Logo O POVO Mais
Economia

Ceará terá a primeira usina de hidrogênio verde do País

| Operação em 2022 | Confirmada pelo governador Camilo Santana e o presidente da EDP Energias do Brasil, João Marques, a Pecém H2V deve operar já em 2022
Edição Impressa
Tipo Notícia Por
Usinas de hidrogênio verde devem ser instaladas na ZPE do Ceará, próximas ao Porto do Pecém (Foto: Divulgaçao)
Foto: Divulgaçao Usinas de hidrogênio verde devem ser instaladas na ZPE do Ceará, próximas ao Porto do Pecém

O Governador do Ceará, Camilo Santana (PT), anunciou a construção de uma planta de hidrogênio verde em parceria com EDP Energias do Brasil S/A no Complexo do Pecém, em live nas redes sociais ontem, 1º de setembro. Será a primeira usina de hidrogênio verde do Brasil, a ser instalada no Estado até o fim de 2022, em área da Zona de Processamento da Exportação (ZPE Ceará) e com investimento de R$ 41,9 milhões.

"O Ceará está se tornando a casa do hidrogênio verde. Estive reunido nesta tarde com a diretoria da EDP do Brasil. A empresa anunciou a instalação de um projeto piloto para implantação de uma usina de hidrogênio verde no Complexo Industrial e Portuário do Pecém", comemorou o governador nos perfis que tem na internet.

Camilo Santana estava na companhia de João Marques, CEO da EDP Brasil, uma das maiores empresas privadas do setor elétrico a operar em toda cadeia.

"Considerando que o Ceará reúne características estratégicas para protagonizar o processo de introdução do hidrogênio verde no País, seja por seu excepcional potencial solar e eólico – fundamental para a produção do gás – seja por sua localização e pela oferta de excelente infraestrutura para o escoamento desse produto ao mercado internacional, elegemos o estado para abrigar nossa primeira planta de hidrogênio verde no Brasil", ressaltou o executivo.

Na primeira entrevista de Marques à imprensa brasileira, dada com exclusividade ao O POVO, ele mencionou o desejo da companhia em investir em hidrogênio verde no Ceará. 

Sendo a primeira usina de produção desse tipo de hidrogênio no Brasil, o projeto serve como piloto para novos investimentos no Estado, cujos memorandos de entendimento entre o governo e as companhias já foram assinados.

A EDP é quem opera a termoelétrica a carvão do Pecém, gerando em torno de 740 megawatts (MW), quase metade do consumo de energia do Ceará, formalizando mais de 350 empregos diretos no Porto do Pecém. A nova usina tem capacidade de 3 megawatts (MW) e um módulo eletrolisador de última geração para produção do combustível com garantia de origem renovável, com perspectiva de começar a operar em dezembro de 2022.

 

Essa notícia foi relevante pra você?
Recomendada para você

"