Logo O POVO Mais
Vida & Arte

Websérie revisita clássicos que marcaram a TV do Brasil

| ESTREIA | Dividida em quatro episódios independentes, websérie "Tudo o que tiver de ser, será?" estreia nesta segunda-feira, 24, e será exibida no IGTV do Porto Iracema das Artes
Edição Impressa
Tipo Notícia Por
Programa
Foto: Divulgação Programa "Qual é a música?" também inspirou a construção do projeto artístico dos cearenses

O passo coreografado da paquita que balança o pompom. A virada surpreendente de Pablo, com seu rosto colorido, para responder ao questionamento: "Qual é a música?". A movimentação errante das ajudantes de palco do programa Fantasia em meio às brincadeiras que mobilizaram o público nas noites do SBT. Essas e outras memórias corporais atravessam os artistas Janaína Bento, Thiago Mota e Vince Rodrig. Eles apresentam, a partir de hoje, a websérie "Tudo o que tiver de ser, será?", obra dividida em quatro episódios que serão transmitidos no perfil do Instagram da escola Porto Iracema das Artes. A atração integra a 8ª edição da Mostra de Artes do Porto Iracema (Mopi).

No primeiro dia da Mostra, será exibido o episódio "Somos todas fantasias". Na quarta-feira, 26, é a vez de "Montação", seguido da terceira cena, "Fantasia no ar", que poderá ser conferida na sexta-feira, 28. A série encerra no sábado, 29, com "Pablo, qual é a dança?". O último dia das apresentações virtuais terá, ainda, um bate-papo, das 16h às 18h, no Canal do YouTube da Escola, com a participação dos artistas e do tutor Neto Machado.

A websérie é a finalização do projeto "Eu Só Trabalho Com Referência!", trabalho desenvolvido na edição 2020-21 do Laboratório de Dança e que pesquisa a ideia de "referência" como uma memória televisiva. O título escolhido para a série é uma alusão ao filme clássico da Xuxa, "Lua de Cristal", de 1990.

De acordo com Thiago Mota, a websérie traz questões pensadas em torno do trabalho de pesquisa. "Essas referências que a gente trouxe para o projeto estão muito ligadas à televisão. A ideia é questionar como a TV nos coreografou e nos coreógrafa, além de entender como a gente reverbera isso nos nossos corpos e trabalha esses pontos nas nossas histórias de dança".

Inicialmente o grupo de dança planejava construir uma proposta cênica voltada para o teatro, como aconteceu durante as Rotas de Criação, etapa anterior à Mopi em que é feita uma apresentação do estágio da pesquisa. No entanto, com o período de isolamento social durante a pandemia de covid-19, os artistas fizeram adaptações e chegaram a esse novo trabalho.

Janaína Bento ressalta que a obra foi pensada para o Instagram e destaca a influência que o novo formato teve na elaboração da obra. "Nós abraçamos os recursos que a plataforma nos oferece e montamos o roteiro a partir dessas ferramentas. Escolhemos um filtro para cada episódio. Nesse sentido, eles fazem parte da dramaturgia e, de certa forma, direcionaram a criação".

A artista observa, ainda, que o espetáculo virtual trouxe novas possibilidades para o público. "Eu brinco que esse trabalho cabe na palma da mão. Você pode levá-lo para qualquer lugar e assisti-lo ou compartilhá-lo na hora que você quiser".

Para Thiago, o projeto também funcionará como laboratório para as próximas edições da Mostra de Artes do Porto Iracema. "O trabalho durante a pandemia foi um grande desafio para as artes cênicas. Essa readaptação ao virtual servirá como campo de partida para os próximos grupos de criação da escola".

A coordenadora do Laboratório de Dança da Escola, Carolina Wiehoff, destaca os desafios desta oitava edição da Mostra de Artes do Porto Iracema. "Nesse momento de pandemia, a finalização da oitava edição dos Laboratórios de Criação, a Mopi 8, é um desafio enorme, sobretudo para as Artes Cênicas, que pressupõem encontros presenciais, espaços para poder ensaiar, experimentar, trabalhar estados de presença. Ao longo desses sete meses de processo de pesquisa, tornou-se urgente a necessidade de se reinventar e desapegar das expectativas iniciais. Os projetos do Lab Dança em realização neste momento sofrem especialmente porque foram concebidos no período pré-pandêmico, o que implica um criativo esforço de adaptação para o regime remoto", conclui.

A coordenadora do Laboratório de Dança da Escola, Carolina Wiehoff, destaca os desafios desta oitava edição da Mostra de Artes do Porto Iracema. “Nesse momento de pandemia, a finalização da oitava edição dos Laboratórios de Criação, a Mopi 8, é um desafio enorme, sobretudo para as Artes Cênicas, que pressupõem encontros presenciais, espaços para poder ensaiar, experimentar, trabalhar estados de presença. Ao longo desses sete meses de processo de pesquisa, tornou-se urgente a necessidade de se reinventar e desapegar das expectativas iniciais. Os projetos do Lab Dança em realização neste momento sofrem especialmente porque foram concebidos no período pré-pandêmico, o que implica um criativo esforço de adaptação para o regime remoto”, conclui.

Thiago Mota é mestre em Artes e bacharel em dança pela UFC. Atua profissionalmente na dança desde 2005. É dramaturgista de processos criativos, além de também atuar como pesquisador, professor e criador-intérprete em dança contemporânea.

Janaína Bento é artista, pesquisadora da dança, mestra em Artes e bacharela em dança pela UFC. Trabalha com composição coreográfica pesquisando o desenho como prática emancipatória para criação em dança.

Vince Rodrigues é artista formado em licenciatura em Dança pela Universidade Federal do Ceará. Natural de Maranguape, atua como bailarino, coreógrafo e professor de dança contemporânea em projetos de ensino no Estado do Ceará como o projeto Artista-Presente que se realizou em escolas públicas de ensino regular.

 

Tutor do projeto

Neto Machado é artista em conexão com as ideias de coreografia, memória e infância. Mestre pelo programa de pós-graduação em Artes Cênicas da UFBA e graduado em Artes Cênicas pela Faculdade de Artes do PR, foi artista bolsista do Instituto Akademie Schloss Solitude - Alemanha (2013/14) e do projeto e.xe.r.ce do Centro Coreográfico de Montpellier - França (20008). Dentre seus trabalhos estão: Coreografia de Papel (Coleção de livros-coreográficos pra crianças); Biblioteca de Dança (instalação sobre histórias da dança); Desastro (peça participante do Palco Giratório do Sesc 2018); Kodak (Prêmio Cultura Inglesa Festival 2011); a série televisiva A Lei do Riso: Crimes Bizarros (indicada ao Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2019 como melhor série de ficção). Integrante da Dimenti (BA), Neto já se apresentou em mais de 50 cidades brasileiras e 10 países, em locais como: Tate Modern (Inglaterra), MIT (EUA), Centre George Pompidou (França) e o Station One (Sérvia). Mais informações em: netomachado.com.

Websérie "Tudo o que for de ser, será?"

Quando: Nos dias 24, 26, 28 e 29 de maio, sempre às 15h.

Onde: No IGTV do perfil do Porto Iracema das Artes no Instagram

Bate-papo com artistas e tutor do projeto "Eu Só Trabalho Com Referência!"

Quando: Sábado, 29, das 16h às 18h.

Onde: Canal do Porto Iracema das Artes no YouTube (https://www.youtube.com/user/PortoIracemaDasArtes)

Essa notícia foi relevante pra você?
Recomendada para você

"