "Impossível acreditar. Estivemos juntos esses dias e a sua felicidade estava mais radiante do que nunca (...) O Brasil chora". O cantor cearense Wesley Safadão expressou seus sentimentos: "Sua estrela brilhará para sempre, descanse em paz Marília Mendonça. Meus sentimentos aos familiares e amigos de todos que estavam no avião".

O cantor e compositor Caetano Veloso escreveu: "Um amigo querido comentou: 'Em 'Sem samba não dá' você cita Marília Mendonça duas vezes!'. Sorri. O arrebatamento diante das Patroas (em que Mendonça canta com Maiara e Maraísa) e do trecho de show em que Léo Santana se apresenta ao lado dela e da banda Didá… era tão grande que não só me pareceu justo que ela surgisse duas vezes na canção como que, em uma delas, seu nome viesse como Mar(av)ília Mendonça. Senti alívio quando li, cerca de uma hora atrás, notícia de que ela passava bem, apesar de estar num avião que caíra. Agora fiquei sabendo que, na verdade, ela morreu no acidente. Estou chorando. Acho que nem posso acreditar".

"Estou aqui arrasada com a morte de Marília Mendonça, uma menina genial, brilhante no seu segmento como compositora. Uma pessoa jovem, carinhosa, maravilhosa, que deixa um filho pequeno. É uma perda irreparável. Meus sentimentos à família. Muito triste, tudo muito triste", disse a cantora Gal Costa. No Twitter, o cantor César Menotti afirmou estar "sem chão". Amigo de Marília, o sertanejo compartilhou um tweet feito pela goiana no dia 29 de outubro, dizendo que estava com saudades dele, e desabafou: "Não deu tempo de matar essa saudade minha irmã. Te amarei para sempre". Famosos como Tatá Werneck, Juliette, Márcio Victor (Psirico), Kevinho, Fábio Porchat e Daniela Mercury também lamentaram a perda. Entre políticos, também prestaram condolências Camilo Santana, governador do Ceará; Marina Silva, ex-ministra do Meio Ambiente; e o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro.

(Colaborou Lara Montezuma/Especial para O POVO)

 

DVD em Fortaleza

Com show gratuito, Marília Mendonça lotou a Praça Verde do Centro Cultural Dragão do Mar (CDMAC), em Fortaleza, no dia 17 de outubro de 2018. Antes do evento, a cantora saiu às ruas da Praça do Ferreira, no Centro da Capital cearense, disfarçada, para panfletar sobre o show surpresa que aconteceria naquele mesmo dia, às 19 horas. À época, o caderno Vida&Arte, do O POVO, acompanhou a iniciativa, que fez parte da turnê "Todos os Cantos". A apresentação, ambientada num dos cartões-postais da Cidade, rendeu o videoclipe da canção "Sem Sal". A gravação compôs o DVD da artista, mas também está disponível no YouTube.

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais