Politica

Ciro Gomes e Dilma protagonizam duro embate nas redes sociais

| EX-ALIADOS | Ciro e Dilma trocaram pesadas críticas após o pedetista dizer que Lula "conspirou" pelo impeachment da petista em 2016
Edição Impressa
Tipo Notícia Por
DILMA retrucou ataques do pedetista (Foto: Yuri Cortez / AFP)
Foto: Yuri Cortez / AFP DILMA retrucou ataques do pedetista

Dias após propor "trégua" com petistas por atos contra Jair Bolsonaro (sem partido), o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) voltou a protagonizar embates com líderes do PT nas redes. Na tarde de ontem, foi a vez de Dilma Rousseff virar alvo do pedetista, que acusou o ex-presidente Lula de ter "conspirado" pelo impeachment da petista em 2016. Em resposta, Dilma acusou Ciro de "mentir de maneira descarada" e de atacar o PT de olho em ganhos eleitorais.

Leia também: Ataques entre Ciro e Dilma não repercutem, "por enquanto", na aliança do Ceará

"Hoje eu estou seguro que o Lula conspirou pelo impeachment da Dilma, estou seguro", disse Ciro, em entrevista ao Estadão Notícias, ao falar sobre recente reaproximação entre o ex-presidente e lideranças nacionais do MDB que conduziram o impeachment da petista. Minutos depois, a fala foi respondida pela própria Dilma no Twitter, iniciando um bate-boca entre os dois e militantes do PT e PDT.

 "Eu atuei contra o impeachment e quem fez o golpe foi o Senado Federal. Quem presidiu o Senado? Renan Calheiros. Quem liderou o MDB nessa investida? O Eunício Oliveira. Com quem o Lula está hoje?", disse Ciro, em entrevista ao Estadão Notícias. Depois, o pedetista disse que chegou a escrever, a pedido de Dilma, um documento de cerca de 15 páginas se manifestando contra o impeachment, que teria sido "jogado fora" por aliados de Lula.

"O meu irmão (o senador Cid Gomes), que também estava lutando [contra impeachment] me chamou e falou assim: 'Será que esses caras querem impedir o impeachment?'. Agora estou seguro que eles estavam colaborando pelo impeachment da Dilma, porque nas eleições de 2018 o Lula estava com o Renan Calheiros e queria que eu me envolvesse nisso, eu que fui para as ruas, e era muito impopular defender a Dilma. Agora os amigos do peito são eles? Nunca mais", questionou.

CIRO voltou a disparar contra petistas(Foto: Thaís Mesquita)
Foto: Thaís Mesquita CIRO voltou a disparar contra petistas

Logo após a publicação da entrevista, Dilma subiu o tom contra as falas de Ciro no Twitter, acusando a declaração de integrar estratégia do pedetista para buscar visibilidade para as eleições de 2022. "Ciro Gomes está tentando de toda as formas reagir à sua baixa aprovação. Mais uma vez, mente de maneira descarada, mergulhando no fundo do poço".

"O problema, para ele, é que usa este método há muito tempo e continua há quase uma década com apenas 1 dígito nas pesquisas", continuou Dilma. Resposta de Ciro veio em "tréplica" também pelo Twitter, onde o pedetista disse nunca ter mentido na vida.

"Mas errei algumas vezes", completa. "Uma delas quando lutei contra o impeachment de uma das pessoas mais incompetentes, inapetentes e presunçosas que já passaram pela presidência. Claro que estou falando de você, Dilma (...) para alívio de consciência, na época do impeachment eu não estava defendendo seu mandato em si mesmo, mas a integridade do cargo que você toscamente ocupava", continua o pedetista.

Dilma respondeu mais uma vez o pedetista: "Só Ciro Gomes é competente. Este é o pecado de sua enorme presunção. Esta é a sua visão quando se trata de avaliar o resto da humanidade. Mas quando se trata de mulher, sua visão não é só inadequada, é também profundamente misógina", disse.

DILMA retrucou ataques do pedetista(Foto: Yuri Cortez / AFP)
Foto: Yuri Cortez / AFP DILMA retrucou ataques do pedetista

Para o cientista político Cleyton Monte, professor da Universidade Federal do Ceará (UFC), as críticas de Ciro são parte da já conhecida estratégia do pedetista em crescer como candidato de "terceira via", buscando parcela do eleitorado que rejeita tanto Lula quanto Jair Bolsonaro.

"Essa fala mirando na Dilma é emblemática, porque sempre algumas lideranças da direita usavam o movimento do Ciro na época do impeachment para atacar ele. Como ele foi contra o impeachment, chamou de golpe, esse fato é sempre usado por nomes da direita, figuras do Centro democrático até, para mirar no Ciro para dizer que ele seria uma 'esquerda meio arrependida', mas que ainda estaria ligada", destaca.

Cleyton afirma ainda que os ataques constantes também buscariam evitar uma redução na rejeição de Lula, o que vem sendo apontado em pesquisas recentes.

 

 

Militância

Embate entre Ciro e Dilma foi dos assuntos mais comentados ontem nas redes sociais, com dezenas de políticos do PT e do PDT se manifestando sobre o caso

 

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais