Logo O POVO Mais
Economia

Horizonte vai lutar para que marca Troller não morra

Troller foi fundada em 1997 em Horizonte. Fim da operação da Ford no Brasil pode significar extinção da marca, caso ela não seja vendida, ideia defendida no município
Edição Impressa
Tipo Notícia Por
Fábrica da Troller em Horizonte detém 470 funcionários e colaboradores (Foto: Aurelio Alves)
Foto: Aurelio Alves Fábrica da Troller em Horizonte detém 470 funcionários e colaboradores

O anúncio da Ford de fechar sua fábrica da Troller, em Horizonte, chegou aos ouvidos da população da cidade da Região Metropolitana de Fortaleza, como o prenúncio da morte da marca local, fundada em 1997. Para que o "luto" não aconteça, o prefeito de Horizonte, Nezinho Farias (PDT) e Governo do Ceará esperam que a Ford venda a operação da marca cearense, comprada pelos norte-americanos em 2007. Atualmente, 470 trabalhadores são empregados na fábrica.

"Fomos pegos de surpresa. Ninguém esperava isso, pois nos últimos anos a Troller vinha mostrando crescimento. Estivemos com o governador Camilo Santana na fábrica, em 2019, e nos mostraram o desenvolvimento e projeto para um novo modelo que seria lançado em 2020, mas por causa da pandemia ficou para 2021", diz.

A ideia de venda parece ter sentido. A página especializada Auto Esporte apurou com três fontes ligadas à Ford, que havia a intenção de encerrar a operação da Troller, "mas executivos defenderam a oferta da marca junto da fábrica". Em resposta à publicação, a empresa afirmou em nota que "continuará facilitando alternativas possíveis e razoáveis para partes interessadas adquirirem as instalações produtivas disponíveis".

O POVO esteve ontem na cidade, e, na roda de conversa entre os moradores, o assunto principal do dia era o fechamento da fábrica. Um mototaxista disse que foi um choque para todos em Horizonte. E o vendedor de picolé completa dizendo que se um morador horizontino não tivesse um familiar que trabalha na fábrica, certamente conhece alguém que fosse funcionário na Troller.

Às 17 horas, na saída dos funcionários da Troller após mais um dia de trabalho, pouca interação. Um trabalhador que falou sem se identificar respondeu que os colaboradores foram informados da iniciativa da direção da Ford através do comunicado também divulgado na imprensa. E foram entender a magnitude da novidade quando viram as manchetes: a grande planta de produção do Ford Ka e do EcoSport, em Camaçari-BA, e da produção de motores e transmissões, em Taubaté-SP.

Um outro trabalhador da fábrica destacou a empresa. Disse que sempre ofereceu boas condições de trabalho, pagamentos em dia e ótima remuneração, ainda afirmou que estava triste pela situação, mas esperançoso por uma saída para o problema. Ainda segundo esse funcionário, a direção não falou em cortes de funcionários.

Além do impacto econômico, a Ford impactava socialmente no município. A preferência nas contratações era para moradores da região e projetos sociais desenvolvidos iam desde a alfabetização de adultos e projeto de odontologia na cidade até a doação de uma ambulância para a gestão de Horizonte.

"Para Horizonte, a Ford e a Troller tem um valor muito grande, pois esse carro nasceu aqui. Aquele terreno foi doado quando eu estava no meu primeiro mandato como prefeito. Então para a gente, o anúncio foi sentido pois significava a perda de um patrimônio nascido em Horizonte", completa Nezinho Farias.

O secretário de Políticas Sociais e Direitos Humanos da Central Única dos Trabalhadores no Ceará (CUT-CE), Roberto Luque, reclama da condução do Governo Federal sobre a situação. Ainda ressalta que a saída da Ford agrava o desemprego no País, desde as perdas de vagas diretas nas fábricas, mas também indiretas, em revendedores, indústria de autopeças, além de prejuízo aos consumidores, que em poucos anos terão problemas com a reposição de peças e verão seus veículos perderem valor de mercado.

"É mais um fracasso do Governo Federal e de sua equipe econômica e mostra o descrédito em investir no País, cujo governo não tem credibilidade entre os investidores internacionais", diz Roberto. "Qual vai ser o destino desses trabalhadores?", questiona.

LINHA DO TEMPO

1995 - Após a doação de terreno pela gestão do município de Horizonte, foi iniciada a construção do chão de fábrica da Troller.

1997 - Troller tem fábrica inaugurada. Investimento total foi da ordem de R$ 18,5 milhões.

1999 - Maior torneio de rally do mundo, o Rally Paris-Dakar teve a participação de uma equipe cearense, a Hollywood-Troller-Dakar. A montagem do protótipo utilizado na disputa foi totalmente feita em Horizonte. No mesmo ano, a Troller divulgou que aumentaria sua produção de veículos: chegaria a 60 unidades por mês.

2005 - O Grupo Troller anunciou no primeiro semestre de 2005 que concluía a ampliação de sua fábrica. Passou de 7 mil m² para 21 mil m². A empresa também passou a exportar veículos para Angola, fechando o ano com receita declarada de R$ 102 milhões.

2006 - A Troller inaugurou ao lado da fábrica uma pista de testes parametrizada. Trata-se de uma área construída com diferentes tipos de piso, equipada com sensores.

2007 - Em 3 de janeiro veio a confirmação da venda da Troller para a Ford. O controlador da cearense, Mário Araripe, informou que a gigante automobilística investiria R$ 400 milhões na expansão da marca. Na época da venda, a produção do jipe havia saltado consideravelmente em comparação a 1999: agora um modelo era produzido a cada 23 minutos.

2014 - Foi reinaugurada a planta da Troller em Horizonte.

Fonte: O POVO.DOC

 

Essa notícia foi relevante pra você?
Recomendada para você

"