Foto de João Gabriel Tréz
clique para exibir bio do colunista

João Gabriel Tréz é repórter de cultura do O POVO e filiado à Associação Cearense de Críticos de Cinema (Aceccine). É presidente do júri do Troféu Samburá, concedido pelo Vida&Arte e Fundação Demócrito Rocha no Cine Ceará. Em 2019, participou do Júri da Crítica do 13° For Rainbow.

João Gabriel Tréz cinema&série

Comédia 'À l'abordage', da Mubi, traz frescor do verão à narrativa

Longa-metragem francês 'À l'abordage' apresenta viagem de um trio improvável marcada por transformações e descobertas. Filme está disponível na plataforma Mubi
Tipo Opinião
A comédia francesa 'À L'abordage', do cineasta Guillaume Brac, está disponível na plataforma Mubi, que oferece descobertas e clássicos a partir de curadoria especializada (Foto: divulgação)
Foto: divulgação A comédia francesa 'À L'abordage', do cineasta Guillaume Brac, está disponível na plataforma Mubi, que oferece descobertas e clássicos a partir de curadoria especializada

São muitas - e diversas - as obras do cinema que apresentam tramas que se passam em um recorte do verão, de "Dirty Dancing: Ritmo Quente" (1987) a "Me Chame Pelo Seu Nome" (2017). Pensar em histórias da estação pode fazer vir à mente aspectos marcantes do período, como o calor, os contatos físicos e os encontros amorosos. Brincando com clichês e trazendo o frescor característico da estação para a narrativa, a comédia francesa "À l'abordage", de Guillaume Brac, apresenta uma viagem marcante vivida por um trio de amigos no sul da França. A obra está disponível na Mubi.

O trajeto começa em Paris, com os amigos Félix e Chérif, por iniciativa do primeiro. Envolvido por Alma - uma jovem com quem passou uma noite e que viajou logo depois para ir ao encontro da família numa cidade litorânea -, ele pretende render uma visita surpresa a ela, marcado por um espírito espontâneo e impulsivo.

Leia também | Ana. Sem título: Um filme sobre inventar e recuperar histórias

Chérif o acompanha porque, afinal, é verão - mesmo que, para pedir uma semana de folga no mercado onde trabalha, ele opte por fingir que a avó morreu e ouça do chefe uma permissão e um "mas quando sua avó morrer mesmo, não se preocupe em perguntar".

Édouard (Édouard Sulpice), Félix (Eric Nantchouang) e Chérif (Salif Cissé) são o trio improvável que divide a experiência de uma viagem transformadora(Foto: divulgação)
Foto: divulgação Édouard (Édouard Sulpice), Félix (Eric Nantchouang) e Chérif (Salif Cissé) são o trio improvável que divide a experiência de uma viagem transformadora

Já de partida, o percurso foge da "perfeição" de verão mais clichê e é marcado por tropeços, como uma comédia de erros. A dupla de amigos utiliza um aplicativo de caronas compartilhadas e quem os leva à cidadezinha é Édouard, um jovem desajeitado, retraído e "filhinho de mamãe". O choque de personalidades do trio causa momentos de humor irônico e, ao mesmo tempo, de trocas que os aproximam.

O protagonismo é inegavelmente dividido entre o trio, mas as personagens que orbitam ao redor dele são presenças tão importantes quanto, tendo também seus momentos e arcos narrativos - de fato mais sutis, mas significativos da mesma maneira para o retrato proposto pela produção.

 
 
 
Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por MUBI BRASIL (@mubibrasil)

Em entrevista à Mubi que acompanha o lançamento do filme na plataforma, o diretor Guillaume Brac explica uma das intenções de "À l'abordage": "Neste novo filme, com seu enredo simples, tentei pintar o retrato complexo de uma geração, e mostrar não a juventude - que não existe como tal - mas os jovens, focalizando os pontos de convergência e fricção dentro da mesma geração, o que une e o que separa", elabora o cineasta.

Até figuras com um "potencial antagonista" que se somam à narrativa acabam por ajudar a montar esse mosaico construído aqui, num reforço de uma das principais apostas do filme: montar e desmontar expectativas de forma precisa e cadenciada. "À l'abordage" equilibra aspectos mais esperados de um "filme de verão" com bem-vindas torções e elaborações desta ideia.

Leia também | Reencontro de uma família separada há décadas é mote do drama "Farewell Amor"

Dentre os três personagens, a motivação inicial mais explícita é a de Félix, que pretende alongar o relacionamento fugaz com Alma, mas Chérif e Édouard também trazem consigo intenções e desenvolvimentos próprios. Se o primeiro precisa aprender a viver experiências de amor e desamor inerentes à personalidade mais efusiva e intensa, os outros dois cruzam com descobertas e aberturas íntimas importantes a partir das trocas e encontros vividos na viagem.

O ator Salif Cissé interpreta Chérif, um dos protagonistas da comédia francesa 'À L'Abordage'(Foto: divulgação)
Foto: divulgação O ator Salif Cissé interpreta Chérif, um dos protagonistas da comédia francesa 'À L'Abordage'

Mais tímido e tranquilo, Chérif se aproxima de uma jovem mãe e sua bebê e, a partir desse contato, precisa aprender a lidar com as surpresas e a naturalidade da troca. Já Édouard, que constantemente se limita e retrai, se depara com possibilidades de maior liberdade e independência e busca se equilibrar neste cenário.

A jornada do trio se dá em um período específico e curto. Apesar de pequena em tempo, ela afeta de forma considerável cada um deles - e também, em certa medida, o público. Os pequenos momentos belamente filmados pelo diretor conduzem o espectador a uma experiência também marcante e positiva.

À l'abordage

Já disponível na Mubi

 

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais