Vida & Arte

Valor do edital de 2019 aumentou antes do anúncio

Edição Impressa
Tipo Notícia

Até a última quarta, 9, o valor do edital de 2019 divulgado pela pasta era de R$ 7,1 milhões - somente R$ 100 mil a mais do que os recursos exclusivos da secretaria ofertados em 2016. Quando O POVO entrevistou a coordenadora da Economia da Cultura da Secult no início da tarde da quinta, 10, o valor havia aumentado. "Até ontem (9), a gente tinha a confirmação de que os recursos estavam mantidos no mesmo patamar do edital anterior, mas hoje (10) pela manhã o secretário sinalizou e confirmou um aumento. Na verdade, o edital que a gente estava anunciando como de R$ 7,1 milhões vai para R$ 8,1 milhões, com mais R$ 100 mil destinados ao pagamento dos pareceristas. O recurso total do edital é R$ 8,2 milhões", informou Laízi Fracalossi.

Para a coordenadora, o aumento inesperado demonstra o interesse do governo na Cultura e no audiovisual. Na abertura do Cine Ceará, no último dia 30 de agosto, o governador Camilo Santana afirmou publicamente que os recursos para o audiovisual serão dobrados em seu novo mandato. Apesar da fala pública, a promessa não foi oficializada. Conforme Laízi, a secretaria "não tem nenhuma dúvida que o governador vai cumprir o que disse". "Só que ele projetou até o final do mandato. Quando ele fala isso, é uma coisa para além do edital", contrapõe. "O fato de ter aumentado já é uma sinalização. A própria Secult não estava esperando", avança.

Apesar da "sinalização", a classe espera formalização das promessas. "O que precisa mudar é o redimensionamento entre o que se promete e o que se cumpre. Nós, produtores, ficamos num processo de ficar redimensionando um projeto. Como executo um orçamento que em 2016 cabia e agora não cabe mais? A gente precisa entender em que termos eles estão fazendo o orçamento para o edital. Vão conseguir cumprir?", questiona a produtora Ticiana Augusto Lima. "(O novo edital) é positivo para não ficarmos na escassez total, mas ainda é preocupante. O ideal é que se conseguisse ter pelo menos um por ano. É importante que o Estado priorize o edital e sua execução, (para que) ele consiga acontecer mais rápido para que no próximo ano tenha outra edição", defende a produtora Caroline Louise. "Cabe agora ao setor ficar junto e cobrar para que isso aconteça de verdade, porque realmente há um crescimento dos últimos anos para cá do audiovisual cearense e a gente não pode deixar que isso morra. A gente tem muita esperança que realmente (o governador) formalize todas essas promessas", aguarda. (João Gabriel Tréz) 

 

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais