Reportagem

Óbitos mais que triplicam em Juazeiro do Norte este mês

A cidade do Cariri, que tem apresentando aumento de casos e de óbitos da doença desde o início de junho, começa lockdown hoje. Sobral tem rigidez do isolamento social estendida por mais sete dias
Edição Impressa
Tipo Notícia Por
Movimentação no Centro 
de Juazeiro do Norte 
antes do lockdown (Foto: Luciano Cesario/ CBN Cariri)
Foto: Luciano Cesario/ CBN Cariri Movimentação no Centro de Juazeiro do Norte antes do lockdown

Os casos de Covid-19 registrados fora de Fortaleza já representam quase dois terços dos 92.866 registros da doença no Ceará. As cidades da Região Metropolitana de Fortaleza, excetuando a Capital, e os municípios do Interior também já contabilizam 2.413 óbitos que representam 43,7% das 5.523 mortes em decorrência da contaminação do novo coronavírus. Dois focos principais do patógeno no Interior do Estado têm merecido atenção das autoridades sanitárias: Sobral, na região Norte, entra hoje em seu 44º dia de lockdown; já Juazeiro do Norte, no Cariri, passa a adotar medidas mais rígidas de isolamento social a partir a partir de hoje.

Com confirmações da doença desacelerando em Fortaleza, a plataforma IntegraSUS, da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), desde a última sexta-feira, 21, não têm registros de óbitos em Fortaleza. Contudo, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) confirmou que um paciente faleceu ontem no Hospital Leonardo da Vinci.

A Capital tinha até ontem ocupação de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) de 59,7%. Para o médico epidemiologista Marcelo Gurgel, membro do grupo de trabalho de enfrentamento à Covid-19 da Universidade Estadual do Ceará (Uece), com a interiorização da pandemia no Ceará, é preciso prever e passar a se preparar para que Fortaleza passe a receber pacientes vindos de municípios que, diante de uma saturação do quadro de hospitais regionais, não consigam transferência.

Para desacelerar a curva de propagação, duas cidades tiveram o lockdown ou prolongado, como Sobral, ou estabelecido, no caso de Juazeiro do Norte, em decreto estadual publicado ainda no sábado, 20. Já ontem decretos municipais confirmaram a ação estadual. De acordo com o procurador do Município do Cariri, Micael François, a decisão de colocar Juazeiro em isolamento rígido se deve ao fato de haver “muitas pessoas circulando nas ruas”, o que levou ao aumento dos casos.

Do dia 1º de junho até ontem, Juazeiro saltou de 19 óbitos para 58 mortes (aumento de 205,2%); já os casos passaram de 878 para 1.190 casos (aumento de 35,5%) de Covid-19 na Cidade. A taxa de ocupação das enfermarias se manteve abaixo de 60% durante o mês de junho. Ontem, chegou a 60,7%, com 34 pacientes. Já a taxa de ocupação de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) beirou os 100% dia 7 de junho, caiu e está novamente em crescente, atingindo 85,25% ontem, com 52 pacientes no Hospital Regional do Cariri. Um hospital de campanha com 80 leitos deverá ser entregue nos próximos dias.

“Teremos blitzes da Polícia Militar controlando o acesso nas rodovias de acesso com Crato, Barbalha, Caririaçu e Missão Velha; e do Demutran nos bairros fazendo controle da circulação de veículos”, detalhou o procurador. Além disso, a secretária da Saúde, Glauciane Torres, apontou que outras medidas já adotadas de interdição de locais e fiscalização de possíveis pontos de aglomeração serão continuadas. Com 4.424 testes realizados (taxa de positividade de de 73,9%), cerca de 2% da população foi testada.

“Houve uma quantidade de casos, que cresceu muito de forma abrupta no Cariri. Mas das três cidades, Juazeiro é que tem maior efervescência em termos de comércio, atividade econômica de indústria e serviços, além do turismo religioso que atrai romeiros do Nordeste todo. É prudente estabelecer esse isolamento”, analisa o médico epidemiologista. Gurgel aponta que, após os picos de Fortaleza e de Sobral, é possível que o foco da doença se concentre no Cariri.

Vizinho de Juazeiro, Crato tem, conforme a secretária da Saúde, Marina Solano Feitosa Silva Rodrigues da Matta, adotado medidas de enfrentamento como ampliação da testagem e feito estudos epidemiológicos da doença. “Acredito que nós estejamos com transmissão acelerada da Covid-19 aqui no Cariri. O epicentro é Juazeiro do Norte. E existe uma preocupação dos municípios vizinhos em relação a taxa de transmissão da doença. O Crato vem intensificando a rigidez das duas orientações, e permanece na fase de transição, mas isso não inviabiliza a rigidez nas outras medidas”, indicou.

Em Sobral, o lockdown, que já vem desde o dia 8 de maio, em decreto municipal, foi renovado por mais sete dias. A Cidade, com 5.112 casos e 192 óbitos, tem apresentando estabilização da curva de casos desde o dia 10 de junho. Sobral, que dispõe de 126 desses leitos de UTI, chegou ao dia 10 com taxa de ocupação de UTIs de 97,5%. Ontem, a taxa era de 90,07%, com 109 pacientes. As enfermarias têm 126 pacientes e taxa de ocupação de 68,11%.

"Sobral está com uma taxa de transmissão de 0,99, que tangencia a alta transmissão (superior a 1). Mas os municípios do entorno de Sobral, como Santana do Acaraú, Forquilha, estão com taxa superior a 1,5, uma situação precária de alta transmissão. O recomendado é quanto menor melhor e é baixa a transmissão quando está até 0,4. Os municípios do entorno não têm muita capacidade instalada para atendimento e acabam transferindo para Sobral, por isso é necessária a manutenção o isolamento", explica Gurgel.

Acesse a cobertura completa do Coronavírus >

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais