CIDADES

Escolas de Fortaleza retomam aulas presenciais dia 8 de forma gradual, escalonada e híbrida

| Educação | O cronograma da Secretaria da Educação prevê que as crianças do infantil III, IV e V, além do 1º e 2º ano do fundamental serão as primeiras a voltarem ao ensino presencial
Edição Impressa
Tipo Notícia Por
 SECRETÁRIA da Saúde, Ana Estela Leite,e titular da Educação, Dalila Saldanha, divulgaram cronograma de retorno às aulas (Foto: Thiago Gaspar/Prefeitura de Fortaleza)
Foto: Thiago Gaspar/Prefeitura de Fortaleza  SECRETÁRIA da Saúde, Ana Estela Leite,e titular da Educação, Dalila Saldanha, divulgaram cronograma de retorno às aulas

Dezoito meses após o início do ensino remoto, a rede municipal da educação retomará as aulas presenciais de forma gradual, escalonada e híbrida. Início se dará a partir da próxima quarta-feira, 8, pelas séries da educação infantil e fundamental. Já os adolescentes a partir de 12 anos voltam apenas no dia 20 de setembro, quando a maioria já deve ter sido vacinada.

Conforme a titular da Secretaria Municipal da Educação (SME), Dalila Saldanha, anunciou ontem, 2, o retorno será realizado aos poucos até alcançar a meta de todos os alunos em sistema híbrido.

A expectativa é que, ao fim de setembro, a cada semana 50% dos estudantes estejam nas escolas e 50% em casa, revezando na semana seguinte. "Quando concluirmos as etapas de retorno, nós estaremos com metade das crianças e jovens em uma semana na escola e a outra em atividades domiciliares", explicou a secretária.

.

O cronograma prevê o retorno, na primeira semana, das crianças do Ensino Infantil III, IV e V, além do 1º e do 2º ano do Ensino Fundamental. Na semana seguinte, será a vez dos alunos do Infantil I e II e o 3º, o 4º e o 5º ano do Fundamental.

Os alunos mais velhos, de séries mais avançadas, só devem voltar na última semana do plano, no dia 20. A data é uma expectativa da gestão para que a expressiva maioria dos adolescentes com 12 anos ou mais já esteja vacinada com a primeira dose contra a Covid-19.

"As perdas que nossas crianças e jovens têm sentido ao longo do nosso processo é do não contato com a escola, com o ambiente educacional, com os profissionais. As relações estabelecidas pelos jovens são muito importantes para o desenvolvimento das nossas crianças", defendeu a secretária.

José Artur Silva Freitas, 49, diz que o ensino remoto para a pequena Isadora, de 5 anos, foi um desafio para a família toda. A principal questão foi o uso da tecnologia na rotina da família. Além disso, a filha, assim como a maioria dos alunos, sentiu muita falta do contato diário com os colegas.

Leia também: Aprendizagem pode retroceder até quatro anos sem aulas presenciais

O professor universitário ainda tem receio do retorno. "Em função de ainda estarmos em plena pandemia. E por ainda não termos 90% pelo menos da população imunizada. Principalmente às crianças", explica.

No caso das instituições de ensino particular, os estudantes do ensino básico do Ceará retornaram às salas de aula no dia 2 de agosto, após o recesso de julho.

As unidades escolares da rede municipal também serão pontos de cadastramento para vacinação, tanto para os alunos quanto para familiares. "É importante que a gente consiga atingir o máximo de vacinação da população coberta com a vacina para que a gente possa proporcionar um retorno seguro", pontuou a titular da Educação. (Colaborou Júlia Duarte/Especial para O POVO)

Professores fazem parte do grupo 4 de vacinação
Professores fazem parte do grupo 4 de vacinação

90% dos profissionais de educação completaram o esquema de vacinação

90% dos profissionais de ensino de Fortaleza completaram seu esquema de vacinação, com as duas doses do imunizante contra a Covid-19. A informação foi dada pela titular da Secretaria de Municipal de Saúde (SMS), Ana Estela, durante a transmissão ao vivo nas redes sociais nesta quinta-feira, 2. O número é considerado bom para possibilitar o retorno seguro da educação. 

Segundo a titular da SMS, a porcentagem dos professores que ainda não foi totalmente imunizada são de pessoas que foram agendadas, mas não compareceram. As pessoas que já tomaram a primeira dose (D1) e perderam a data da aplicação da segunda dose (D2) podem procurar os pontos definidos para cada tipo de imunizante, sem necessidade de agendamento. A mesma recomendação vale para quem chegou à data limite do cartão de vacinação e não foi chamado.

LEIA MAIS | Aulas presenciais da rede municipal de Fortaleza começam pelos anos iniciais da educação

O Centro de Eventos reúne todos os três imunizantes aplicados no Ceará para o público que precisa da D2: Pfizer, CoronaVac e AstraZeneca. Já os Cucas devem ser procurados em casos de D2 de CoronaVac e os postos de saúde, no caso de AstraZeneca.

“Esse momento tem sido muito esperado para quem se preocupa com o bem-estar das crianças, que vai muito além da saúde física. E esse retorno das aulas presenciais vai respeitar todos os protocolos sanitários, foi construído em conjunto com as pastas de Saúde e Educação", ressaltou Ana Estela. (Júlia Duarte/Especial para O POVO)

 

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais