Foto de Neila Fontenele
clique para exibir bio do colunista

Colunista de Economia, Neila Fontenele já foi editora da área e atualmente ancora o programa O POVO Economia da rádio O POVO/CBN e CBN Cariri.

Energia: não é choro, é inflação

Mais aumento na conta de luz com o reajuste previsto da bandeira vermelha
Tipo Opinião
 coluna neila (Foto:  coluna neila)
Foto: coluna neila coluna neila

O aumento previsto da bandeira vermelha (que deve ficar entre 50% e 58%) terá um impacto final de aproximadamente 8% na conta de luz, segundo cálculos de especialistas. Vale lembrar que, em julho, época do reajuste de 52%, o aumento chegou a 7,5%.

Diante de toda essa situação, e do aumento da inflação neste ano, a frase do ministro Paulo Guedes que questiona "qual o problema de a energia ficar um pouco mais cara" é, no mínimo, inadequada.

O ministro sabe do impacto do preço da energia na inflação, mas não admite que o governo precisa tomar medidas para reduzir o impacto dos aumentos. A falta de rumo das políticas públicas tem chamado a atenção. Onde está a liderança do governo? A energia sobe, a gasolina sobe, os alimentos ficam mais caros, e pronto.

A visão da equipe econômica é limitada: não entende o papel do poder público e que é preciso agir em momentos de crise. Não é questão de choro, mas de responsabilidade diante da evolução do problema.

Nessas horas, recordo o jornalista Neno Cavalcante: "ministro Paulo Guedes, por que o senhor é desse jeito?"

Jabuti do carvão

IDADE DA PEDRA

Enquanto a conta de energia sobe, os subsídios ao carvão aumentam; eis mais um resultado dos jabutis colocados na Medida Provisória da privatização da Eletrobras. A Associação Brasileira dos Grandes Consumidores de Energia Elétrica (Abrace) fez as contas e calcula que o subsídio chegará a R$ 1,4 bi por ano, a partir de 2027. Só para ficar mais claro: quem pagará essa conta é o consumidor.

Consumidor

ELO MAIS FRACO

O presidente do Conselho de Consumidores da Enel Distribuição Ceará (Conerge), Erildo Pontes, destaca que o modelo atual de concessão das distribuidoras prevê o equilíbrio econômico-financeiro. Ou seja: sempre que houver um novo custo necessário no setor, este será distribuído pelos consumidores. Na sua avaliação, o modelo é moderno e necessário, mas o consumidor é o elo mais fraco da cadeia do setor.

Beto Studart: visão positiva e compreensão macro da realidade(Foto: divulgação/ arquivo o povo)
Foto: divulgação/ arquivo o povo Beto Studart: visão positiva e compreensão macro da realidade

BS Cash

CRÉDITO PARA PESSOA FÍSICA

O empresário Beto Studart, que anda feliz com os resultados do BS Design, se prepara para lançar produtos na área financeira: trata-se do BS Cash, que terá cartão e crédito destinados à pessoa física. O empresário lembra que a construção civil é apenas uma parte das suas atividades. Atualmente, ele já atua com o Fundo de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC).

BS

CRESCIMENTO PRÓXIMO AO DO GOVERNO LULA

Em entrevista ao Guia Econômico da Rádio O POVO/CBN, Beto Studart ressaltou sua crença na melhora do cenário. Segundo ele, o aumento da inflação é positivo em um primeiro momento, ajudando a indústria a restabelecer as margens de preço, perdidas em um período entre
cinco e seis anos.

"É natural que os juros tenham de acompanhar a inflação; assim, uma inflação de 6% e uma Selic de até 7%, acho que isso não vai frustrar o desejo de conquista da nova casa".

Questionado sobre o impacto do dólar na elevação dos preços, ele ressaltou que a moeda norte-americana já esteve mais alta, estando no momento em R$ 5,40. "O Brasil fez agora um superávit de US$ 47 bilhões na balança comercial. Se continuarmos fazendo esse superávit, e vamos continuar fazendo, não temos dúvida de que esse dólar vem para baixo".

Na avaliação do empresário teremos em breve um crescimento próximo ao ocorrido durante o governo Lula, que foi o melhor período da economia.

 

"Sapere aude! Tenha coragem de fazer uso de seu próprio entendimento" Immanuel Kant, filósofo alemão

 

Scale-Up

ENDEAVOR SELECIONA 4 EMPRESAS CEARENSES

O programa Scale-Up Endeavor (projeto global que incentiva empreendedores) selecionou 74 empresas de 15 estados, das quais quatro do Ceará. São elas: o grupo Santa Lúcia e Onvit (categoria alimentos e bebidas), o FixPay (categoria fintech) e o Despacho Rápido (categoria smart city). As empresas selecionadas tiveram crescimento médio de 250% em 2020, faturaram R$ 150 milhões e empregaram 1.088 pessoas.

Livro

A Morte da Verdade

O livro "A Morte da Verdade - Notas Sobre a Mentira na Era Trump Notas Sobre a Mentira na Era Trump", mostra as novas guerras culturais e os problemas provocados pelas fake news. A jornalista e escritora Michiko Kakutani revela um cenário que não se restringe apenas aos Estados Unidos. Vale a leitura.

Topfive >>  Huggy, Roberson Pinheiro

PARA VENDER PELO INSTAGRAM

O CFO da plataforma Huggy, Roberson Pinheiro, oferece algumas dicas para melhorar as vendas pelo Instagram.

1. Mantenha um perfil comercial - É preciso ter um Instagram voltado para o seu negócio. Crie um novo perfil e escolha a opção "comercial", além de deixar clara a sua intenção para os seus seguidores.

2. Crie conteúdos pensando no seu público-alvo - O conteúdo não pode apenas ser "jogado" na rede social. Faça pesquisas, entenda seu público-alvo e crie materiais na sua rede social que sejam de interesse e relevância para quem você quer que veja.

3. Abuse das ferramentas do Instagram - O aplicativo oferece ferramentas importantes, entre elas stories, reels, IGTV, até mesmo o Instagram Shopping, onde é possível vender e comprar pela rede social.

4. Tenha uma excelente comunicação pelo direct - Utilize o direct (uma aba onde é possível conversar com seus seguidores). Aposte em uma conversa de qualidade para mostrar que se importa com aqueles que te acompanham.

5. Divulgue cases de sucesso - Divulgue alguns casos que deram certo, e até mesmo feedbacks dos seus clientes elogiando seu negócio; isso trará mais confiança para novos seguidores e possíveis clientes.

Breves

TV - O "Economia com Neila Fontenele" desta segunda-feira, às 18 horas, no Canal FDR, entrevista Kássio César, diretor do Sindieventos, e Cid Hertz, da Splash Eventos.

BANCO INTER - Bancos brasileiros ampliam sua atuação internacional. O Banco Inter, por exemplo, iniciou suas atividades nos Estados Unidos com a compra da fintech Usend (Pronto Money Transfer). A Usend tem 16 anos de trabalho nos mercados de câmbio e de serviços financeiros.

BEACH PARK - Dentro da programação de promoções da "Semana do Brasil", que vai de dois a 12 de setembro, o Beach Park terá desconto nos ingressos do parque aquático e nos hotéis da rede para os moradores do estado.

SHOPPING PARANGABA - O comércio amplia as promoções. No Fortaleza Liquida deste ano, que será promovido até o dia seis de setembro, o Shopping Parangaba oferece descontos de até 70%, além do sorteio de um Toyota Corolla Cross, cinco TVs e um caminhão de prêmios.Jabuti do carvão

 

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais