Foto de Neila Fontenele
clique para exibir bio do colunista

Colunista de Economia, Neila Fontenele já foi editora da área e atualmente ancora o programa O POVO Economia da rádio O POVO/CBN e CBN Cariri.

Mais Brasília e menos Brasil...

Secretários de Fazenda reclamam de processos concentradores de recursos na União
O ministro da economia, Paulo Guedes, qualificou a questão dos precatórios como um "meteoro" que surgiu e ameaça a economia (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil O ministro da economia, Paulo Guedes, qualificou a questão dos precatórios como um "meteoro" que surgiu e ameaça a economia

Enquanto países desenvolvidos discutem formas para evitar uma catástrofe ambiental, traçando projetos com menor impacto no clima, o Brasil ainda parece fixado na década de 1960.

O País aparentemente está perdido no tempo e avaliando apenas propostas de perpetuação de poder. Além dos rompantes do presidente Jair Bolsonaro com ameaças institucionais, há, em debate no Congresso, propostas concentradoras de recursos, bastante diferentes do slogan do ministro Paulo Guedes: "Mais Brasil e menos Brasília".

Os secretários de Fazenda já denunciaram, em vários momentos, os projetos de reforma tributária como sendo ameaçadoras às receitas das unidades federativas, mas isso ocorre não apenas em relação às mudanças na forma de recolher e aplicar os impostos.

Luciano Sampaio, novo líder da PwC no Nordeste(Foto: Divulgação)
Foto: Divulgação Luciano Sampaio, novo líder da PwC no Nordeste

PwC em Fortaleza 

CONSULTORIA ABRIRÁ 300 VAGAS

Até o final do ano, a PwC Brasil instalará escritório em Fortaleza. A perspectiva é de contratação de 300 profissionais no Nordeste nos próximos 5 anos. "O Ceará, e principalmente Fortaleza, vem se destacando pelo dinamismo de sua economia nos últimos anos", comenta Luciano Sampaio, sócio-líder da PwC Brasil na região.

Precatórios

CEARÁ DEIXARÁ DE RECEBER R$ 2,5 BI

A proposta de emenda à Constituição (PEC) dos Precatórios ameaça o orçamento dos estados: somente o Ceará pode deixar de receber R$ 2,5 bilhões. O Estado tem um grande precatório relativo ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef), ganho depois de aproximadamente 10 anos de batalhas judiciais. A previsão da Secretaria da Fazenda era de receber os recursos em 2022. Caso a PEC seja aprovada, o Governo Ffederal pagará 15% e o restante será parcelado. "Logicamente isso frustra as expectativas em relação a esse dinheiro", reclama a secretária Fernanda Pacobahyba.

Mudanças

REGRAS DOS EMPRÉSTIMOS

O Governo Federal lançou também uma consulta pública para analisar a metodologia da Capacidade de Pagamento (Capag) dos entes subnacionais. O que isso significa? Que as regras do jogo para os estados e municípios fazerem seus empréstimos podem ser alteradas. Algumas operações do Ceará já aguardam essa análise.

Mudanças como essas, discutidas às vésperas de um calendário eleitoral, são para gerar, no mínimo, apreensão.

Seminário

CENÁRIO FINANCEIRO FAMILIAR

Orçamento familiar é um dos temas a serem tratados no Seminário Geração Família, na próxima segunda, 16, a partir das 18h30. Com dois painéis, o evento será transmitido pelo aplicativo Zoom e pelas redes sociais do O POVO. No primeiro painel, o debate será: "O conhecimento e a importância de uma nova realidade financeira para as mulheres empreendedoras".

Lagoa

E-BOOK E COMEMORAÇÃO

O Supermercado Lagoa realizou uma ação interessante para comemorar seus 30 anos: lançou um e-book com receitas afetivas para seus seguidores nas redes sociais. Escolheram pratos tradicionais, contando memórias da equipe chamada de Central das Comidinhas.

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais