Logo O POVO Mais
Economia

Fim do lockdown: comércio aguarda retomada em duas fases

Fecomércio acredita que número de funcionários deve ser reduzido na primeira etapa da reabertura e, depois, ampliado ao normal
Edição Impressa
Tipo Notícia Por
Revezamento de horários e pessoal reduzido faz parte da proposta da Fecomércio (Foto: FABIO LIMA)
Foto: FABIO LIMA Revezamento de horários e pessoal reduzido faz parte da proposta da Fecomércio

O dia de hoje será decisivo para a reabertura dos setores de comércio e serviços no Estado do Ceará. Após a sinalização do governador Camilo Santana de que a retomada começaria no dia 12 de abril, o comércio se diz confiante no cumprimento da palavra do chefe do Executivo estadual e aguarda por duas fases neste processo de reabertura.

"Creio que, até por este sentimento do consumidor, do medo das pessoas se contaminarem, o retorno vai estar com horário mais reduzido, e também o número de colaboradores, que deve acontecer em duas fases", projetou Maurício Filizola, presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Ceará (Fecomércio-CE).

Na tarde de ontem, 8, Filizola fez parte do grupo que se reuniu em live com o governador e o comitê estadual de combate ao Coronavírus. Números revelados na mesma tarde atestaram a morte de 15 mil cearenses devido à Covid-19, sendo 4 nos últimos dois dias. Sobre o momento, ele afirma que "os números estão em patamares altos, mas estáveis, e isso favorece a retomada".

O projeto de reabertura dos negócios, segundo a Fecomércio e a assessoria do governo, já está nas mãos do governador, que vai submeter o planejamento para análise do comitê somente hoje, 9. A expectativa é de que o anúncio da retomada ou da manutenção do lockdown se dê entre o fim da tarde e o começo da noite desta sexta-feira.

Logo quando o lockdown foi prorrogado, ainda em março, a Fecomércio-CE apresentou uma proposta de reabertura na qual escalonava os horários de entrada e saída dos funcionários de lojas de rua, shoppings e restaurantes. A preocupação era, principalmente, com o fluxo de pessoas no transporte público, vide as lotações observadas nos terminais e ônibus da Capital desde o ano passado. O planejamento, segundo Filizola, serviu de base para o planejamento elaborado juntamente com os representantes do governo estadual.

"Nós estamos aguardando o posicionamento do grupo de trabalho que levou nossa proposta apresentada ao governo. Com a sinalização do governador (na semana passada), há grande possibilidade de segunda-feira a gente está com o comércio aberto. A nossa expectativa é justamente essa: de o governo cumprir com essa determinação", completou.

Já a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes no Ceará (Abresel-CE) pleiteava a confirmação ou não da retomada pelos empreendimentos que representa ainda ontem, 8, para que os empresários pudessem se preparar para reabrir as portas, avisando aos funcionários e comprando os insumos. Mas isso não foi atendido.

A Abrasel pede, no projeto enviado ao governo na última terça-feira, 6, a reabertura de restaurantes já na primeira semana da retomada, "com as devidas restrições", por considerar o serviço essencial para os demais setores que voltam ao trabalho.

O objetivo da Abresel junto ao comitê é conseguir autorização para o funcionamento até 23h, "vide que o horário noturno é o de maior faturamento para o setor".

Essa notícia foi relevante pra você?
Recomendada para você

"