Jocélio Leal
clique para exibir bio do colunista

Colunista e editor-chefe dos núcleos de Economia e Negócios do O POVO. Também é âncora da rádio O POVO-CBN e apresenta flashes na rádio CBN Cariri. É o editor-geral do Anuário do Ceará e do Guia de Investimentos de São Paulo

NOTÍCIA

Covid-19 - Escolas e Governo do Ceará abrem diálogo

As escolas privadas do Ceará não desistiram da diplomacia no trato da polêmica sobre o retorno às aulas presenciais. Após campanha e movimento de rua para pressionar o Governo, os empresários do setor buscaram o diálogo. Nesta quinta-feira (25), a pedido do Sindicato das Escolas (Sinepe), houve encontro com o secretário-executivo de Planejamento, Flávio Ataliba, e com o reitor da UFC, Cândido Albuquerque, como representante do ensino superior
Adaptações no Colégio Afonso Andrade, do bairro Antônio Bezerra, para o retorno das atividades presenciais este ano
Adaptações no Colégio Afonso Andrade, do bairro Antônio Bezerra, para o retorno das atividades presenciais este ano

Fortaleza - As escolas privadas do Ceará não desistiram da diplomacia no trato da polêmica sobre o retorno às aulas presenciais. Após campanha e movimento de rua para pressionar o Governo, os empresários do setor buscaram o diálogo. Nesta quinta-feira (25), a pedido do Sindicato das Escolas (Sinepe), houve encontro com o secretário-executivo de Planejamento, Flávio Ataliba, e com o reitor da UFC, Cândido Albuquerque, como representante do ensino superior.

O quadro pintado pelo Governo é dramático. Sobra vírus, falta leito, falta imposto e falta apoio federal.

As escolas gostaram do acolhimento. Saíram do encontro esperançosas de que o governador Camilo Santana (PT) e o Comitê científico a ser ouvido por ele revejam nesta sexta-feira (26) as restrições impostas ao funcionamento dos colégios. O Sindicato decidiu publicar uma nota.

"Confiamos que o Comitê COVID irá tomar as melhores decisões para o próximo decreto estadual, levando em consideração o benefício do ensino presencial para a saúde emocional de crianças e jovens e a necessidade de pais e mães contarem com um espaço seguro para seus filhos durante os seus dias de trabalho", diz o texto.

O Sindicato avisa que também segue a colaborar para o retorno das aulas presenciais das escolas públicas.

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais