Foto de Bernard Twardy
clique para exibir bio do colunista

Bernard Twardy, um chef de estirpe clássico, chegou ao Ceará há 32 anos para nunca mais deixar a terrinha. A acolhida e a semelhança com o Caribe, onde passou sete anos, o seduziram. Antes, viajou pelo mundo em busca de saberes novos e há mais de duas décadas se dedica à gastronomia do Beach Park e ao fortalecimento da identidade do alimento com pegada Cearense.

Bernard Twardy gastronomia

Dieta paleolítica: o retorno ao passado

Os defensores da dieta Paleolítica garantem que ela permite perder peso e ganhar saúde. O modelo, porém, é um tantinho controverso.
Tipo Opinião
Dieta paleolítica valoriza as proteínas em detrimento de outros grupos alimentares (Foto: Divulgação)
Foto: Divulgação Dieta paleolítica valoriza as proteínas em detrimento de outros grupos alimentares

Vamos recuar dois milhões de anos até o Paleolítico, antes mesmo do início da agricultura? A ideia é comer como os nossos antepassados, reduzir os alimentos processados e focar nas proteínas. Os defensores da dieta Paleolítica garantem que ela permite perder peso e ganhar saúde. O modelo, porém, é um tantinho controverso.

Portugal conta com o maior grupo de adeptos deste modo de se alimentar. Há controvérsias sobre os primeiros momentos da dieta paleolítica, que foi popularizada em 1985 pelo Dr. S. Boyd Eaton em um artigo de revista científica. Em 2014, Loren Cordain, doutora em educação física, começou a dar indicações para seguir essa dieta, transpostas na atualidade.

O grupo português já tem braços no Reino Unido, Luxemburgo, França, Suíça e Macau. Ele segue o modelo Primal, de Mark Sisson que, na prática, pega a dieta do paleolítico original e adapta aos hábitos do mundo moderno. A "paleo" é mais do que uma dieta, é um "estilo de vida" diz ele.

Como era mesmo o modo de se alimentar naquele tempo? Quais eram os hábitos de alimentação dos primeiros seres humanos? A frequência das refeições devia ser bem aleatória e com momentos de escassez. Que modelo alimentar era esse que dava uma volta na tradicional roda dos alimentos, descartando tudo o que é cereal e com consumo de carne desenfreado? Quais benefícios e quais riscos esta maneira de se alimentar tinha para a saúde?

O conceito Paleo dá mais atenção aos processos naturais do corpo. Prega que sentir fome é saudável, passar fome que não é. Continua com o conceito que deveríamos nos alimentar para não ter fome e não com ciclos densos e próximos com os quais estamos permanentemente em processo digestivo, o que não é natural.

Ao contrário da dieta mediterrânea, a Palio retira os cereais e carboidratos. Neste processo de reeducação alimentar, não há proibições. Há alimentos a evitar, a tônica está no consumo de proteína animal, carne, peixe e ovos e de todo o tipo de legumes e frutas, procurando sempre boas origens, escolhendo o frango criado no campo, animais de pasto, os legumes e frutas biológicos e ou orgânicos.

Exclusão total dos produtos alimentares que contêm glúten e derivados, que estão classificados como proteína inflamatória, todos os alimentos processados, uso de óleos derivados de grãos, sementes como girassol, assim como a soja.

Os laticínios, exceto o leite e os leguminosos, crus ou cozidas, entram na zona cinzenta: não fazem parte da dieta original, mas admite-se o consumo moderado se não houver intolerâncias e outras complicações. Quando as restrições são grandes, tem que haver acompanhamento de profissionais de nutrição ou nutrologia.

A complementaridade e a variedade dos alimentos em qualquer dieta garantem que as necessidades do organismo estão satisfeitas. Entre os meus favoritos experimentei o hambúrguer sem pão, coberto de finas lâminas de abacate bem temperadas e um toque de tempero mexicano.

Ultimamente, me acalmei no consumo de carnes vermelhas, estamos já com Dry Aged Beef nos Mercadinhos São Luiz e muitas casas de carnes maravilhosas, até carne assada no forno Espanhol Josper, no Carbone, tem. 

Gostaria de ter encontrado cardápios originais daquela época, mas os bloggers Paleo eram tímidos...

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais