Economia

O que esperar da estreia da Brisanet na B3

Com ações precificadas em R$ 13,92 cada, a operadora de internet cearense já levantou mais de R$ 1,43 bilhão no mercado de capitais
Edição Impressa
Tipo Notícia Por
Vagas são para atuar onde a empresa presta serviço de telecomunicações no Nordeste (Foto: Arquivo Brisanet/Divulgação)
Foto: Arquivo Brisanet/Divulgação Vagas são para atuar onde a empresa presta serviço de telecomunicações no Nordeste

Atualizado às 10 horas

A provedora cearense de internet Brisanet estreia hoje na Bolsa de Valores de São Paulo (B3), sob o ticker BRIT3. A oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) foi precificada a R$ 13,92, de acordo com informações da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Somente com a reserva de ações, a Brisanet já conseguiu captar em torno de R$ 1,25 bilhão. O montante, acrescido do lote suplementar, resulta em uma transação estimada em mais de R$ 1,43 bilhão. Para analistas, a dinâmica de crescimento da empresa nos últimos anos, a chegada do 5G no Brasil e um modelo de negócio verticalizado estão entre os fatores que contribuem para uma boa expectativa do mercado no médio e longo prazo.

Leia Mais| Crescem ofertas de ações com reserva antecipada

+ Minioperadoras buscam R$ 10 bilhões na B3

Ao abrir o capital, a Brisanet, há 22 anos no mercado, e que hoje é considerada a maior provedora independente de internet banda larga via fibra óptica no Brasil, pretende levantar recursos para dar maior fôlego às operações e ao projeto de expansão. Não somente da rede própria, mas também da sua controlada, a Agility Telecom, que leva pelo modelo de franquias, internet de fibra óptica às cidades menores. Além do Ceará, hoje a empresa atua em Alagoas, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte, mas se prepara para entrar também nos mercados do Piauí e Sergipe.

No IPO, haverá a oferta pública de distribuição de 89,7 milhões de novas ações. Além de um lote suplementar de até 15% do total. A coordenação da abertura de capital é feita pelo Santander, XP, BTG Pactual e Bradesco BBI. A cotação dos papéis, no entanto, acabou ficando no piso da faixa estimada. O valor máximo da ação podia chegar a R$ 17,26.

Thomaz Bianchi, da M7 Investimentos, explica que essa foi uma oferta que, a princípio, teve uma baixa procura, considerando que normalmente há rateio nas duas modalidades, com e sem lock up (quando o acionista não pode vender sua participação durante um período), quando tem muita demanda há rateio . Mas, de todo modo, trouxe um volume relevante de captação, que vai ajudar no processo de expansão da empresa.

“Pela área de análise, a empresa é precificada com um preço justo, e, saindo do piso, os investidores estariam comprando com desconto. O que vai dizer se será considerado um bom negócio, vai depender do desenrolar do negócio, com investimento em infraestrutura, boa gestão, aproveitando o leilão do 5G. Mas, no longo prazo, só há expectativa positiva”.

+ Azuis com José Roberto Nogueira| O CEO da tecnologia que não quis largar o semiárido 

A opinião é compartilhada pelo economista Gilberto Barbosa, da V8 Capital. Ele acrescenta que a empresa, por estar dentro de um segmento que está crescendo muito, tem reportado números de crescimento relevantes.

Em 2020, por exemplo, a receita líquida da empresa atingiu R$ 470 milhões.Alta de 61%, em relação a 2019. E as projeções do mercado apontam que, mesmo com um desempenho mediano do PIB brasileiro, a Brisanet seguirá crescendo acima de dois dígitos neste ano e nos próximos.

“Cresce muito, mas exige muito capital. Então, conforme a empresa vai precisando expandir sua rede de fibra óptica, vai precisar de mais dinheiro. Mas, evidentemente, no futuro, quando o negócio se consolida e não precisa investir tanto, se torna um gerador de caixa, que tem potencial de pagar muitos dividendos no futuro”.

Concorrência

Durante o período de reservas de ações, que encerrou no último dia 26, a casa de análises independente Eleven Financial, no entanto, não aconselhou comprar ações no IPO. Para a analista Flávia Ozawa, apesar da posição de liderança no Nordeste e da elevada taxa de crescimento, o potencial de alta de preço da ação não está interessante frente às ofertas da Desktop e Unifique, que também são líderes em prestação de serviço de banda larga em suas regiões de atuação.

Apesar disso, no relatório, ela pontuou que o modelo de negócios, por ser totalmente verticalizado, com atuação em toda a cadeia de valor - da identificação de novas áreas geográficas de atuação até o monitoramento do serviço para os clientes - confere à Brisanet grande diferencial competitivo. "Acreditamos que esse modelo permite à companhia manter um patamar elevado de margem". (Colaborou Samuel Pimentel)

Sobre a Brisanet:

Criada há 22 anos, a Brisanet, que tem sede em Pereiro, semiárido cearense, está presente em 97 cidades do Nordeste e tem mais de 697 mil clientes.

Em cidades menores, desde 2019, opera ainda com a Agility Telecom, que fornece serviços de internet sob o modelo de franquias. São cerca de 140 mil clientes em mais de 251 cidades no Nordeste, através de 94 franqueados.

Possui mais de 14,4 mil quilômetros de infraestrutura de backbone

É líder em banda larga fixa nos estados em que atua, superando as grandes operadoras na região com 665 mil assinantes, segundo a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Também oferece serviços de TV por assinatura, streaming de música, telefonia fixa e móvel

Possui mais de 6 mil funcionários

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais