Foto de Marcelo Romano
clique para exibir bio do colunista

Jornalista especializado em esportes olímpicos. Trabalhos na TV Record, Yahoo, rádios Gazeta e Eldorado em São Paulo

Favoritos e zebras olímpicas: o desempenho nos esportes coletivos

Nos esportes coletivos o Brasil foi bem no futebol masculino e no vôlei feminino. Houve decepção noutras modalidades em Tóquio
Os jogadores do Brasil (camisa amarela) reagem após vencer a medalha de ouro masculina nos Jogos Olímpicos de Futebol de Tóquio 2020 ao derrotar a Espanha por 2 a 1 na prorrogação no Estádio Internacional de Yokohama em Yokohama, Japão, em 7 de agosto de 2021. (Foto: Vincenzo PINTO / AFP) (Foto: VINCENZO PINTO / AFP)
Foto: VINCENZO PINTO / AFP Os jogadores do Brasil (camisa amarela) reagem após vencer a medalha de ouro masculina nos Jogos Olímpicos de Futebol de Tóquio 2020 ao derrotar a Espanha por 2 a 1 na prorrogação no Estádio Internacional de Yokohama em Yokohama, Japão, em 7 de agosto de 2021. (Foto: Vincenzo PINTO / AFP)

Vamos a análise dos resultados dos esportes coletivos em Tóquio. O Brasil conseguiu o bicampeonato olímpico no futebol e uma surpreendente prata no vôlei feminino. O vôlei masculino, que era a principal aposta de ouro, terminou apenas na 4ª colocação. No handebol, em grupos dificílimos, o Brasil sequer avançou ao mata-mata.

Futebol masculino: ouro do Brasil

Os dois países que tinham elencos com jogadores mais consagrados, Brasil e Espanha, fizeram a final. Brasil com uma campanha de 4 vitórias e 2 empates, incluindo o de semifinal contra os mexicanos, vencido nos penais. O México, mais uma vez mostrou seu bom desempenho com categorias de base e chegou a 2ª medalha olímpica, após o título em 2012.

Futebol feminino: ouro do Canadá

Aqui uma grande surpresa. O Canadá com uma campanha de seis gols em seis jogos chegou ao ouro. A aposta num forte esquema defensivo deu certo e as canadenses eliminaram o Brasil nas quartas e a Suécia na final, nos penais. A Suécia fez a melhor campanha com cinco vitórias, mas não superou as canadenses. Os Estados Unidos que tinham o favoritismo, também foram vítimas das canadenses na derrota de 1 a 0 nas semifinais. Garantiram o bronze diante da Austrália. O Brasil mais uma vez fez uma excelente primeira fase e parou no mata-mata.

Basquete masculino: ouro dos EUA

Os americanos apesar de não terem força máxima da NBA, levaram astros da Liga como Kevin Durant e Kevin Booker. Perderam na estreia para a França, mas terminaram com o ouro diante da própria França, o melhor dos europeus. A Austrália, também com jogadores importantes da NBA, conseguiu o 3º lugar. A atual campeã mundial Espanha, perdeu para a Eslovênia na fase de grupos e assim teve de enfrentar nas quartas os EUA, sendo eliminada.

Basquete feminino: ouro dos EUA

Seleção americana era favorita e chegou ao 7º ouro seguido. Surpresa foi a campanha da esforçada seleção japonesa, que venceu duas vezes a França e, também, eliminou a Bélgica para chegar ao vice-campeonato.

Vôlei masculino: ouro da França

Resultado inesperado. A campeã olímpica França venceu apenas 2 de 5 jogos na fase de grupos. A partir do mata-mata eliminou primeiro a bicampeã mundial Polônia, depois a Argentina e por último a Rússia. O Brasil, principal favorito ao ouro fez uma campanha irregular. Teve bons momentos como nas vitórias sobre França e EUA e outros horríveis, como no set que perdeu para a Rússia após estar vencendo por 20 a 12. O time comandado por Renan foi eliminado na semifinal pelos russos e ainda perdeu o bronze para o bom time argentino comandado por Marcelo Mendez.

Vôlei feminino: ouro dos EUA

Seleção americana era uma das três cotadas para o título e fez uma campanha excelente. Perdeu apenas um jogo na fase de grupos e, depois, venceu os três confrontos de mata-mata por 3 a 0. O Brasil entrou como 5ª força e fez uma campanha acima do esperado. Estava invicta até a final diante das americanas. A Sérvia, atual campeã mundial, terminou com o bronze.

Polo aquático feminino: ouro dos EUA

Seleção americana era tão favorita no polo-aquático feminino como no basquete feminino. Confirmou o 3º ouro seguido. Espanha, assim como nos mundiais de 2017 e 2019 foi vice. A Hungria finalmente obteve uma medalha olímpica no feminino com o bronze

Polo aquático masculino: ouro da Sérvia

Sérvios chegaram ao bicampeonato olímpico. Gregos foram a surpresa ao terminarem em 1º do seu grupo e eliminarem Montenegro nas quartas e Hungria na semifinal. Húngaros que tem a seleção mais vitoriosa em Olimpíadas, garantiram o bronze.

Handebol masculino: ouro da França

Franceses devolveram a derrota na final de 2016 para os dinamarqueses, que tinham o time favorito após o bicampeonato mundial. A Espanha repetiu o bronze do mundial 2021. O Brasil num grupo da morte com quatro europeus, sofreu quatro derrotas e só venceu a Argentina.

Handebol feminino: ouro da França

Outra final em que a França devolveu a derrota final em 2016. A Noruega ganhou a quarta medalha seguida em Olimpíadas. O Brasil começou bem, com empate diante da Rússia e vitória sobre a Hungria. Mas o grupo era pesado com outras três potências europeias, Suécia, Espanha e França. Com três derrotas não avançou ao mata-mata.

Hóquei sobre grama feminino: ouro da Holanda

Holandesas vinham de um bicampeonato da Copa do Mundo e confirmaram o favoritismo. A Argentina, que já tinha sido medalhista em outras Olimpíadas, voltou ao pódio com a prata. A campeã olímpica de 2016, Grã-Bretanha foi bronze.

Hóquei sobre grama masculino: ouro da Bélgica

Os belgas eram os favoritos após o título na Copa do Mundo. Australianos tem muita tradição e ficaram com a prata. Novidade o retorno da Índia ao pódio. Indianos tem 8 títulos olímpicos.

No Rugby Sevens...

Os favoritos venceram: Fiji no masculino e Nova Zelândia no feminino.

 

LEIA MAIS ANÁLISES DE MARCELO ROMANO

Brasil encerra Tóquio com melhor posição na história no quadro de medalhas

No 14º dia olímpico, Brasil garante nova final contra os Estados Unidos no vôlei feminino

Brasil com incríveis 3 ouros no 15º dia de Tóquio

 

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais