Politica

"Devemos governar para todos", diz Camilo sobre comentário de Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro disse ontem, em sua página oficial, no Twitter que não fez crítica ao povo nordestino
Edição Impressa
Tipo Notícia

Sem citar o presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), o governador Camilo Santana (PT) se manifestou nas redes sociais exaltando o Nordeste. No texto, ele também ressalta que as eleições terminaram e é hora de "governar para todos, deixando para trás as diferenças."

Na última sexta-feira, 19, Bolsonaro se referiu aos governadores do Nordeste como "governadores de Paraíba" durante conversa informal com o chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. "Daqueles governadores de 'paraíba', o pior é o do Maranhão". Ele nega. Argumenta que fez "uma crítica ao governador do Maranhão e da Paraíba. Vivem me esculhambando", disse.

Camilo Santana afirma ainda que o Nordeste está unido e que o País precisa fazer o mesmo. "Chega de ódio e intolerância! Tenho muito orgulho do meu Ceará, do meu Nordeste e muito amor pelo meu país."

O demais governadores da região se manifestaram sobre o caso. No centro da crítica de Bolsonaro, Flávio Dino (PCdoB) já havia dito que a "cabeça dele é movida pelo confronto, e o coração, infelizmente, está possuído de ódios." Já o governador de Alagoas, Renan Filho (MDB), disse que democracia, federação e respeito são conceitos incompatíveis com visão pequena, mesquinha.

Leia também: Moro cita ajuda ao Ceará como exemplo de que Bolsonaro não discrimina Nordeste

O Colegiado de presidentes de Assembleias Legislativas dos Estados do Nordeste (ParlaNordeste) recebeu com "repulsa" e chamou de preconceituosas as declarações do presidente Jair Bolsonaro, que se referiu aos governadores da região com o termo "paraíbas".

"O Colegiado de Presidentes de Assembleias Legislativas dos Estados do Nordeste (ParlaNordeste) recebeu, com repulsa, as declarações preconceituosas do presidente da República, Jair Bolsonaro", disse a entidade em nota.

O colegiado destaca ainda que a região é a terceira maior economia do País e que seus 53 milhões de habitantes têm orgulho de viver "não só na Paraíba, mas também, no Maranhão, em Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia, Rio Grande do Norte, Ceará e Piauí. 

Ontem, em sua página oficial no Twitter, Bolsonaro voltou a dizer que não fez nenhuma crítica ao povo nordestino. "'Daqueles GOVERNADORES... o pior é o do Maranhão'. Foi o que falei reservadamente para um ministro. NENHUMA crítica ao povo nordestino, meus irmãos."

O presidente ainda ironizou o general da reserva Luiz Rocha Paiva, que chamou o comentário de Bolsonaro de "antipatriótico" e "incoerente".

"Mas o melhor de tudo foi ver um único general, Luiz Rocha Paiva se aliar ao PCdoB de Flávio Dino, para me chamar de antipatriótico. Sem querer descobrimos um melancia, defensor da Guerrilha do Araguaia, em pleno século XXI".

Bolsonaro deverá ter agenda no Nordeste na próxima terça-feira, 23, quando participará da inauguração do Aeroporto Gláuber Rocha, em Vitória da Conquista.

Nota

"Exigimos respeito e não abriremos mão do cumprimento dos deveres do Governo Federal para com a nossa região", diz trecho da nota divulgada pela O Colegiado de presidentes de Assembleias Legislativas dos Estados do Nordeste (Parla Nordeste)

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais