Vida & Arte

O clássico também se adapta

| Perfil | Pianista mineiro Franz Ventura conquista o público no YouTube ao apresentar, de forma irreverente e com linguagem jovial, biografias de grandes compositores da música erudita
Edição Impressa
Tipo Notícia Por
Franz Ventura tem 178 mil inscritos em sua conta no YouTube (Foto: Divulgação)
Foto: Divulgação Franz Ventura tem 178 mil inscritos em sua conta no YouTube

Quantos músicos foram influenciados por Beethoven durante os dois séculos que sucederam sua morte? Quais destes teriam deixado de seguir uma carreira artística se o compositor não tivesse existido? O número é incalculável, mas é fato que esse personagem mantém, até os dias atuais, um espaço de relevância para vários artistas. O pianista mineiro Franz Ventura é um dos que colocaram o alemão como um dos mais importantes de sua lista.

Essa admiração não foi construída com o tempo. Franz apaixonou-se por Beethoven instantaneamente, quando ainda não tinha conhecimento técnico e era apenas um adolescente que teimava em integrar a banda de rock do irmão. Sem nenhuma experiência, aventurou-se no baixo elétrico e na bateria, porém os instrumentos não o atraíram. Decidiu que precisava de um teclado. Mas havia um problema: sua mãe não iria comprar se ele não tocasse regularmente. Foi neste momento que ela colocou o filho em uma aula experimental de piano no conservatório de Belo Horizonte. E o menino enfrentaria essa primeira experiência com o único objetivo de receber o presente prometido.

"Fui apresentado a uma professora, e ela tocou 'Sonata ao Luar'. Eu não consegui acreditar naquele som. Senti que tinha que aprender aquilo, não precisava de mais nada na vida", lembra Franz. Não teve a permissão da instrutora - ele tinha que adquirir prática para interpretar a obra. Determinado, roubou a partitura para fazer uma cópia e levar consigo. Quando chegou em casa, percebeu que não sabia ler o que estava no papel. "Traduzi tudo e escrevi bolinha por bolinha. Faltei até algumas aulas durante duas semanas. Quando voltei para o conservatório, apresentei a música completa", diz.

Com esse feito, Franz entrou oficialmente no universo da música com 13 anos e não saiu desde então. Concluiu os estudos no Conservatório Estadual Padre José Maria Xavier em São João Del Rei (MG) e chegou a ingressar na faculdade de música, mas desistiu logo em seguida, porque tinha a necessidade de criar. "Eu preferi seguir a carreira de palco. Mas, de uns anos para cá, tem diminuído o espaço para pianistas. É um grupo muito seleto, fechado. Eu precisava enfrentar a academia, e tinha acabado de sair de lá. Isso fecha portas", explica o artista.

Ao entrar na área da composição, lançou alguns discos, como "Obras para piano", em 2013, e "Obras para piano vol.2", em 2016. Com a solidificação da carreira, sentia a vontade de ir para onde o público estava: na Internet. "Sabia que era para as redes sociais que eu tinha que ir. Então, criei um canal no YouTube e, aos poucos, comecei a falar de música. Queria fazer um formato acessível e brincalhão, para desconstruir a visão elitista do gênero", comenta. Foi assim que surgiu o canal que leva seu nome. Aos 28 anos, ele tem um público ainda mais jovem, na faixa etária de 13 a 24 anos. São pessoas, em sua grande maioria, leigas no assunto. "É um público que criou interesse por esse assunto tão específico", explica. Atualmente, o canal Franz Ventura conta com 178 mil seguidores.

Com vários quadros, um dos destaques do canal é o "Tudo Sobre". A partir de conteúdos curtos e descontraídos, Franz introduz a biografia de grandes compositores. Entre Chopin, Tchaikovski, Vivaldi, Heitor Villas-Lobos, Chiquinha Gonzaga e Mozart, reconta as histórias de vida de tantos personagens com base em pesquisas próprias, recheadas de bom-humor. Sobre Beethoven, por exemplo, ele conta: "ele teve suas primeiras aulas de música com o pai dele, que viu que o menino tinha o 'mó' dom pra música e quis transformar o 'guri' em um menino prodígio. Então obrigava o Beethoven, com cinco anos, a estudar horas a fio, de domingo a domingo". Sobre Antonio Vivaldi, autor de "As Quatro Estações", Franz relembra, de forma cômica, um episódio em que o compositor veneziano - que era padre e "largava tudo na frente dele para compor para Deus" - interrompeu a comunhão, em plena missa de domingo, dizendo: "gente, eu preciso sair, porque eu criei uma melodia linda e preciso anotar". 

Sozinho, Franz descobriu como editar e escrever roteiro a partir dos tutoriais que encontrava on-line. "No Youtube, o segredo é a persistência, principalmente, quando estamos falando de um tema como o meu. Existe uma geração em que tudo acontece rápido e ao mesmo tempo. Tem pessoas interessantes o tempo inteiro. Você precisa ser uma pessoa atualizada e que consegue lidar com o público", explica.

Mas o sucesso de Franz Ventura revela um fato que pode parecer curioso: a música erudita não precisa estar só entre a elite e o público mais velho. Para gerar interesse nos jovens, mesmo naqueles que desconhecem o básico da técnica, basta torná-la acessível.

Onde acompanhar Franz Ventura

Instagram: @franzventura

YouTube: canal Franz Ventura

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais