Logo O POVO Mais
Vida & Arte

Desafio convida mulheres a compartilharem fotos da quarentena

|FOTOGRAFIA|Convite do Sol, do Coletivo Sol Para Mulheres, propõe "desafios" fotográficos no Instagram para estimular produção e compartilhamento de registros
Edição Impressa
Tipo Notícia Por
Registro da fotógrafa Sabrina Moura do desafio 4 do Convite do Sol, "Reviva uma memória afetiva a partir da fotografia" (Foto: Sabrina Moura / divulgação)
Foto: Sabrina Moura / divulgação Registro da fotógrafa Sabrina Moura do desafio 4 do Convite do Sol, "Reviva uma memória afetiva a partir da fotografia"

"Fotografe o silêncio". "Faça algo pequeno parecer grande". "Faça uma foto que grite". Indicações diversas dão o tom dos "desafios" que o grupo Sol Para Mulheres, formado por fotógrafas cearenses, vem propondo no Instagram na iniciativa Convite do Sol. A ideia é estimular o espírito criador e o compartilhamento das produções mesmo em meio ao momento de isolamento social. A participação é aberta e livre para quem se sentir inspirado pelo movimento e vale utilizar qualquer dispositivo disponível, sejam câmeras profissionais ou celulares. Para o futuro, existe a intenção de transformar os registros dos desafios em uma publicação.

O Sol para Mulheres é um programa da Imagem Brasil Galeria que procura refletir e divulgar trabalho de produtoras de imagem no Ceará a partir de estudos teóricos e práticos do tema. "Estávamos com um cronograma de atividades super ativo, com encontros presenciais marcados para estudos teóricos, experimentais e diálogos sobre nossas produções artísticas", contextualiza Sabrina Moura, membro do grupo e principal responsável pelo movimento. "A ideia surgiu em nossas conversas pelo WhatsApp como uma tentativa de, mesmo isoladas, continuarmos entrelaçadas pela arte como modo de luzir a vida em tempo de 'escuridão'", explica.

Segundo Sabrina, só na primeira semana de desafios a página do Instagram do Sol Para Mulheres ultrapassou 2 mil visitas. "A ideia é que se passe 40 dias com essa movimentação, publicações de desafios, para cumprirmos 40 dias de fotografia", avança Patrícia Veloso, coordenadora do grupo Sol Para Mulheres. "O que levou a isso foi exatamente estabelecer um processo de interação, criar um movimento para que a criatividade não escapasse e que as mulheres do grupo se motivassem e expressassem emoções pela fotografia nessa situação estranha a todos, mas necessária", afirma a coordenadora.

Como o contexto pede isolamento social, o movimento dos desafios acaba propondo uma reeducação do olhar para elementos e figuras da intimidade. "É um desafio que elas colocam a si próprias e às próprias imaginação e a criatividade", afirma Patrícia. Integrante do grupo Sol de Mulheres, a fotógrafa Delfina Rocha resume o movimento como "um bálsamo". "Estou sendo instigada a continuar criando artisticamente. No meio da rotina de lavar pratos, arrumar casa, cozinhar, higienizar tudo que vem de fora e ficar isolada, um olhar para o nosso interior ficou cada vez mais urgente", aponta.

Entre a principal inspiração de criação para a fotógrafa Marcella Elias, também membro do coletivo, está a intimidade do convívio familiar. "Sou mãe solo e filha de mãe solo e moramos juntos eu, minha mãe e meu filho. A quarentena não deixará ninguém indiferente, ou pelo menos a maioria das pessoas, e é como se todos estivessem precisando desacelerar. Aproveito-me do momento para olhar mais pra eles. Pego-me em situações cotidianas, simples, mas cheias de amor", divide. Sabrina conta que as possibilidades de construção imagética vêm se abrindo.

"Nas imagens produzidas para os desafios, busco expressar os sentimentos aflorados por toda essa situação vivida pela dimensão estética e a inventividade. A cada tema proposto, tento usar a fotografia como dispositivo de enfrentamento, resistência e afeto. No desafio 4 (reviva uma memória afetiva a partir da fotografia), por exemplo, usei ela para matar a saudade da minha irmã e reviver uma memória afetiva da vida escolar: retratei a gente jogando vôlei através de uma vídeo chamada. A tecnologia se coloca como dispositivo de projetar as imagens, comunicar a arte e a vida, em translação", reflete.

Os desafios acabam sendo, também, uma forma de aproximação e trocas em meio ao isolamento por conta do caráter aberto da iniciativa. "O compartilhamento é interessante pois aproxima as pessoas, tanto no contexto de fotógrafa para fotógrafa, como com o público. A interatividade é muito bacana, pois além de dividir o seu olhar e ter um feedback, você vê muitas outras perspectivas daquele mesmo tema. Acredito que todas saímos ganhando", avalia Marcella. "Essas trocas funcionam como troca energética, como sustento vital. Como luz, sol para mulheres", define Sabrina.

 

Convite do Sol

Acompanhe os desafios e as produções no perfil @solparamulheres

Para participar, basta observar qual o desafio atual e postar a imagem marcando o perfil @solparamulheres e a hashtag #convitedosol

Essa notícia foi relevante pra você?
Recomendada para você

"