Logo O POVO+
Burle Marx pelos jardins de Fortaleza
Reportagem Especial

Burle Marx pelos jardins de Fortaleza

Um dos grandes expoentes do modernismo brasileiro e mundial, Burle Marx tem sua obra espalhada também pela capital cearense. Onde vê-la e como apreciá-la?

Burle Marx pelos jardins de Fortaleza

Um dos grandes expoentes do modernismo brasileiro e mundial, Burle Marx tem sua obra espalhada também pela capital cearense. Onde vê-la e como apreciá-la?
Tipo Notícia Por

 

 

Acordamos antes do sol para aproveitar o Centro ainda silencioso, às seis da manhã, e ouvir com atenção o que a arquiteta e urbanista Fernanda Cláudia Rocha e a jornalista Izabel Gurgel tinham para nos explicar sobre o jardim projetado pelo paisagista Roberto Burle Marx no Theatro José de Alencar (TJA). O que vemos hoje, na verdade, é a segunda versão do projeto, de 1990, já que o primeiro (de 1973) incluía até espelhos d’água.

Burle Marx em expedição no Equador, em 1974(Foto: Luiz Knud Correia de Araújo/Arquivo de Luiz Antonio Correia de Araújo)
Foto: Luiz Knud Correia de Araújo/Arquivo de Luiz Antonio Correia de Araújo Burle Marx em expedição no Equador, em 1974

Lá, olhamos de cima a baixo, analisando o desenho da copa das árvores até o redondo-quadrado ilustrado pelo paisagista. Ouvimos histórias sobre as plantas, os problemas solucionados na segunda versão do jardim e a tristeza de poucos conhecerem, de fato, uma das obras de arte de Burle Marx.

Nascido em 1909, num 4 de agosto, em São Paulo, Roberto Burle Marx é um dos grandes paisagistas do século XX. Artista plástico de formação, Marx se apaixonou pela vegetação brasileira quando viveu na Alemanha (o pai Friederich Marx era judeu alemão, enquanto sua mãe, Cecilia Burle, era franco pernambucana), o que o influenciou a ser um defensor do meio ambiente e da valorização das plantas nativas como decorativas.

Em 2022, Burle Marx completaria 113 anos. Na visita ao jardim do TJA, a professora Fernanda afirmou até que, não fosse o câncer no abdômen, ele seguiria ativo mesmo nessa idade. Para comemorar a memória do paisagista, O POVO+ preparou um material interativo perpassando sua obra. Além disso, o setor do Audiovisual do OP+ trará um documentário especial sobre Burle Marx.

Enquanto aguardamos, vale a pena relembrar sua história, obras e saber onde, em Fortaleza (CE), podemos mergulhar nos jardins burlesquianos.

 

 

Burle Marx com o passar dos anos

 

 

Burle Marx, artista plástico

Burle Marx é artista plástico formado pela Escola de Belas Artes do Rio de Janeiro. Foi um dos expoentes do modernismo no Brasil e "um dos primeiros a usar plantas nativas em projetos paisagísticos nos anos 30", explica o Instituto Burle Marx.

Mesmo não sendo arquiteto, a formação de Roberto foi essencial para cunhar a "estética singular" que ele aplicava nos jardins que projetou.

“Todas as áreas são importantes para mim: paisagismo, tapeçaria, design de joias, desenho, pintura, botânica. Uso todos como um poeta buscando palavras. E é com isso que me esforço mais. Eu não vou fazer uma pintura que é um jardim. Sem dúvida a pintura e as outras expressões artísticas influenciaram todo meu conceito de arte. Mas eu tento sempre evitar fórmulas. Eu odeio fórmulas. Eu amo os princípios”. – Roberto Burle Marx

 

Algumas obras do artista

Ao passar o mouse nas fotos, o título da obra aparecerá. Clique na imagem para ampliá-la:

 

 

 

O paisagismo de Burle Marx

Definitivamente é o paisagismo que mais marca o nome de Burle Marx. Com mais de 2 mil projetos assinados no Brasil e no mundo, vale a pena olhar vários detalhes ao visitar os jardins projetados por ele. Em Fortaleza, alguns destaques são o TJA, a Receita Federal, o Paço Municipal e os jardins na sede do Banco do Nordeste do Brasil (BNB), no Passaré.

Primeiro, é apreciar a vegetação. A maioria deve ser reconhecível. No Ceará, por exemplo, muitas palmeiras, cajueiros, abricós-de-macaco, paus-ferro, ipês, jacarandás… E flores como a vinca-pendente, a tumbérgia-azul, os pequenos crinos-brancos e gramas-tostão. Todas essas fizeram ou fazem parte do jardim do Theatro José de Alencar.

O jardim do Theatro José de Alencar é uma  das marcas públicas do paisagista deixadas em Fortaleza(Foto: Samuel Setubal/ Especial para O Povo)
Foto: Samuel Setubal/ Especial para O Povo O jardim do Theatro José de Alencar é uma das marcas públicas do paisagista deixadas em Fortaleza

Outros pontos de análise podem ser os desenhos no chão. No teatro, as crianças são as primeiras a perceberem os círculos e quadrados que constroem todo o piso cinza e vermelho do jardim. A graça é passear pelas formas enquanto o vento bate no cabelo ou o sol toca os ombros.

Em outros locais, como os canteiros projetados por Roberto na Receita Federal de Fortaleza, o chão contrasta pedrinhas acinzentadas com outras quase pretas, ilustrando linhas que podem até guiar os interessados em entrar no Ministério da Fazenda.

 Jardim de Burle Marx no Theatro José de Alencar
Jardim de Burle Marx no Theatro José de Alencar (Foto: Samuel Setubal/ Especial para O Povo)

Por último, não tenha medo: toque em tudo. Na casca das árvores, (delicadamente) nas pétalas das flores e folhas grandes e pequenas. Texturas, cheiros, cores, tamanhos. Tudo foi planejado por Burle Marx e não só podem, como devem, ser apreciados.

Mas onde? Aqui vai um roteiro de projetos de Burle Marx por Fortaleza. Não foram incluídos os projetos não executados, nem os já demolidos.

abrir

Onde visitar Burle Marx em Fortaleza

Clique nas imagens e explore alguns dos jardins projetados por Roberto Burle Marx na Capital. Acesse também a lista com jardins privados. 

O que você achou desse conteúdo?

Conteúdo exclusivo para assinantes

Conteúdo exclusivo

Saiba mais

Estamos disponibilizando gratuitamente um conteúdo de acesso exclusivo de assinantes. Para mais colunas, vídeos e reportagens especias como essas acesse sua conta ou assine O POVO +.