Logo O POVO Mais
Vida & Arte

Biografias familiares resgatam memórias e origens de pessoas "comuns"

Obras desse segmento do mercado editorial são originadas a partir de trabalhos profissionais de pesquisas e entrevistas com os personagens - ou até famílias - que serão biografados
Edição Impressa
Tipo Notícia Por
Trechos da biografia
Foto: Reprodução/Facebook Trechos da biografia "Profissional da Esperança – Eudório Fernandes", lançada pelo selo Edições BPM, do jornalista Emmanuel Montenegro

Nas prateleiras das livrarias, a seção de “Biografias” reúne histórias de vida de personalidades com relevância pública em diferentes áreas: música, política, educação, cinema, esportes… Seja qual for o segmento, a pessoa retratada geralmente tem apelo comercial e destaque midiático que a permitem ser identificada prontamente pelo grande público. Entretanto, não somente os famosos podem ter suas trajetórias compiladas em um livro para serem lembrados por seus feitos. Pessoas “comuns” também conseguem ser contempladas com biografias a partir de iniciativas que prestam serviços editoriais de livros de memórias.

Assim, se você desejar publicar um livro com sua história de vida ou a de um parente, é possível. Com o intuito de resgatar tradições familiares e homenagear entes queridos, obras desse segmento do mercado editorial são originadas a partir de trabalhos profissionais de pesquisas e entrevistas com os personagens - ou até famílias - que serão biografados. Em um movimento que acena para a transmissão de legados para as próximas gerações, é possível conservar memórias, curiosidades, fotografias e até as origens de sua família.

Em Fortaleza, o selo editorial Edições BPM, do jornalista e escritor Emmanuel Montenegro, foca na publicação de biografias e livros de memória. Até o momento, foram lançadas 7 obras, e ainda há outras quatro para serem publicadas. Esse seu movimento foi iniciado oficialmente em 2014, com o livro-reportagem “Tramas de Calçada: Uma Novela Jornalística”, resultado do seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC).

No livro, o autor narra a história de Iguatu a partir de relatos de pessoas da cidade. O que antes estava guardado pôde, a partir do selo editorial, ser compartilhado com mais pessoas. Não foi novidade para Emmanuel, aliás: ele já tinha um blog em que escrevia sobre pessoas de Fortaleza. Intitulado “Caminhando e Escrevendo”, o endereço reunia perfis e um pouco da história da Cidade.



O lançamento do livro foi o ponto de partida para um novo rumo em sua carreira: viabilizar outras obras que resgatassem histórias, dessa vez de pessoas e famílias comuns - mas já fique avisado: há uma explicação para serem chamadas de “comuns”. “Eu me inspirei em algumas empresas que já disponibilizavam esse serviço de contar histórias de pessoas ‘comuns’. Todo mundo tem história de vida para contar, são ‘comuns’ nesse caso porque são pessoas que não são famosas nem estão na mídia com frequência, mas que se destacam dentro do seu meio de convivência”, argumenta.

Na sequência de “Tramas de Calçada”, veio “Raimundo Vieira: uma vida dedicada à família e ao trabalho”. A obra homenageia o médico Raimundo Vieira, que nasceu em Várzea Alegre e “fez sua vida” em Iguatu. O trabalho foi encomendado pelo seu neto, Eduardo, e lançado no seu aniversário de 95 anos.

Segundo Emmanuel, leva cerca de um ano para concluir uma biografia familiar. A primeira etapa inclui pesquisa histórica para contextualizar as entrevistas que serão realizadas com o biografado e seus conhecidos. Origens históricas, árvore genealógica, datas importantes, local onde cresceu: tudo isso e mais detalhes ajudam a compreender melhor o personagem.

No período de entrevistas, o jornalista busca ter mais convivência com o biografado: “Podemos escrever um livro só com entrevistas virtuais, mas a vivência é muito importante”. No caso de Raimundo Vieira, por exemplo, Montenegro passou um fim de semana em seu sítio para conhecê-lo melhor.

Depois, hora de organizar documentos e fotografias e, em seguida, é o momento de redigir o texto, processo acompanhado também pelo biografado para verificação. As etapas seguintes são preenchidas com o apoio de outros profissionais, como no caso da diagramação e da revisão. Emmanuel conta com ajuda à medida que crescem as demandas.

O jornalista Luiz Henrique Campos foi um dos profissionais convidados por Emmanuel para auxiliá-lo nas demandas das biografias familiares. Esta é a primeira experiência de Luiz na escrita de obras desse tipo, e ele ressalta uma característica que o acompanha: o de acreditar “que os personagens são os grandes condutores de quaisquer histórias”.

Como jornalista, Luiz buscava trabalhar suas matérias a partir de “um pressuposto de explorar ao máximo o potencial de cada indivíduo”. Para ele, “toda história de qualquer pessoa é riquíssima”, e lembra das trajetórias de vida de seu avô, com as quais ficava “encantado”. “Eu ficava encantado com a forma com as quais as pessoas falavam sobre as suas vidas. Eu nunca tinha feito biografia, mas sempre tive muito interesse em contar histórias, e histórias de pessoas que não têm tanta notoriedade pública”, revela.

Luiz está finalizando a escrita da biografia atual, um trabalho que começou em abril de 2021, com entrevistas com seu personagem. O intuito inicial era manter conversas presenciais, mas, devido à pandemia, não foi possível. Assim, a partir de entrevistas virtualmente a cada semana, o profissional coletou as informações sobre o biografado. Além disso, pesquisou sobre a história do lugar onde nasceu, a sua árvore genealógica e diferentes influências que construíram a sua vida.

Para Luiz, é muito importante se “despir de qualquer tipo de preconceito” ao escrever uma biografia para entender “que cada ser humano é diferente” e que não existe “história ruim”. Assim, em sua visão, “cada pessoa é um mundo à parte”. “Ninguém é uma figura irrelevante. Acho que isso é fundamental para que você faça uma biografia. Toda biografia tem um potencial para você explorar, independentemente de quem seja”, destaca. Ele complementa: “O grande aprendizado é tentar explorar personagens ao máximo sem que haja qualquer tipo de interferência de seus conceitos pessoais”.

A importância do resgate de tradições familiares proporcionado por essas biografias é defendida pelo consultor literário e editor Eduardo Villela, que trabalha com escrita e publicação de livros há 18 anos. Em sua empresa de consultoria, percebeu um aumento na procura por esse tipo de obra na pandemia: “As pessoas têm olhado para suas histórias e seus valores. Isso se acentuou com a pandemia. A perda de entes queridos aumentou a vontade de transmitir o legado da família para as próximas gerações”.

Segundo Villela, antes desse período os livros familiares representavam em torno de 10% das obras que publicava anualmente. Agora, a fatia já alcança um valor próximo a 35% e, de acordo com o profissional, são lançadas mais de 30 biografias desse segmento por ano em sua empresa. A maior parte dos projetos trata de apenas uma pessoa, seguida por livros de casal e, depois, obras sobre a “família como um todo”.

“É interessante porque você acaba contando a história de pessoas de diferentes gerações na família, não só dos mais velhos, mas também como os jovens têm contribuído para o núcleo familiar com seus hábitos e comportamentos”, comenta Eduardo. Para produzir as biografias, Eduardo conta com uma equipe responsável por levantamento de dados e pesquisa junto aos biografados, de forma a trazer os fatos de suas vidas, o contexto dos locais onde cresceram e os contextos sociais e políticos que rondaram as diferentes fases de suas histórias.

As fontes são as mais diversas possíveis, indo desde entrevistas com os biografados e seus conhecidos até pesquisas em arquivos públicos para descobrir notícias e informações a respeito da trajetória profissional dos personagens principais. Segundo Eduardo, são necessários, em média, oito meses para concluir uma biografia. O tempo varia de acordo com a idade do biografado, que pode ter mais ou menos histórias para serem registradas. Por seu perfil mais íntimo, normalmente a biografia tem em contrato impeditivos de divulgação para o mercado.

Como forma de celebrar os 50 anos de casados - completados em 2021 -, a médica Kátia, 71, e o engenheiro civil Artur, 74, resolveram encomendar uma biografia sobre sua história como casal. Aliás, foram além: esse é um registro de suas vidas pessoais, profissionais e familiares. O desejo de realizar essa obra já acompanhava Kátia desde quando pensou em fazer uma biografia familiar em homenagem ao seu pai, que havia completado 90 anos. Entretanto, ele faleceu. Assim, decidiu continuar com a ideia de uma biografia, mas dessa vez sobre a sua história, “enquanto ainda estava inteira''.

A publicação servirá para transmitir sua trajetória para as próximas gerações da família: “Eu e o meu marido estávamos interessados e resolvemos fazer um livro sobre nós dois, com a história dos nossos pais e da nossa família, para que filhos e netos soubessem das suas raízes”. Com tiragem de poucos exemplares, o livro foi distribuído apenas para conhecidos.

O processo de produção durou cerca de 18 meses e reuniu entrevistas com a equipe de Eduardo Villela para aprofundamento na vida do casal. À medida que o livro era construído, Kátia e Artur revisavam e devolviam o que havia sido escrito com alterações e sugestões. A biografia agrega fotos desde o período em que namoravam e contempla também as atuações de Kátia na área da saúde e de Artur como engenheiro.

Para a médica, essa foi uma experiência “excelente” e a obra servirá para deixar as memórias do casal para as próximas gerações. O livro também ajudou a "enriquecer as trocas familiares” com as conversas proporcionadas pelo conteúdo trazido. “Acho que é um legado que deixamos para nossos netos”, destaca Kátia.

Para quem deseja ter uma biografia familiar escrita, Eduardo Villela recomenda procurar serviços especializados, com experiência no mercado. No caso das Edições BPM, Emmanuel Montenegro dá algumas orientações para quem desejar contratar seu serviço. É necessário apresentar uma breve sinopse sobre a história de quem será biografado, indicar quantas pessoas serão entrevistadas e se será preciso realizar viagens para conhecer melhor o personagem. A partir disso, ele planeja o orçamento.

 

Conheça o trabalho

Edições BPM: @escritasdavida no Instagram e www.edicoesbpm.com.br

Eduardo Villela: @eduvillelabookadvisor no Instagram

Podcast Vida&Arte
O podcast Vida&Arte é destinado a falar sobre temas de cultura. O conteúdo está disponível nas plataformas Spotify, Deezer, iTunes, Google Podcasts e Spreaker. Confira o podcast clicando aqui

Essa notícia foi relevante pra você?
Recomendada para você

"