Logo O POVO Mais
Reportagem Especial

Ucranianos e russos superam guerra e chegam à final de mundial de CS-GO

O time da Natus Vincere (Navi) era a atual campeã da PGL Major, a principal competição de CS-GO do mundo. Agora, no entanto, em meio à preparação para defender o título, a Navi se viu em meio à uma guerra travada entre os países de origem de seus atletas

Ucranianos e russos superam guerra e chegam à final de mundial de CS-GO

O time da Natus Vincere (Navi) era a atual campeã da PGL Major, a principal competição de CS-GO do mundo. Agora, no entanto, em meio à preparação para defender o título, a Navi se viu em meio à uma guerra travada entre os países de origem de seus atletas
Tipo Notícia Por

 

 

Ficam marcadas na história nem sempre apenas aquelas pessoas que levantam troféus e levam medalhas para casa. Aquelas que ignoram dificuldades e constroem trajetórias de causar orgulho também têm reservadas para si belas páginas escritas nos livros dos campeões. E isso foi o que aconteceu com o time da Natus Vincere (Navi) de “Counter-Strike: Global Offensive (CS-GO)”, no último domingo, 22 de maio.

Formada por ucranianos e russos, a equipe conseguiu superar a guerra ocorrida entre os países de origem de seus atletas e chegou à final da PGL Major Antuérpia 2022, a “Copa do Mundo” da modalidade. A Navi foi derrotada por 2 mapas a 0 pela FaZe Clan (Estados Unidos), mas mostrou para o planeta o poder de união que os esportes eletrônicos são capazes de proporcionar.

No começo do ano, após semanas de tensão, o presidente russo Vladimir Putin ordenou suas tropas a invadirem o território ucraniano, no dia 22 de fevereiro, sob justificativas econômicas, históricas, sociais e políticas. Desde então, Ucrânia e Rússia travam uma guerra sem qualquer previsão de cessar-fogo, ceifando rotinas, sonhos e vidas de milhares de pessoas de ambos os lados.

Homem passa de bicicleta próximo a prédios residenciais destruídos na cidade ucraniana de Chernihiv, durante ataques da Rússia em 2022(Foto: Dimitar Dilkoff / AFP)
Foto: Dimitar Dilkoff / AFP Homem passa de bicicleta próximo a prédios residenciais destruídos na cidade ucraniana de Chernihiv, durante ataques da Rússia em 2022

Com a forte proximidade cultural entre as duas nações, até então não era raro ver ucranianos e russos atuando juntos, e na Navi não era diferente. Para se ter ideia, seu principal jogador é Oleksandr “S1mple” Kostyliev, considerado um dos melhores jogadores da modalidade, que é cidadão ucraniano e tem origem russa. Assim como ele, Valerii “B1t” Vakhovskyi também é ucraniano, ao passo que os companheiros Denis “ElectroNic” Sharipov, Kirill Sergeevich “Boombl4” Mikhailov e Ilya “Perfecto” Zalutskiy são russos.

Comandada pelo técnico ucraniano Andrii “B1ad3” Horodenskyi, essa mesma lineup se tornou a grande campeã da PGL Major Estocolmo em 2021, alcançando assim o merecido e incontestável posto de número 1 do ranking da HLTV – principal ranqueamento do CS-GO.

Agora poucos meses antes de mais uma vez disputar o principal campeonato do seu calendário anual, a Navi se viu em verdadeiras trincheiras em meio aos preparativos para defender o maior título de um dos mais populares esportes eletrônicos do mundo.

Assim que o conflito eclodiu, a organização comunicou por meio das redes sociais estar resguardando todos os seus atletas e mais de 80 funcionários. No entanto, “quando as pessoas estão morrendo e milhares de destinos estão sendo destruídos irreversivelmente, não há tempo para e-sports”.

 

Foi necessário paralisar com urgência as atividades de treinamentos, além da retirada de pessoas das zonas mais afetadas pelos ataques militares. Com essas ações, somadas à ajuda recebida por fãs da Navi espalhados por diferentes países (a partir de compra de material ou doações diretas) e à manutenção do patrocínio de marcas parceiras, o time conseguiu se reestruturar para aos poucos ir retomando uma rotina de “normalidade” nas semanas seguintes.

 

 

A disputa da PGL Major Antuérpia 2022

Times de todas as regiões do planeta participaram da PGL Major Antuérpia 2022. A competição ocorreu na Bélgica e foi transmitida para todo o mundo. No Brasil, pôde ser acompanhada pela Twitch TV do streamer Gaulês, bem como pelos canais oficiais da Professional Gamers League (PGL), na própria Twitch e no Youtube.

Nossos representantes foram os times da Imperial e da Fúria. O primeiro foi eliminado no Legends (fase classificatória), já o segundo chegou aos playoffs, ficando nas quartas de final, a Champions Stage.

Brasileiros marcaram presença tanto na torcida como na disputa do Major 2021(Foto: HLTV / PGL Major Antuérpia 2022 / Divulgação)
Foto: HLTV / PGL Major Antuérpia 2022 / Divulgação Brasileiros marcaram presença tanto na torcida como na disputa do Major 2021

Em sua fase final, a competição aconteceu também com público presencialmente, contando com uma torcida empolgada, que vibrou e empurrou seus times do começo ao fim. Cantando e levantando cartazes dos mais diversos gostos, muitos torcedores fizeram questão de levantar bandeiras da Ucrânia como forma de homenagem e de mandar energias positivas ao país do Leste Europeu.

Enquanto isso na LAN party "Local onde todos os jogadores estão, com computadores conectados entre si para a realização das disputas." , a Natus Vincere ia passando por seus adversários sem muitas dificuldades, alcançando a final da competição para surpresa de quase ninguém. Pela frente, entretanto, uma pedreira na grande decisão: a equipe americana da FaZe Clain, formada por cinco jogadores de cinco diferentes países e responsável por tomar em abril o status de número 1 do ranking HLTV, empurrando a própria Navi para a segunda colocação.

Entrada do time da Navi para a final do Major 2022 diante da FaZe Clain(Foto: HLTV / PGL Major Antuérpia 2022 / Divulgação)
Foto: HLTV / PGL Major Antuérpia 2022 / Divulgação Entrada do time da Navi para a final do Major 2022 diante da FaZe Clain

Também primeira empresa de e-sports a ser avaliada em 1 bilhão de dólares pela Forbes, a FaZe mostrou sua força na série melhor de 3 mapas. Conseguiu abrir um histórico placar de 8 rounds a 0 no mapa de sua escolha (a Inferno), viu a Navi resistir e a chegar a ficar a um round para conquistar o primeiro ponto da final. Mas este ficou com os americanos, que venceram por 19 rounds a 16.

Na sequência, mais uma bela disputa no segundo mapa, a Nuke, de escolha da Navi. Apesar do cenário diferente, a história se repetiu com a FaZe mais encorpada e entrosada garantindo o segundo ponto (16 rounds a 10), encerrando a partida e garantindo o título. A equipe vencedora contava com jogadores da Dinamarca, Noruega, Canadá, Letônia e Estônia.

Time da Navi comemora a conquista do título da PGL Major Antuérpia 2022(Foto: HLTV / PGL Major Antuérpia 2022 / Divulgação)
Foto: HLTV / PGL Major Antuérpia 2022 / Divulgação Time da Navi comemora a conquista do título da PGL Major Antuérpia 2022

A Navi ficou com o vice-campeonato, se manteve em segundo no ranking global e certamente digitou “GG WP” aos jogadores adversários. A sigla é uma expressão inglesa geralmente compartilhada pelos players ao término de uma partida, significando “'good game, well played'. Na tradução: “bom jogo, bem jogado”. No caso da Navi, GG WP dentro e fora do CS-GO.

 

 

* Para você que não tem familiaridade com o e-sports ou com o CS-GO, confira abaixo vídeo que mostra o momento em que a FaZe Clain se torna campeã da PGL Major Antuérpia 2022.

Essa notícia foi relevante pra você?

Conteúdo exclusivo para assinantes

Conteúdo exclusivo

Saiba mais

Estamos disponibilizando gratuitamente um conteúdo de acesso exclusivo de assinantes. Para mais colunas, vídeos e reportagens especias como essas acesse sua conta ou assine O POVO +.