Logo O POVO Mais
Reportagem

O que muda no Ensino Médio a partir deste ano

Edição Impressa
Tipo Notícia

Maior carga horária

O número mínimo de horas-aula anuais passa de 800 para 1.000. As redes de ensino têm liberdade para definir como será realizada: diariamente ou em alguns dias; no mesmo turno ou em contraturno. Algumas escolas já trabalham com essa carga.

Formação básica geral

Seguindo a Base Nacional Comum Curricular, os conteúdos não serão divididos em disciplinas, mas em áreas do conhecimento (Linguagens, Matemática, Ciências Humanas e Ciências da Natureza). Esse conteúdo deve corresponder a 60% do currículo

Projeto de vida

Componente curricular já adotado por alguns colégios sob diversos nomes, deve trabalhar as competências socioemocionais dos estudantes

Flexibilização

Os outros 40% da carga horária devem ser voltados aos itinerários formativos. As redes têm autonomia para definir os itinerários oferecidos. O estudante deve escolher qual ou quais caminhos seguir

Formação profissional

Conforme suas possibilidades, as redes poderão ofertar itinerários de formação técnica e profissional. Assim, mesmo estudantes matriculados no Ensino Médio regular poderão escolher compor parte ou toda a sua carga horária de itinerários com cursos técnicos

Novo Enem a partir de 2024

Ao que se sabe até o momento, a prova deve ter duas etapas: uma de conhecimentos gerais e outra específica, dividida em quatro áreas profissionais. O Conselho Nacional de Educação avalia ainda a possibilidade de o exame contar com questões objetivas e questões discursivas

 

Essa notícia foi relevante pra você?
Recomendada para você

"