Reportagem Especial

Um ano de experiências para o leitor e para o jornalismo

1 ANO DO OP+ | Neste 13 de maio, a plataforma multistreaming O POVO+ completa um ano de lançamento. Com reconhecimento internacional em prêmio e muitos planos para o futuro, o ano foi de consolidação da identidade do OP+ e linguagem dos conteúdos

Um ano de experiências para o leitor e para o jornalismo

1 ANO DO OP+ | Neste 13 de maio, a plataforma multistreaming O POVO+ completa um ano de lançamento. Com reconhecimento internacional em prêmio e muitos planos para o futuro, o ano foi de consolidação da identidade do OP+ e linguagem dos conteúdos
Tipo Notícia Por

 

Já há algumas décadas, as transformações no mundo da comunicação desafiam os modelos de informar e de gestão. Aqui no Ceará, um projeto lançado pelo O POVO, há um ano, vem se consolidando como alternativa inovadora e ganhando reconhecimento. Toda boa ideia surge de uma inquietude para resolver um problema. E o problema do Jornalismo é o seguinte: a publicidade já não é suficiente para manter um negócio saudável e independente. Quando a internet se “popularizou” - ou quase isso, pois ela ainda é inacessível para um a cada quatro brasileiros -, mudou não apenas a forma de consumir informação, mas o próprio negócio. As publicidades começaram a se vaporizar em uma imensidão de veículos, formais ou informais.

Da mesma maneira, a adesão aos portais de notícia online, até então gratuitos, foram reduzindo a compra de jornais impressos. Assim, criaram-se esquemas de assinaturas para os portais jornalísticos, garantindo aos assinantes conteúdos exclusivos. Nesse esquema, disponibilizaram-se pdfs dos jornais impressos e reportagens mais aprofundadas. Mas para O POVO não parecia suficiente.

Foi então que, em uma noite de 2018, André Filipe Dummar, diretor de Estratégia Digital do O POVO, teve um momento de “eureca”. “É isso!” - disse. E pulou da cama, pegou um caderno e começou a rascunhar. Foram folhas e mais folhas preenchidas com as ideias de Filipe, que no dia 13 de maio de 2020 viriam a ser lançadas como O POVO+ (OP+) - a primeira plataforma multistreaming de Jornalismo e Cultura da América Latina.

 

Claro, a solução surgiu de muito estudo e criatividade. Filipe passou anos estudando sobre o futuro do jornalismo local, modelos de monetização, análise comportamental de consumo e streamings. Igualmente, buscou exemplos que fossem fortes em algumas dessas áreas, como The Washington Post, New York Times, e Boston Globe. Também entram na lista de inspirações a Netflix, o Spotify e a Amazon Prime Video.

Antes de completar um ano, OP+ comprovou seu potencial ao receber o primeiro lugar na categoria "Best Paid Content Strategy" (melhor estratégia em conteúdo pago) da 6ª edição do Prêmio Latam Wan-Ifra Digital Media Awards. Essa é uma das mais importantes premiações do jornalismo digital da América Latina e com projeção mundial.

 

 

O que torna OP+ o melhor

 

“Nós somos a partir do Ceará”, explica Filipe Dummar. Aí está a essência para a ideia do OP+ já começar boa. O regionalismo é o principal diferencial competitivo do O POVO, que há 93 anos investiga e apresenta todas as facetas da vivência cearense. “Sempre foi uma marca de vanguarda porque nós escutamos o povo”, reforça o diretor de Estratégia Digital.

Ao escutá-lo e compreendê-lo, surgiu a ideia de centralizar em uma só plataforma as múltiplas experiências de consumo de informação. Além disso, ficou claro que essa abordagem teria que ser nativa digital, usando e abusando do jornalismo digital, interativo e imersivo; como a internet pede e permite.

 

“O jornalismo digital é interessante porque enriquece a compreensão da informação. Como é enriquecedor você ter esse tipo de conteúdo que possibilita desenvolver as próprias habilidades como leitor”, reflete Regina Ribeiro, editora do OP+.

Tanto ela, quanto a editora-chefe Fátima Sudário compreendem que os recursos interativos favorecem diferentes experiências aos leitores. “No OP+, você se permite aculturar em um novo universo de possibilidades infinitas”, reforça Fátima. Esse mundo a se explorar é especialmente desafiador para a equipe de conteúdo, responsável por traduzir informação de maneira inovadora e criativa.

 

Os princípios jornalísticos de apuração e ética permanecem os mesmos, mas a exibição do conteúdo requer do jornalista habilidades variadas. Desde que o OP+ começou, o reconhecimento da plataforma e suas singularidades aumentou entre leitores e os próprios jornalistas da casa.

"O POVO tem uma longa tradição no jornalismo digital. O portal O POVO Online tem 23 anos, um dos primeiros do País, inclusive", comenta Erick Guimarães, diretor executivo de Jornalismo do OP. Segundo ele, o OP+ vai além da "simples notícia" e oferece conteúdos aprofundados, históricos e personalizado. 

A plataforma possibilita que os jornalistas da casa exerçam um jornalismo de qualidade, que permite explorar novas linguagens e formas de narrativa. "Isso sem dúvida é algo muito importante para quem faz O POVO", reflete Erick. O leitor também ganha muito com isso, tendo acesso a conteúdos diferentes e mais sofisticados.

Fachada do Jornal O POVO, VAIDARCERTO, em epoca de COVID-19.
Foto: Aurelio Alves
Fachada do Jornal O POVO, VAIDARCERTO, em epoca de COVID-19.
 

 

Somado ao jornalismo

 

Desde quando foi lançado, há um ano, O POVO+ mudou muito. Passou por processo de categorização dos conteúdos, a fim de melhorar a navegação dos leitores, ofereceu novo produto editorial - os Web Stories - e adequou funções invisíveis, mas fundamentais.

Uma das líderes desse processo é Brenda Câmara, gerente de Produto e UX Designer. A equipe de Brenda é responsável por analisar cada seção do OP+, procurando maneiras de melhorar as experiências do usuário; além de desenvolver, em parceria com a equipe de Conteúdo, novos formatos de consumo de informação e cultura.

Foi assim que surgiu o Web Stories, que tem uma lógica parecida com a dos stories do Instagram: slides rápidos, com textos curtos, linguajar informal e foco nas imagens. Lançado em fevereiro de 2021, a vertical já acumula 36 web stories (até a primeira semana de maio) sobre temas diversos, como cultura, entretenimento, esportes, ciência e saúde, história e comportamento.

 

“O OP+ é muito plural. Hoje você vê que para determinados tipos de conteúdos você tem o Kindle, o Spotify… Tudo isso tem no OP+, incluindo o jornal e as reportagens. Também por isso, é desafiador no dia a dia manter tudo funcionamento como deveria”, explica Brenda. Munidos de dados de consumo dos leitores, é possível identificar o que é bem recebido e o que ainda precisa ser mais chamativo. “O OP+ não é o mesmo que a gente lançou há um ano”, orgulha-se a UX Designer.

“Nós somos um time muito apaixonado pelo OP+”, ri Brenda. Para ela, essa é uma das razões para o sistema evoluir e apresentar bons resultados. Assim como as editoras Regina e Fátima, a equipe de Produto também é leitora.

Por exemplo: há, na equipe, quem ama todo conteúdo sobre dinossauros. Assim, toda vez que se publica uma reportagem especial, vídeo ou web stories sobre o assunto, Brenda logo encaminha para a equipe - que, consequentemente, lê, analisa e sugere aperfeiçoamentos.

Plataforma O POVO+ foi vencedora em uma das mais importantes premiações do jornalismo digital da América Latina.
Foto: BARBARA MOIRA
Plataforma O POVO+ foi vencedora em uma das mais importantes premiações do jornalismo digital da América Latina.

 

 

 O futuro

 

O caminho à frente é feito de promessas. Ainda há muito a melhorar no OP+, assim como existem muitos desejos. Para a equipe de Produto, liderada por Brenda, o sonho é desenvolver uma linguagem completamente original para a plataforma. Já a equipe de Conteúdo, encabeçada por Fátima e Regina, foca na qualidade da informação e em manter produções que tragam boas histórias e boas análises, que  conquistem novos leitores e encantem os que já estão na plataforma.

Para Filipe Dummar, o objetivo é ampliar os canais de distribuição do O POVO+ e aumentar o portfólio de produtos. “O segundo ano tem tudo para quebrar a banca”, brinca o diretor de Estratégia Digital. 

Como o dia 13 de maio é de comemoração, nada mais adequado do que desejar uma boa caminhada para a plataforma: "Eu desejo que o OP+ continue em transformação, vivendo fortemente essa aventura de fazer jornalismo, que não pare de testar novas linguagens e que ele se torne cada vez mais importante no dia a dia do leitor", discursou o diretor executivo de Jornalismo, Erick Guimarães. Sopradas as velas, que venha mais um ano.

 

Essa notícia foi relevante pra você?

Conteúdo exclusivo para assinantes

Conteúdo exclusivo

Saiba mais

Estamos disponibilizando gratuitamente um conteúdo de acesso exclusivo de assinantes. Para mais colunas, vídeos e reportagens especias como essas acesse sua conta ou assine O POVO +.

Logo O POVO Mais