Carlos Mazza
clique para exibir bio do colunista

Colunista de política, o jornalista Carlos Mazza coordena o O POVO Dados, núcleo que trabalha com reportagens a partir de bancos de dados. Já foi repórter de Política e repórter especial do O POVO.

política
NOTÍCIA

Pastores e deputados evangélicos protestam contra projeto antidiscriminação religiosa

Segundo o grupo, proposta da bancada do PT é uma forma de "censura" e de "ataque" à fé cristã, e violaria a liberdade de crença prevista na Constituição Federal
Grupo de parlamentares e 15 pastores exige derrubada imediata da proposta
Grupo de parlamentares e 15 pastores exige derrubada imediata da proposta

Um grupo de pastores evangélicos e de parlamentares ligados à fé protestante realiza nesta terça-feira, 29, um “paredão” na Assembleia Legislativa contra proposta da bancada do PT que cria uma multa administrativa contra casos de discriminação religiosa no Ceará.

Segundo eles, a medida é uma forma de “censura” e de “ataque” à fé cristã, e violaria a liberdade de crença prevista na Constituição Federal. No protesto, o grupo exige que a medida seja arquivada de imediato, sem sequer passar pelas comissões ou Procuradoria da Casa.

“Coloca em risco todas as religiões, cristãs ou não cristãs, até as de matrizes africanas. Ela acirra o ódio e uma divisão na sociedade. O que a gente quer é a união, e não pregar o ódio, que é o que esse projeto, sorrateiramente, está fazendo”, diz o deputado Vitor Valim (Pros).

O protesto dos evangélicos ocorre ao lado da sessão de lançamento da Frente Parlamentar de Apoio às micro e pequenas empresas. O evento é conduzido por Fernando Santana (PT), um dos autores da proposta. Outro co-autor da medida, o deputado Elmano Freitas (PT), também participa do evento.

Entenda a polêmica

Pelo texto do projeto, fica proibida "toda manifestação atentatória e todo ato discriminatório por motivo de religião" no Ceará. A lei especifica como atentatórios atos como ações violentas, proibição de ingresso ou permanência em estabelecimento aberto e ações de coação de patrões sobre empregados, entre outros.

"Imagina uma igreja, aí chega alguém lá dessa cultura afro, que agora não pode dizer mais afro, é matriz africana, aí chega lá no culto e diz quero entrar, mas quero trazer minha galinha aos orixás, aí o pastor diz 'tá repreendido em nome de Deus', ele vai ser multado", corrobora Dra. Silvana (PL).

Participam do protesto, além de 15 pastores evangélicos, o deputado federal Dr. Jaziel (PL), os deputados estaduais Dra. Silvana (PL), André Fernandes (PSL) e Nelinho (PSDB), a vereadora de Fortaleza Priscila Costa (PRTB), e o suplente de senador Pedro Ribeiro (PSL).

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais