Logo O POVO Mais
Reportagem Seriada

Café na Praça Luiza Távora, água de coco na Praia da Sabiaguaba

Com Café Vagão e Castelinho, Praça Luiza Távora atrai novos públicos, com programação que se estende para estabelecimentos próximos. Já na Praia da Sabiaguaba, um novo complexo une gastronomia e natureza
Episódio

Café na Praça Luiza Távora, água de coco na Praia da Sabiaguaba

Com Café Vagão e Castelinho, Praça Luiza Távora atrai novos públicos, com programação que se estende para estabelecimentos próximos. Já na Praia da Sabiaguaba, um novo complexo une gastronomia e natureza Episódio
Tipo Notícia Por

 

 

Amigos conversando nos bancos, crianças explorando os brinquedos infantis e jovens descobrindo a pista de skate. A cena é comum em, talvez, um fim de tarde na Praça Luiza Távora, um dos principais pontos de lazer de Fortaleza. A localização é logo entre o quadrilátero formado pelas ruas Monsenhor Bruno, Costa Barros, Carlos Vasconcelos e a Avenida Santos Dumont, na Aldeota.

Dentro do vagão, os clientes também podem aproveitar a biblioteca do espaço (Foto: FERNANDA BARROS)
Foto: FERNANDA BARROS Dentro do vagão, os clientes também podem aproveitar a biblioteca do espaço

Por lá, ainda é possível encontrar o Centro Cearense de Artesanato (Ceart), sendo o campo artesanal um dos principais motivos de valorização do espaço. Entretanto, ambientes reinaugurados em março têm chamado a atenção de visitantes. São estes o Vagão do Trem, construção belga de 1930 que está instalada desde 2011, e o Castelinho, que se tornou patrimônio cultural pela Secretaria da Cultura do Estado. Ambos foram ocupados pelo café O Cafeeiro por meio de parceria com o Grupo Três Corações, por meio da marca Santa Clara.

Neste primeiro momento, cardápio segue no modelo de soft opening. Salgados e tapiocas são opções(Foto: FERNANDA BARROS)
Foto: FERNANDA BARROS Neste primeiro momento, cardápio segue no modelo de soft opening. Salgados e tapiocas são opções

Assim, estes cenários já conhecidos ganham novos ares. O café expresso (R$ 6,90) do Vagão, com sabor intenso e textura cremosa, pode ser degustado ao lado de um livro, disponível na pequena biblioteca interna construída em parceria com o Serviço Social da Indústria (Sesi/CE). Já salgados, como o famoso pão de queijo, podem ser adquiridos em ambos os espaços por R$ 7,90. A proposta é que os clientes tenham uma experiência gastronômica e cultural, com planos de futuras programações que envolvam apresentações, contação de histórias e exposições de trabalhos.

A vinda do O Cafeeiro para Fortaleza ocorreu através de um convite do Grupo Três Corações e Santa Clara, parceiros importantes. Com isso, tivemos a oportunidade de nos vincular também ao projeto de instalação de uma cafeteria dentro dos espaços restaurados do Vagão e do Castelinho da Praça Luiza Távora", explica o diretor executivo do empreendimento, Renato Aguiar. No cardápio, ele destaca os métodos de extração de café e explica: "Usamos sete formas diferentes, com lindas cafeteiras para cafés preparados na mesa, de acordo com o paladar do cliente, indo dos mais suaves aos cafés mais encorpados". É possível finalizar - ou iniciar - o passeio com tapioca recheada (com carne de sol, frango ou queijo), ou um típico cuscuz. Para quem gosta de esticar os programas, o entorno da Praça oferece opções em conta em locais próximos.

 

 

História do Palácio 

A construção do local remete à década de 1920, quando o comerciante Plácido de Carvalho decidiu criar um castelo para a italiana Maria Pierina Tacconi Rosse, por quem havia se apaixonado. No início dos anos 70, o imóvel é demolido e, em 1979, a então primeira dama do Estado, D. Luiza Távora, constrói uma área para abrigar o artesanato cearense. A Praça Luiza Távora, como ficou conhecida, foi reinaugurada em 2011 e segue com equipamentos diversos para todas as idades, se tornando um dos pontos turísticos locais.

O Cafeeiro

Quando: domingo a quinta, das 7 às 20 horas; sexta a sábado, das 7 às 22 horas
Onde: Vagão e Castelinho Norte da Praça Luíza Távora (Av. Santos Dumont, 1589 - Aldeota)
Mais informações: @ocafeeiro.fortaleza

 

Fim de semana na praça

A Praça Luiza Távora também recebe programações de cultura, como as feiras, que acontecem mensalmente. Uma delas é a Auê Feira Criativa, que reúne mais de 130 marcas no ambiente, geralmente uma vez por mês. Já a edição de inauguração da Feira Inspira Moda & Arte aconteceu de 22 a 24 de abril. O evento conta com gastronomia, oficinas, desfiles, música ao vivo e empreendedores.

Mais informações: @auefeira e @feirainspira

 

 

 

Mais opções pelo entorno

 

-

 

Gastronomia e natureza na Sabiaguaba

Por Luiza Ester

Às margens do Rio Cocó, um complexo une gastronomia cearense em diálogo com a natureza. Ali no encontro do rio com o mar, na Praia da Sabiaguaba, no bairro homônimo, está o Complexo Ambiental e Gastronômico da Sabiaguaba. Localizado entre o Parque Estadual do Cocó e o Parque Natural Municipal das Dunas da Sabiaguaba, o novo polo de lazer de Fortaleza guarda, ao mesmo tempo, a tradição das barracas de praia existentes em outro tempo por ali, idealizadas por gerações de moradores da Sabiaguaba. O espaço ganhou uma nova estrutura com dois pisos (inferior e superior), 17 quiosques, banheiros e estacionamento.

Polo gastronômico irá abrigar 17 quiosques de culinária tradicional da Sabiaguaba.(Foto: FABIO LIMA)
Foto: FABIO LIMA Polo gastronômico irá abrigar 17 quiosques de culinária tradicional da Sabiaguaba.

Inaugurado em março de 2022, o complexo está aberto para visitação de fortalezenses e turistas. Junto à inauguração, os permissionários dos quiosques iniciaram um programa de capacitação em empreendedorismo e gastronomia social. O funcionamento pleno da estrutura está previsto para julho de 2022, com a abertura gradual dos quiosques até lá. A proposta do espaço é fortalecer o turismo ambiental na capital cearense e o protagonismo dos povos tradicionais da Sabiaguaba. À frentes dos quiosques, estão os moradores da Praia da Sabiaguaba, guardiões de práticas, saberes e sabores da comunidade litorânea daquele lugar. A gestão é compartilhada com o Governo do Estado.

Há décadas, pessoas estabelecem ali moradia e dedicam vida à manutenção das barracas de praia e à preservação da natureza. As relações afetivas, de pertencimento e de trabalho atravessam gerações. Esses sujeitos integram um conjunto representativo de pessoas de outras comunidades do litoral do estado, conhecidos como “Povos do Mar”.

Esse é o caso da permissionária Natália de Lima, neta de Maria Alice Monteiro de Lima, 87, uma das pioneiras na criação das barracas de praia na Sabiaguaba. O restaurante da família, onde cerca de 20 parentes trabalham, integrará o polo gastronômico. Por ocasião da inauguração do complexo, ainda em março, Natália disse ao O POVO: “Esperamos que tenha bastante clientela e que a gente possa dar o melhor e sempre manter a qualidade”. A empreendedora também elogiou a instalação de um posto 24 horas da polícia ambiental no lugar.

>> Assista ao vídeo do Complexo Ambiental e Gastronômico da Sabiaguaba no dia da inauguração, em 29 de março de 2022

-

Os permissionários passam pelo Programa de Capacitação em Empreendedorismo e Gastronomia Social da Escola de Gastronomia Social Ivens Dias Branco (EGSIDB), localizada no bairro Vicente Pinzón. Além da EGSIDB, também estão previstas atividades formativas em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

Os empreendedores ainda aguardam algumas melhorias, como a área de sombreiro à beira do rio, mas festejam a abertura do espaço. Como o equipamento está localizado em uma área de preservação ambiental, foi instalada uma estação de tratamento de água no entorno. Segundo o secretário do Meio Ambiente do Estado, Artur Bruno, uma estação de dessalinização também fará parte da área.

Como parte do projeto do complexo, ainda está prevista a entrega de um museu para pesquisas e estudos arqueológicos do local e a produção de cartilhas educativas sobre a valorização dos sítios arqueológicos da Sabiaguaba. (Colaborou Alexia Vieira)

 

 

 

Um passeio pelo mangue

 

Quem deseja conhecer o Complexo Ambiental e Gastronômico da Sabiaguaba pode adicionar à rota do passeio o Ecomuseu Natural do Mangue. Declarado patrimônio histórico, cultural e natural do município de Fortaleza em 2020, o equipamento atua na preservação do ecossistema manguezal na foz do Rio Cocó e nos bairros Caça e Pesca e Sabiaguaba há mais de duas décadas.

A Organização Não Governamental (ONG) oferece aulas de campo, projetos de reflorestamento, exposições, canoagem ambiental com caiaques e recolhimento de lixo flutuante na margem do rio, além de apoio para pesquisas. O Ecomuseu funciona de segunda a domingo, com visitas agendadas por meio de e-mail, das 9 às 17 horas.

Rusty Barreto está à frente do Ecomuseu Natural do Mangue(Foto: AURELIO ALVES)
Foto: AURELIO ALVES Rusty Barreto está à frente do Ecomuseu Natural do Mangue

 

Pôr do sol

Admirar o pôr do sol do alto das Dunas da Sabiaguaba é tradição em Fortaleza. No topo da montanha de areia, dá para observar os ecossistemas da área de preservação ambiental. Encantamento, coragem e superação de desafios estão interligados ao ritual de subir o morro. Ao fim do percurso, é possível descansar à vista do sol poente. O céu alaranjado soma às paisagens da floresta de restinga, do manguezal, do mar, do rio e das próprias dunas.

Complexo Ambiental e Gastronômico da Sabiaguaba

Quando: todos os dias
Onde: rua Sabiaguaba, 832 - Sabiaguaba
Mais informações: @sabiaguabacomplexo

Ecomuseu Natural do Mangue

Quando: segunda a domingo, das 9 às 17 horas
Onde: rua Professor Valdivino, 48 - Sabiaguaba - Fortaleza - Ceará - Brasil
Mais informações e agendamentos: contato@ecomuseunaturaldomangue.com.br / museunaturaldomangue@hotmail.com / @ecomunam

Essa notícia foi relevante pra você?

Conteúdo exclusivo para assinantes

Conteúdo exclusivo

Saiba mais

Estamos disponibilizando gratuitamente um conteúdo de acesso exclusivo de assinantes. Para mais colunas, vídeos e reportagens especias como essas acesse sua conta ou assine O POVO +.