Vida & Arte

Flávio Paiva lança livro sobre história de Independência neste domingo, 6

Na busca pelas origens de sua terra natal, Flávio Paiva escreveu "Toque de Avançar. Destino: Independência". Publicação será lançada neste domingo, 6
Edição Impressa
Tipo Notícia Por
Flávio Paiva em Caxias, no Maranhão, durante expedição para elaboração do livro 'Toque de Avançar' (Foto: Lucas Paiva)
Foto: Lucas Paiva Flávio Paiva em Caxias, no Maranhão, durante expedição para elaboração do livro 'Toque de Avançar'

Independência, município do interior do Ceará, ganhou este nome em homenagem a um rio que cruzava a região. É uma explicação amplamente aceita no campo da toponímia, responsável pelos estudos das denominações geográficas. Há, entretanto, uma sensação de estranheza quando o assunto é analisado de maneira mais profunda. Os mapas nunca registraram a existência de uma corrente de água com a mesma designação, e os moradores sequer têm conhecimentos sobre o assunto. Tornou-se mais uma parte da história que se consolidou nas lacunas da memória. A partir dessa busca por um significado, o escritor e colunista do O POVO, Flávio Paiva, lança o livro "Toque de Avançar. Destino: Independência" neste domingo, 6 de dezembro.

A provocação para pesquisar o tema surgiu com o questionamento de uma criança no bairro Vila Velha, em Fortaleza. O autor divulgava a obra "Fortaleza: de dunas andantes a cidade banhada de sol" quando um menino perguntou porque havia escolhido a Capital se nasceu em um município do interior. "Argumentei que tinha vontade de escrever um livro sobre Independência, mas falei da dificuldade de fontes de pesquisa e que, a bem da verdade, eu não sabia nem porque aquele lugar tinha o nome que tem", lembra. A resposta saiu no momento, mas a questão perdurou.

Leia também | 30º Cine Ceará começa neste sábado, 5, com programação na TV, internet e no São Luiz

Flávio Paiva teve uma infância sem conhecimento sobre a própria história do lugar aonde cresceu. "Resolvi procurar por essa origem e deparei com grandes fatos da história do Brasil, protagonizados por nativos, negros e caboclos cearenses, piauienses e maranhenses unidos por aspirações de liberdade", explica. Descobriu que, naquela terra que há quase dois séculos se chamava Pelo Sinal, um grupo de pessoas dos três estados se uniu para lutar contra o exército de Portugal. Neste novo universo de saberes, o nome da cidade começou a extrapolar os limites de um rio desconhecido.

Na busca por resgatar essa história, Flavio montou a Expedição Alecrim e ao lado do amigo e escritor piauiense Augusto Rocha, e do próprio filho, Lucas Paiva, percorreram cenários importantes de alguns dos acontecimentos, como Campo Maior, no Piauí, e Caxias, no Maranhão. A viagem aconteceu em fevereiro deste ano, logo antes do início da pandemia do novo coronavírus. Com entrevistas e pesquisas bibliográficas que realizou durante o mês, escreveu o texto ainda no começo da quarentena. O resultado ganha publicação agora pela editora Armazém da Cultura. Na ocasião do lançamento, neste domingo, uma videoconferência gravada entre o autor e convidados como o ilustrador Valber Benevides, a Editora Albanisa Dummar, e o compositor Edvaldo Santana será disponibilizada no canal de Flávio Paiva no YouTube. Também será lançado o videoclipe "Toque de Avançar".

Leia também | Mostra Fabulações no Real realiza debate com Jorge Bodanzky, Orlando Senna e João Moreira Salles

Após se aprofundar na história da cidade em que nasceu, o escritor iniciou um processo de valorização da memória de seus antepassados. "Com o livro, pretendo, antes de tudo, contribuir para que meus conterrâneos percebam que Independência não é apenas um lugar, mas é uma ideia substancial de busca destemida do bem viver com dignidade, senso de justiça e força transformadora", explica. E o nome "Toque de Avançar" não foi escolhido por acaso. A expressão de guerra demonstra a determinação de ir para frente, de derrotar o inimigo apesar das dificuldades. "O maior inimigo da independência brasileira, que ainda não se consolidou, são os filtros da derrota, da inferioridade, da impotência e do modelo mental de colonizado que insistem em impedir que acreditemos em nós mesmos", indica o autor.

Entre a poesia e a realidade, o público juvenil adentra a trajetória das gerações passadas, porque Independência não é somente um rio. O significado dessa cidade carrega as marcas - por vezes tão esquecidas - de um povo que lutou pela autonomia brasileira.

Toque de Avançar. Destino: Independência

Quanto: R$ 50

150 páginas

À venda no site da editora

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais