Logo O POVO Mais
Vida & Arte

Humberto Gessinger apresenta novo show no Dragão do Mar

Cantor e compositor Humberto Gessinger volta a se apresentar em Fortaleza com show inédito da turnê "Não Vejo a Hora", na Praça Verde do Dragão do Mar
Edição Impressa
Tipo Notícia Por
Humberto Gessinger retorna a Fortaleza com show da turnê
Foto: Fernando Bartmann/Divulgação Humberto Gessinger retorna a Fortaleza com show da turnê "Não Vejo a Hora"

Três anos depois de seu último show em Fortaleza, o cantor e compositor gaúcho Humberto Gessinger retorna à Capital cearense, desta vez com apresentação inédita da turnê “Não Vejo a Hora”. Ex-líder do Engenheiros do Hawaii, o artista levará ao público repertório do disco homônimo lançado em 2019. O trabalho é marcado também por ter sido o primeiro de Gessinger com canções inéditas desde o lançamento de “InSular”, em 2013.

No palco, ele interpretará músicas como “Algum Algoritmo”, “Partiu” e “Um dia de Cada Vez”. O show começará às 20h30min na Praça Verde do Dragão do Mar e, na abertura da programação, se apresentarão a banda No Fake e o DJ Greg Doninni. Os ingressos estão à venda nos valores de R$ 160 (inteira) e R$ 80 (meia). É possível comprar as entradas no site Bilheteria Virtual, no Bloco K do Salinas Shopping e na bilheteria do Dragão do Mar.

Ao Vida&Arte, Humberto Gessinger fala sobre o retorno à Fortaleza, o conceito do show e o passeio por sua trajetória na apresentação.

O POVO: Como é, para você, voltar a tocar em Fortaleza, ainda mais em um contexto de retomada dos shows com público presencial?
Humberto Gessinger: O que já era especial, fica mais especial ainda. Fortaleza e o Dragão do Mar são uma constante a cada tour. Desde 2013 me apresento ali a cada ano, com exceção dos dois últimos por conta da pandemia. Espero compensar este hiato com o melhor show de todos.

O POVO: Como tem sido o retorno às apresentações presenciais depois de tanto tempo longe dos palcos com público?
Humberto: É como voltar para casa, que é o palco de todo artista. Para mim, particularmente, o tempo parado serviu para colocar algumas coisas em perspectiva em relação à minha arte e ofício. Às vezes, a correria da estrada faz algumas coisas passarem batido. Estou cada vez mais satisfeito com minha trajetória e mais grato por ter tanta gente acompanhando minha jornada.

O POVO: O show é marcado pela apresentação envolvendo o “Não Vejo a Hora”, álbum lançado em 2019 após seis anos do anterior, “InSular”. Quais mudanças você percebe na sua forma de fazer música entre 2013 e 2019 e também entre 2019 e 2022, já contemplando o período da pandemia?
Humberto: Mesmo se compararmos um período de tempo maior, desde o início dos Engenheiros do Hawaii em 1986 até agora, acho que mais do que mudanças, se trata de amadurecimento. Continuo tocando e cantando minhas composições em trios e não vejo fronteiras entres as fases. É como se fosse um único território por onde minha música viaja. É muito bom descobrir novos ângulos da mesma paisagem.

O POVO: Em seu caso, essa é uma retomada não só geral dos seus shows, mas também da temporada da turnê, já que ela foi interrompida pela pandemia. O que será mantido em relação aos shows pré-pandemia? Haverá novidades em relação à concepção do show?
Humberto: No show mais recente em Fortaleza, em 2019, eu vim com dois trios se revezando no palco, o trio acústico e o power trio. Agora, mantenho os dois momentos no show, mas ambos com o mesmo trio, o que deixa o espetáculo mais fluido. O repertório está mais aberto a todas as fases da minha carreira, com muitos clássicos ao lado de material mais recente.

O POVO: Na faixa “Algum Algoritmo”, você canta que “Há um tempo para tudo / Ele não para, não”. Analisando de forma literal esses versos, qual o tempo você acredita que seja este em que você se apresentará em Fortaleza? Um tempo de maior otimismo diante da disponibilidade de vacinação e da retomada de shows presenciais?
Humberto: Espero que estejamos todos mais otimistas, pois isso é necessário para transformarmos tantas coisas que não estão legais no mundo atual.

OP: O que o público poderá esperar em relação à performance e à construção do show deste fim de semana?
Humberto: Um trio no palco, transitando entre o rock e sonoridades acústicas, com toda estrutura de palco da tour Não Vejo a Hora. Muitos clássicos do EngHaw ao lado de material mais recente e, acima de tudo, muita felicidade por voltar à Fortaleza, que sempre me recebeu tão bem.

 

Humberto Gessinger em Fortaleza

Quando: sábado, 14, às 20h30min
Onde: Praça Verde do Dragão do Mar (R. Dragão do Mar, 81 - Praia de Iracema)
Quanto: R$ 200 (inteira) e R$ 100 (meia); ingressos à venda no site Bilheteria Virtual, no Bloco K do Salinas Shopping (13h às 19 horas) e na bilheteria do Dragão do Mar (14h às 20 horas)

Podcast Vida&Arte
O podcast Vida&Arte é destinado a falar sobre temas de cultura. O conteúdo está disponível nas plataformas Spotify, Deezer, iTunes, Google Podcasts e Spreaker. Confira o podcast clicando aqui

Essa notícia foi relevante pra você?