CIDADES

Apenas 26% das crianças foram vacinadas contra paralisia infantil no Ceará

Até ontem, 39 municípios cearenses ainda não tinham atualizado dados sobre a vacinação contra poliomielite em 2020. Meta é vacinar 510 mil crianças entre um e quatro anos e 11 meses. Campanha começou no último dia 5 e segue até o dia 30
Edição Impressa
Tipo Notícia Por
DIA D da campanha nacional de vacinação ocorreu no último sábado (Foto: Fabio Lima)
Foto: Fabio Lima DIA D da campanha nacional de vacinação ocorreu no último sábado

A 11 dias de finalizar a Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite 2020, o Ceará imunizou cerca de 26% do público-alvo. Conforme o DataSUS, do Ministério da Saúde, até ontem, 19, cerca de 134 mil crianças de um a quatro anos e 11 meses foram vacinadas contra a paralisia infantil. A meta é alcançar cerca de 510 mil crianças até o fim do mês. Em Fortaleza, a cobertura na campanha ainda é menor. Cerca de 24 mil das 137.565 crianças foram vacinadas, o equivalente a 17,48%.

Carmem Osterno, coordenadora de Imunização da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), afirma que o real número de vacinados é maior que o registrado na plataforma do órgão federal. Ela destaca que, até o fim da manhã desta segunda-feira, 39 municípios ainda não tinham sistematizado seus dados.

A projeção do Estado é de que o percentual de crianças imunizadas esteja em 35%, se considerado os dados ainda não lançados no DataSUS. Carmem evitou detalhar quais municípios ainda não incluíram as informações. Mas afirmou que há cidades com mais de 100 mil habitantes sem quaisquer informações sobre o alcance da campanha este ano.

No último 5 de outubro, os municípios começaram a campanha de vacinação que segue até o próximo dia 30. "Agora, elas (as secretarias municipais da saúde) têm de pegar as informações dos PSF's (Posto de Saúde da Família) e localidades. Nós que trabalhamos com isso sabemos que no fim do mês estaremos com todos os dados", projeta Carmem ao ser questionada se há preocupação com o percentual atingido até o momento.

A coordenadora da Sesa afirma ainda que "é um momento muito atípico não só pela Covid-19, mas pela campanha de vacinação e campanha eleitoral ao mesmo tempo. Certeza, os municípios vão trabalhar para atingir as metas." Ela pontua que todos os postos estão abastecidos e as redes de saúde têm lançado mão de estratégias para buscar as crianças.

De acordo com o Ministério da Saúde, neste ano, foram distribuídas para todos os estados mais de 40 milhões de doses da vacina tríplice viral, que protege contra o sarampo. Desse total, mais de 760 mil doses foram enviadas ao estado do Ceará. Quanto à vacina oral contra a poliomielite, foram distribuídas 21,9 milhões de doses aos estados, sendo 1,1 milhão para o Ceará.

"A campanha de pólio não pode ser estendida demais. Quando faz a vacinação oral de pólio, o objetivo é que grande quantidade de vírus vacinal circule em todo o país ao mesmo tempo, para combater a entrada do vírus selvagem no ambiente. Se prolonga demais, perde o efeito. É o que a gente chama de imunidade de rebanho", explica Carmem. A especialista reforça ainda o papel de responsáveis para levar a criança à uma unidade básica de saúde.

Quanto ao desempenho da campanha em Fortaleza, Carmem considera excelente. "Isso nos tranquiliza", diz. Por outro lado, a gestora revela preocupação com outras cidades de maior porte, onde é mais difícil de alcançar as metas. Além da vacinação contra a poliomielite, outras vacinas estão sendo ofertadas nas unidades. A campanha também chama atenção para a atualização do cartão vacinal. Em Fortaleza, são 14 vacinas ofertadas nos 144 postos de saúde.

 

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais