Logo O POVO Mais
Vida & Arte

Cachaça e petisco, existe uma combinação melhor?

Para fazer jus à bebida de maior identidade cultural do país, a Rota da Cachaça chega para construir vivências e destacar os pontos turísticos de Fortaleza
Edição Impressa
Tipo Notícia Por
Rota da Cachaça no Giz Cozinha  (Foto: Fernanda Barros )
Foto: Fernanda Barros Rota da Cachaça no Giz Cozinha

Sendo uma das bebidas mais típicas da região do nordeste, já era de se esperar que a cachaça estivesse presente em diferentes bairros de Fortaleza. Desde as mais simples mesas de bares até os mais requintados restaurantes, o destilado da cana de açúcar reúne histórias e experiências para grande parte dos cearenses.

A Secretaria do Turismo de Fortaleza (Setfor), em parceria com a Abrasel Ceará, incentiva um roteiro de sabor e tradição em cinco bairros da cidade com a criação da Rota da Cachaça. O programa oferece a moradores e turistas a degustação de diferentes tipos do destilado harmonizados com petiscos regionais.

Em entrevista para o Jornal O POVO, Alexandre Pereira, secretário da Setfor, comenta que uma cidade sempre deve ser pensada para os moradores. "Quanto mais criássemos ações que fossem aprovadas pelos fortalezenses, mais a cidade seria agradável para os turistas. Pensamos em um produto que juntasse a cultura à gastronomia, e a cachaça foi algo certeiro, dando origem a Quarta da cachaça", diz ele.

A opção por investir em roteiros de experiências está ligada à mudança de perfil dos turistas que, cada vez mais, querem vivenciar o destino, ao invés de consumi-lo de forma superficial e padronizada. "Costumo dizer que o turista não se interessa apenas por conhecer os pontos famosos de um local, ele quer viver experiências que gerem recordações inesquecíveis", completa Alexandre.

Às quartas-feiras, os estabelecimentos que integram a rota estão disponíveis para fornecer informações sobre as cachaças que fazem parte do seu cardápio. O grupo vem participando de uma série de workshops sobre a história do destilado.

A Rota da Cachaça também poderá ser feita nos outros dias da semana, de acordo com os horários de cada local participante. A diferença é que o cliente pode não conseguir tirar suas dúvidas sobre a bebida. Além disso, o passeio pode ser feito de acordo com o gosto do freguês: em grupo, sozinho, todo ele em um só dia ou ao longo de vários dias. O importante é viver a experiência. Confira os estabelecimentos:

Embaixada da Cachaça
Embaixada da Cachaça

Embaixada da Cachaça

A Embaixada da Cachaça funciona há sete anos e meio, desde quando Pedro Altino e sua esposa, Gorette Almeida, ficaram encantados ao visitar os empórios de Paraty e decidiram usar da sua admiração para construir seu próprio negócio. Pedro, que também teve a oportunidade de ministrar os treinamentos da Rota da Cachaça, explica que seu estabelecimento além de ser uma loja/bar, é um local de convivência. "As pessoas frequentam, fazem amizades e se sentem em casa", conta ele.

A Embaixada tem cachaças de vários estados, do Rio Grande do Sul ao Pará, sendo a Ypióca 150 a mais consumida pelos frequentadores (R$ 7 a dose). Na sua loja, está à venda cerca de 400 opções do destilado (variam entre R$ 35 e R$ 1500), e no seu bar, há em doses, cerca de 60 rótulos. Além da bebida, Pedro oferece petiscos que valorizam o nordestino regional, como bolinho de bacalhau, moela e língua bovina ao molho (variam entre R$ 20 e R$ 35).

Quando: segunda a quarta, das 10:30 às 23 horas. Quinta e sexta, das 10:30 às 00 horas. Sábado, das 10:30 às 20 horas
Onde: Rua João Brígido, 1245 - Joaquim Távora

 

Giz Cozinha Boêmia

"Somos um espaço boêmio, charmoso e simples, sem frescuras, mas extremamente poderoso ao criar sabores, proporcionar encontros e transmitir experiências", diz Lucas Bayma, sócio do restaurante, sobre o Giz Cozinha. Com um leque diverso de cachaças, Lucas põe em destaque as mais icônicas do local: Anisio Santiago, Providência e Cedro do Líbano. Os preços das doses variam entre R$ 6 e R$ 60.

Para não ficar sem acompanhamento, o Giz Cozinha apresenta várias opções de petisco, como frango no balde, croquete de ossobuco, filé ao molho de gorgonzola, pipoca de camarão, queijo com melaço, piabinha no balde, dentre outros. Além de pratos especiais, como o Sertão e Mar.

Como promoções, o Giz Cozinha traz, todos os dias, a "Cabra da Peste", 1 cachaça cearense 1 petisco, por R$ 35; e a "Apruma o Copo", 1 cachaça mineira 1 petisco, por R$ 29.

Quando: segunda a quinta, das 17 às 00 horas. Sexta a domingo, das 12 às oo horas
Onde: Rua Professor Dias da Rocha, 579 - Meireles

 

Cantinho do Frango
Cantinho do Frango

Cantinho do Frango

O restaurante começou quando Caio Napoleão, sócio, tinha apenas 19 anos, em 1994. "Iniciamos colocando 3 mesinhas e foram aumentando. Hoje, a gente conta com 850 lugares e com mais de 400 marcas de cachaças", diz. O cardápio do Cantinho do Frango é bem variado, com foco na comida regional, sendo a panelada e o carneiro cozido os favoritos para acompanhar a cachaça. As opções de cachaças vêm de muitos estados e variam entre R$ 4,50 e mais de R$ 100 a dose.

"A rota da cachaça vai ser muito bacana, porque a bebida só tem a crescer. É um produto genuinamente brasileiro e as pessoas estão começando a diminuir os preconceitos em cima dele. Está aumentando o consumo e o desejo de degustação", completa Caio.

Quando: segunda a quinta, das 10 às 16 horas. Sexta-feira das 10 às 22 horas. Sábado e domingo das 10 às 19 horas.
Onde: Rua Torres Câmara , 71 - Aldeota

 

Raimundo do Queijo
Raimundo do Queijo

Raimundo do Queijo

O estabelecimento Raimundo do Queijo já vem com uma pegada de empório regional. Em seus primeiros momentos, o local vendia apenas carne. Com o passar do tempo, trouxe outros produtos mais artesanais e que, hoje, são um sucesso, como a paçoca de carne de sol, a castanha de caju e o queijo coalho. As cachaças mais consumidas do local são a Aviador e a Serrana, e as doses variam entre R$ 5 e R$ 7. A confraria já soma 20 anos e é famosa pelo seu ambiente familiar, música boa e um vasto leque de bebidas e comidas.

Quando: segunda a sexta, das 7h às 16h30min. Sábado e domingo, das 7h30min às 13h30min
Onde: Rua General Bezerril, 151 - Centro

 

Arupemba Restaurante
Arupemba Restaurante

Arupemba Restaurante

A ideia de tornar o Pirata Bar em um restaurante surgiu após a pandemia. O bar, que já possuía 36 anos de funcionamento, é um espaço amplo que foi ainda mais bem aproveitado. "Decidimos fazer um restaurante raiz e aproveitar que muitos turistas já vinham para o Pirata. A gente quis dar um pouco da culinária nordestina para todos eles. Então, durante a semana, de quarta a sábado, a gente modula o Pirata para que fique com um toque mais nordestino, característico do Arupemba", explica Taiene Righetto, sócio e proprietário do restaurante.

Sua cachaça mais consumida é a Cheirosa, já o petisco mais escolhido pelo público é a coxinha de sarrabulho. Nas quartas-feiras, o especial da Rota da Cachaça garante o combo especial de 1 cachaça mais 1 petisco em promoção, além do copo com a marca do projeto e do restaurante visitado. As doses dos destilados do Arupemba variam entre R$ 10 e
R$ 15 (50 ml).

Quando: quarta a sábado, das 16h às 23 horas.
Onde: Rua dos Tabajaras, 325 - Praia de Iracema

Podcast Vida&Arte
O podcast Vida&Arte é destinado a falar sobre temas de cultura. O conteúdo está disponível nas plataformas Spotify, Deezer, iTunes, Google Podcasts e Spreaker. Confira o podcast clicando aqui

 

Essa notícia foi relevante pra você?