Foto de Alan Neto
clique para exibir bio do colunista

Colunista do O POVO, Alan Neto é o mais polêmico jornalista esportivo do Ceará. É comandante-mor do Trem Bala, na rádio O POVO/CBN e na TV Ceará. Aos domingos, sua coluna traz os bastidores da política e variedades.

Alan Neto esportes

Fortaleza faz história no Morumbi e Ceará vence na hora certa

O que aconteceu de fora do comum nas vitórias de Fortaleza e Ceará na última rodada da Série A do Campeonato Brasileiro?
Tipo Opinião
Na última partida entre São Paulo e Fortaleza, no Morumbi, pelo Brasileirão deste ano, deu Leão, na vitória por 1 a 0 (Foto: Leonardo Moreira / Fortaleza EC)
Foto: Leonardo Moreira / Fortaleza EC Na última partida entre São Paulo e Fortaleza, no Morumbi, pelo Brasileirão deste ano, deu Leão, na vitória por 1 a 0

FORTALEZA venceu o São Paulo, dentro do Morumbi e o Ceará derrotou o Athletico paranaense, aqui no Castelão. Coincidência, por conta do mesmo placar (1x0) e os dois cearenses somaram 3 pontos positivos na tabela.

ÓTIMO para o Fortaleza no pódio dos primeiros. Bom para o Ceará que finalmente se livrou daquela ciranda de empates como se isso acrescentasse muita coisa. Três pontos podem dar um outro alento ao time? Espera-se que sim.

 

O argentino Vodjova trouxe em seu alforge apenas um desenho tático diferente, embora tão comum praticado no futebol da Argentina.

 

APENAS com um diferencial. A vitória tricolor foi dentro do Morumbi, contra um adversário teoricamente mais forte, com um detalhe relevante. Vamos a ele? O São Paulo não consegue se equilibrar no Brasileirão. Anda às tontas e às cegas. O Fortaleza faz uma campanha, surpreendentemente, boa.

CONTAS PERDIDAS

QUANTO ao jogo daqui, fazia bom tempo, e bote tempo nisso, que o Ceará não sabia o que era vencer o Athletico-PR, contas perdidas. Não sabia o que era ganhar com tantos empates acumulados, placar predileto do Guto Ferreira.

OS dois resultados, porém, foram relevantes para os clubes cearenses na guerra sem fim que é o Brasileirão. Não importa os locais, pois se não há público, o silencio tumular dos estádios de futebol é um só em todo canto.

FATOR campo pode influenciar, até certo ponto. Não o suficiente para determinar favoritismo deste ou daquele. Vai longe o tempo em que só com o nome e a fama se antecipava o favoritismo deste ou daquele. Por enquanto, este Brasileirão aloja em si um punhado de surpresas desagradáveis. As coisas estão desalinhadas e as previsões são nebulosas.

VARINHA MÁGICA?

FORTALEZA mantém uma rota ascendente desde quando o argentino Vodjova assumiu. Ele não trouxe consigo, ao que se saiba, nenhuma varinha mágica que explicasse toda essa subida da equipe desde o momento em que passou a comandá-la. Trouxe em seu alforge apenas um desenho tático diferente, embora tão comum praticado no futebol da Argentina.

POR vezes, a simples troca de um técnico com outra cartilha diferente pode, sim, provocar uma metamorfose no elenco. Jogadores ganham outra motivação pelo novo. Instilou, apenas, ao time doses elevadas de intensidade e a busca constante a procura do gol. A partir daí as peças foram se encaixando.

QUAL EXPLICAÇÃO?

QUANTO a reação do Ceará há algo a se explicar. Afinal o time não vencia esse mesmo Athletico Paranaense há vários anos. Nem lá nem aqui. Houve então, subida de produção da equipe, mesmo e apesar de tantos desfalques? No futebol nem sempre se dá para explicar determinadas coisas.

 

Wensdon entrou no lugar do Vina, uma figura apagada. O que o Vina não fez durante tanto tempo que passou em campo, o jovem Wendson acabou fazendo nos poucos minutos 

 

SOME-SE a isso que as mudanças procedidas pelo Guto não diferenciaram daquilo que ele faz e nem sempre acerta. Houve evolução do Alvinegro? Nem tanto que pudesse se perceber. O que todos esperavam, isto sim, é que o Furacão fosse bem melhor do que aquilo que apresentou. Tem respaldo pela boa campanha que realiza. Mas não foi bem assim.

APOSTA NO ESCURO

A VITÓRIA pode dar um novo alento ao Ceará que tanto precisa nesta Série A. Pelo menos reaprendeu o caminho das redes para desembocar no 1x0, gol feito já nos acréscimos.

DETALHE por conta do autor do gol, o jovem atacante Wendson. Uma aposta feita no escuro pelo técnico alvinegro que acabou dando certo. Seu gol salvou o Ceará de mais um empate dentre tantos que já colecionados. Se significar um sintoma de melhora, que ele permaneça numa equipe que tem uma dificuldade enorme de balançar as redes.

A OUTRA coincidência? Que o Wensdon entrou no lugar do Vina, uma figura apagada. O que o Vina não fez durante tanto tempo que passou em campo, zanzando de um lado para o outro, o jovem Wendson acabou fazendo nos poucos minutos na sua quase estreia com a camisa alvinegra.

GOL de oportunismo, nos acréscimos, partida já caminhando para um insípido 0x0, de repente tudo mudou. Melhor para o Ceará que estava precisava tanto da vitória. Hosana nas alturas!

FOGO DE PALHA?

OS remendos feitos, quase de última hora por conta da punição do STJD, findaram por dar ao Ceará um outro alento. Longe, mas muito longe mesmo do ideal. Há carências visíveis em vários setores da equipe que precisam ser, urgentemente, calafetados.

VITÓRIA sobre o Atheltico Paranaense deu ao Ceará aquilo que tanto precisava. Futebol tem dessas coisas. Atira-se no escuro e se acerta no certo. Que a vitória sobre o clube paranaense não venha a ser apenas fogo de palha.

 

LEIA MAIS OPINIÃO DE ALAN NETO

Ceará vai ter punição para os "brigões" e quer contratar o Cano, do Vasco

Ceará recorre de suspensões e acaba se dando mais mal ainda

Fortaleza foi premiado pela vontade de atacar e Ceará foi punido por não tentar ampliar

 

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais