Alan Neto
clique para exibir bio do colunista

Colunista do O POVO, Alan Neto é o mais polêmico jornalista esportivo do Ceará. É comandante-mor do Trem Bala, na rádio O POVO/CBN e na TV Ceará. Aos domingos, sua coluna traz os bastidores da política e variedades.

esportes
NOTÍCIA

Fortaleza dá vexame na reta final do Brasileirão 2020

Colunista Alan Neto avalia goleada sofrida pelo Fortaleza contra o Bahia na penúltima rodada do Campeonato Brasileiro
FORTALEZA,CE, BRASIL, 20.02.2021: Jogo pelo capeonato brasileiro série A, Fortaleza vs Bahia. arena Castelão. (Fotos: Fabio Lima/O POVO)
FORTALEZA,CE, BRASIL, 20.02.2021: Jogo pelo capeonato brasileiro série A, Fortaleza vs Bahia. arena Castelão. (Fotos: Fabio Lima/O POVO)

. INDEPENDENTE da chamada combinação de resultados, conta e risco do empate do Vasco e Corinthians (0x0) que deu sobreviva ao Fortaleza pra sonhar em continuar no Brasileirão; apesar da ajuda do jogo entre Goiás x RB Bragantino (0x0), realizado duas horas depois; a acachapante goleada para o Bahia (4x0), foi um vexame para o Leão do tamanho de um abismo.

. TRICOLOR deverá permanecer no Brasileirão salvo no penúltimo ou último gongo. Contudo, a nódoa dos 4x0 para o Bahia vai permanecer por longo tempo na história tricolor. Sem querer tirar o mérito da vitória do Bahia, mas precisava ser daquele tamanho? Deitando e rolando no Castelão?

. FORTALEZA não jogou, absolutamente nada. Fez sua pior atuação dos últimos tempos, deixando o Bahia inteiramente a vontade. Como se estivesse na Fonte Nova sua casa, à vontade durante toda a partida. Uma goleada que começou a ser construída no primeiro tempo quando Rodriguinho abriu o placar. Estava aberto ali o caminho para o vergonhoso 4x0.

BANDO DE DESCONHECIDOS

. PIOR em tudo isso é que o Fortaleza, de tão apático, não teve qualquer poder de reação. Limitou-se a ver o Bahia dar seu espetáculo humilhante. O Tricolor baiano foi ao Castelão preparado pra vencer. O Tricolor cearense esteve no mesmo local, preparado, isto sim, para perder.

. O QUE se viu em campo foi um time, caso do Bahia, disposto a salvar sua pele e permanecer no Brasileirão através de uma vitória. Enquanto do outro lado viu sua vida facilitada pela inércia que tomou conta do Fortaleza. Impressão que se teve é a de que aquele time leonino jamais havia atuado junto, escalado ali pela primeira vez, sem que os jogadores conhecessem uns aos outros.

EXPLICA? JUSTIFICA?

. POR acaso, alguma explicação para tudo aquilo? Nenhuma. Alguma justificativa? Pior ainda. Fortaleza jogou abaixo de todas as críticas, aquele tipo de jogo em que nada deu certo. Nem daria, tamanha a apatia dos jogadores em campo. Até desconhecendo jogar em casa e que a situação do Bahia era, quase, idêntica a dele.

. O QUE terá se passado, então? Há coisas no futebol insondáveis. Enderson Moreira não mexeu na escalação que vencera Vasco e Coritiba, exceção de Igor Torres, cuja ausência ali, em, nada acrescentou. Seria muita petulância achar que a goleada foi por conta da sua ausência.

. O QUE faltou de inspiração e transpiração ao Fortaleza, no Bahia excedeu com um jogador como Rodriguinho que fez toda diferença nas quatro linha. O que não é nenhuma surpresa por ser um jogador tarimbado, que vestiu grandes camisas e sempre se destacou por onde passou. Como foi parar no Bahia? Aí é outra história.

. SOME-SE a isso ter o Bahia um time bem cuidado tecnicamente e taticamente extrapolando com um futebol em alta velocidade, dando uma canseira daquelas no adversário. O poder de fogo do Fortaleza sumiu, sua meia cancha não marcou ninguém e a defesa uma tábua de pirulito tantos os buracos abertos.

DUAS AVENIDAS

. O QUE todos perceberam cedo, o técnico Enderson Moreira não enxergou um palmo adiante do seu nariz. Como assim? As duas laterais, especialmente o fraco Bruno Melo, foram duas avenidas escancaradas. Principalmente para Nino Paraíba que trafegou pela esquerda como bem quis e entendeu. Bruno Melo parecia morto dentro do calção.

. PRA completar, as mudanças feitas por Enderson Moreira não deram resultado. Mexeu no que estava errado e continuou errando pois nada acrescentou em rendimento positivo do time tricolor.

GALINHA MORTA

. BAHIA encontrou no Fortaleza uma galinha morta pra construir sua goleada sem dificuldades. Tricolor que levante as mãos para os céus por ter pedido de 4x0 quando merecia ter sido de muito mais. Pediu pra perder. Pediu pra ser goleado e foi prontamente atendido, com juros e correção.

SUL-AMERICANA NO PAPO

. CEARÁ foi ao Paraná, venceu o Coritiba por 2x0, sem muita dificuldade, confirmando seu favoritismo. Carimbar o passaporte, já estava quase carimbado, pra desembarcar na Sul-Americana com todos os méritos.

. DIFERENÇA entre os dois rivais da terra é que o Ceará formatou um time vencedor e saiu atropelando quem encontrou pela frente. O Fortaleza perdeu-se no meio do caminho e nunca mais se achou. Foi uma sucessão de erros infantis cometidos seguidamente.

. TODOS têm culpa no cartório do Pici. Sem livrar cara de ninguém. Do presidente ao roupeiro. Lições para 2021.

 

LEIA MAIS ALAN NETO

 https://mais.opovo.com.br/colunistas/alan-neto/2021/02/20/imbroglio-sobre-jogos-no-castelao-foi-mais-uma-comedia-pastelao.html

https://mais.opovo.com.br/colunistas/alan-neto/2021/02/19/toque-de-recolher-no-estado-pos-lenha-na-fogueira-de-fortaleza-x-bahia.html

https://mais.opovo.com.br/colunistas/alan-neto/2021/02/18/sem-perda-de-tempo--ceara-se-reforca-em-contratados-e-renovados-para-2021.html

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais