Logo O POVO Mais
Esportes

Os bons ventos da Praia do Maceió impulsionados pelo turismo do kitesurfe

A 400 km de Fortaleza, sossegada Praia do Maceió tem clima e paisagem como atrativos para visitantes de várias partes do mundo e praticantes de esportes aquáticos em alta temporada
Edição Impressa
Tipo Notícia Por
Kitesurfista aproveita os bons ventos da Praia do Maceió
 (Foto: JL Rosa)
Foto: JL Rosa Kitesurfista aproveita os bons ventos da Praia do Maceió

O relógio marca 17h34min. Pequenos grupos de quatro ou cinco pessoas se reúnem na areia ou nas mesas, em geral com celular à mão, para captar o cenário. Com um estonteante pôr do sol como pano de fundo, quase uma dezena de pipas e pranchas de kitesurfe tomam de conta do céu e do mar.

A história da pacata e paradisíaca Praia do Maceió, em Camocim, na Região Norte do Ceará, tem influência direta dos esportes aquáticos, sobretudo do kite. Além de propiciar a prática de atividades no mar, os bons ventos foram frutíferos para o local, que tem turismo intenso em alta temporada. Renderam ainda investimentos crescentes, com ascensão em andamento, incremento a partir de empresários internacionais e um toque regional.

Localizada a quase 400 quilômetros de Fortaleza — cerca de cinco horas no trajeto de carro —, a cidade de Camocim se desenvolve de maneira contínua desde 2011. O passo inicial foi dado pelo empresário italiano Omar Nigro, dono de empreendimentos na região. Alemães e franceses também desembarcaram no litoral cearense dispostos a movimentar a economia.

A convite do Hotel Villa Zen, O POVO passou 48 horas em Camocim para conhecer a região. A receptividade calorosa e a permanente disponibilidade de todos criam o clima de aconchego necessário para experimentar as diversas possibilidades gastronômicas — do típico peixe frito com baião à alta culinária italiana —, aproveitar os passeios pelas belezas naturais e confirmar a paixão local pelo kitesurfe.

Em poucos passos por dentro de uma vila tranquila, tomada pela vegetação, um beco dá acesso à praia. Na extensa faixa de areia, casas, pousadas, restaurantes e uma escola de esportes aquáticos. Os vizinhos se conhecem e mantêm laços de amizade, com encontros noturnos quase todos os dias para comes e bebes. Um grupo no WhatsApp também estreita a política da boa vizinhança, com contato constante e monitoramento de qualquer presença nova no local, explica a simpática capixaba Graziela Mayumi, gerente do hotel e uma das moradoras com a privilegiada vista para o mar.

"(O que atrai é) A tranquilidade da praia, com certeza, fora a beleza. Isso não tem nem como discutir. Mas a tranquilidade da praia é fundamental. Tem pessoas de Fortaleza que ficam admiradas com a questão de aqui não ter ladrão, drogas, nada disso. Então deixa o cliente à vontade no sentido da tranquilidade. Isso é muito importante", avalia Fabrizio Fozzi, dono da Taverna do Fabrizio.

Kitesurfe é um dos principais esportes náuticos da Praia de Maceió, na região de Camocim (Foto: JL Rosa)
Foto: JL Rosa Kitesurfe é um dos principais esportes náuticos da Praia de Maceió, na região de Camocim

Ao cair da tarde, Wesley, responsável pela escolinha de kitesurfe, é presença certa na Praia do Maceió. Oriundo de um dos projetos sociais desenvolvidos na região, o jovem nascido em Caucaia dá aula e orienta alunos de todas as idades e classes sociais a se aventurarem na água. O fim do mês de junho marca o início da temporada de ventos mais intensos, o que movimenta o litoral em razão do esporte.

A abrangência do público, de fato, é ampla. O juiz de direito Washington Frota, 39 anos, mudou-se para Camocim em 2015 e se encantou pelo kitesurfe. Virou praticante do esporte, com viagens em grupo Brasil afora para praticar. Com a facilidade do home office, passou a reservar o final da tarde para cair na água e aproveitar o vento diariamente.

Washington não esconde a paixão pelo esporte e se dispõe, em meio a um treinamento com o afilhado Zezé, a explicar instruções de segurança, mostrar equipamentos, comentar a diferença entre os tipos de velejo — freestyle e downwind — e ainda aproveitar o pôr do sol para se aventurar diante da câmera. "O problema depois que você começa é que não consegue parar", alertou, com a observação de que dois dias seriam suficientes para os repórteres aprenderem os movimentos básicos na água.

 

Daqui, da Europa, de todo lugar

Com diversas pranchas guardadas — e outras tantas a caminho, para o período de presença mais agitada — a escolinha é ladeada por um hotel de propriedade francesa prestes a ser inaugurado e pelas atrações gastronômicas: um surfe-bar, um restaurante italiano, um restaurante japonês e um bistrô tipicamente brasileiro.

" É uma paisagem maravilhosa, especial. É único no mundo. O vento também, que de junho até fevereiro não para, todo mundo pode velejar." Daniele Sotgiu, empreendedor italiano

"É um grande atrativo. Tem muito kite, wind, dá para surfar também, tem onda legal quando a maré está boa e tem lua cheia. Tem também na escola agora wingfoil, kitefoil. Acho que é o melhor lugar do mundo para velejar todo ano", opina o italiano Daniele Sotgiu, proprietário do Sá Bar. "Seguramente esse pôr do sol que tem aqui, as dunas. É uma paisagem maravilhosa, especial. É único no mundo. O vento também, que de junho até fevereiro não para, todo mundo pode velejar", completa, referindo-se aos atrativos.

Turistas praticam kitesurfe na Praia de Maceió, em Camocim (Foto: JL Rosa)
Foto: JL Rosa Turistas praticam kitesurfe na Praia de Maceió, em Camocim

Principal responsável pelo desenvolvimento da área, com as construções e "convites irrecusáveis" para amigos se tornarem vizinhos, Omar aproveita a tranquilidade da praia ao lado da filha, que passeia de bicicleta na areia molhada. Apesar dos quase dez anos no Maceió, o italiano conta que ainda se impressiona com a beleza da região e saca o celular do bolso para filmar a chegada de um grupo de kitesurfistas. "Moro aqui e não me acostumei. Todo mês faço um passeio com a minha família e ainda me impressiono com a beleza daqui", relata.

Em quase 20 minutos de conversa descontraída, sem gravador ou anotações, Omar Nigro vai dos planos de novos empreendimentos à economia global e política brasileira. Com alguns desabafos na ponta da língua — além de um pouco do idioma europeu —, relata que pretende construir um condomínio residencial, um outro hotel de alto padrão e aponta outros terrenos disponíveis de frente para o mar para ampliar os negócios.

Os funcionários rasgam elogios ao "seu Omar" pela confiança e oportunidade e revelam um detalhe curioso: o empresário tem o costume de confundir os nomes, principalmente em momentos de maior emoção. À vontade, ele lembra que incentivou outras pessoas a construírem casas próximas aos seus negócios para alavancar a região e usa a "teoria dos sete anos" para avaliar o turismo. "A partir do oitavo ano, preciso de um fato novo para movimentar outra vez e atrair as pessoas", explica.

 

Quando Omar conhece o Maceió

O pontapé inicial da Praia do Maceió foi o Kitezen — atual Bistrô Kite —, no início da década, ao lado da escolinha. O local servia de ponto de encontro para os praticantes de kitesurfe, tanto para deixar os equipamentos quanto para se alimentarem. Os negócios se expandiram, mas a tradição foi mantida: os velejadores de outras regiões que chegam àquele altura do litoral marcam o bistrô como ponto de "resgate" ou são resgatados por Alberto Otton, o Betinho, responsável pela administração.

Passeio de lancha pelo rio da região de Camocim, entre a Lagoa da Cangalha e o Lago do Boqueirão(Foto: JL Rosa)
Foto: JL Rosa Passeio de lancha pelo rio da região de Camocim, entre a Lagoa da Cangalha e o Lago do Boqueirão

"Camocim, em si, tem um potencial imenso para o esporte, principalmente à vela. É uma parte do Ceará que pega o melhor vento e ainda tem mais uma opção, que é o downwind. Camocim tem 64 quilômetros só de faixa litorânea, então isso ajuda mais ainda na busca pela região devido ao kitesurfe. O pessoal faz muito esse downwind passando por aqui, a gente vende muito o trecho Maceió-Barra dos Remédios, que é uma praia paradisíaca linda, já foi considerada entre as cinco praias desertas mais lindas do mundo várias vezes. Então a gente explora isso", opina, minutos depois de deixar em Camocim um grupo de kitesurfistas.

"Camocim tem uma vantagem até mesmo sobre Jericoacoara, porque a faixa de lá é muito pequena. Já a gente tem essa vantagem de ter uma faixa maior. São 64 quilômetros, para o kitesurfe é espetacular", completa Betinho.

 

Trilha, lancha e lençóis camocinenses

Se os bons ventos são o grande atrativo de público para a região, as belezas naturais não ficam para trás. A procura por hospedagem para conhecer os lençóis camocinenses e desbravar as dunas também é intensa por parte de turistas nacionais e internacionais.

A saída rumo ao Lago das Cangalhas ocorre no início da tarde, pontualmente às 14 horas. O guia Alex conduz o quadriciclo reforçado e leva cerca de dez minutos na trilha do coqueirais, entre vasta vegetação e casas isoladas, até chegar à gigante região das dunas. Em meio às montanhas de areias, formam-se pequenos lagos. O forte vento característico também se faz presente no ponto alto.

Lençóis camocienses são atração natural da Praia de Maceió, em Camocim(Foto: JL Rosa)
Foto: JL Rosa Lençóis camocienses são atração natural da Praia de Maceió, em Camocim

O Villa Zen disponibiliza um passeio de lancha exclusivo para os hóspedes. Sob comando do "piloto" César, o trajeto entre as ilhas com água a perder de vista dura quase uma hora em velocidade moderada, com direito a parada para apreciar a paisagem e registrar fotos e vídeos. Há ainda a possibilidade de restaurantes com "cardápio ao vivo" e outras praias vizinhas de beleza igualmente deslumbrante.

"Eu trabalho também com a questão dos passeios, de guia dentro d'água com kitesurfe. Eu tenho um amigo que tem uma cabana lá na Barra dos Remédios e, quando chegam os estrangeiros, eu brinco: 'Vou lhe dar um shower rustic (banho rústico, em tradução livre)', que é o banho de cacimba (risos). Eu puxo a água, dou um banho neles, e eles ficam mortos de felizes. Às vezes faço uma caipirinha, eles ficam dois, três dias repetindo", conta Betinho.

Dunas e  pequenos lagos formam os lençóis camocienses  na Praia de Maceió (Foto: JL Rosa)
Foto: JL Rosa Dunas e pequenos lagos formam os lençóis camocienses na Praia de Maceió

Ainda sob iluminação natural, o cair do sol — a partir das 17h15min — pode ser visto do alto das dunas acompanhado de algumas rajadas de areia, empurradas pelo mesmo vento que faz as pipas subirem no mar. A alternativa para ver o anoitecer, portanto, é mais uma vez na larga faixa de areia à beira mar. As charmosas lâmpadas e o som ambiente tornam convidativos os restaurantes para o fim do dia na paradisíaca Praia do Maceió.

Essa notícia foi relevante pra você?
Recomendada para você

"