Foto de João Gabriel Tréz
clique para exibir bio do colunista

João Gabriel Tréz é repórter de cultura do O POVO e filiado à Associação Cearense de Críticos de Cinema (Aceccine). É presidente do júri do Troféu Samburá, concedido pelo Vida&Arte e Fundação Demócrito Rocha no Cine Ceará. Em 2019, participou do Júri da Crítica do 13° For Rainbow.

João Gabriel Tréz cinema&série

Emmy 2021: plataformas de streaming triunfam, pasmem, pela primeira vez no evento

Streamings levam principal prêmio em todas as principais categorias pela primeira vez. Netflix é, finalmente, destaque entre os vencedores
Tipo Análise
A equipe de 'Ted Lasso', série de comédia que ganhou sete troféus no total, incluindo o principal do gênero. É a primeira vitória da Apple TV   (Foto: Rich Fury / AFP / divulgação)
Foto: Rich Fury / AFP / divulgação A equipe de 'Ted Lasso', série de comédia que ganhou sete troféus no total, incluindo o principal do gênero. É a primeira vitória da Apple TV

Se a realização da cerimônia do 73º Emmy deu novos passos no chavão do "novo normal", é possível avaliar que as vitórias da edição deste ano coroaram, finalmente, o "nem tão novo normal" dos modelos de produção e distribuição de séries. Afinal, foi, surpreendentemente, a primeira vez que todos os principais troféus foram entregues a obras de streamings. Surpreende, também, que esta foi também a primeira vez que a Netflix levou um dos prêmios centrais da noite, somando dois ao final da cerimônia.

Em relação à pandemia, esta foi a segunda edição do Emmy realizada neste contexto, ainda que pela primeira vez totalmente imersa nele, já que levou em conta produções lançadas entre junho de 2020 e maio de 2021. Em comparação com a cerimônia do ano passado, envolta por dúvidas e feita majoritariamente de forma remota, o evento neste ano teve caráter celebratório dado o cenário mais positivo, ocorrendo de forma presencial, ainda que reduzida, e vacinada. O número musical que marcou a abertura deu o tom, assim como os discursos efusivos e, muitas vezes, gritados - a excitação foi regra.

Animados, também, devem ter ficado os executivos da Netflix. Gigante do mercado, faz menos de 10 anos que ela deu partida ao que, hoje, é o modelo básico das séries nos Estados Unidos e no mundo. A partir de 2013, a plataforma demarcou novas formas de consumo e produção com o lançamento de obras originais para assinantes. Soa até estranho saber que, apesar do inegável peso que a marca carrega, foi somente no último domingo, 19, que ela levou os primeiros prêmios principais.

Focando na realeza britânica, "The Crown" triunfou como Melhor Drama do ano e "O Gambito da Rainha" foi considerada a Melhor Minissérie, Série Limitada ou Antologia. As duas obras foram, ainda, as que venceram no maior número de categorias, somando os prêmios principais, entregues no domingo, e os técnicos, concedidos no fim de semana anterior: foram 11 vitórias para cada. No âmbito da comédia, deu a elogiada "Ted Lasso", da Apple TV , que levou sete categorias no total e foi a produção do gênero mais premiada.

A HBO, apesar de resultados mais tímidos, ainda teve destaque na noite do domingo com as vitórias da comédia "Hacks", que levou três prêmios do gênero incluindo melhor atriz para Jean Smart, e da minissérie "Mare of Easttown", que dominou com vitórias de Kate Winslet, Julianne Nicholson e Evan Peters. Ressalte-se, ainda, que mesmo em um ano com diversas marcas de diversidade nas categorias de atuação só venceram atrizes e atores brancos.

Kate Winslet, protagonista de 'Mare of Easttown', levou o prêmio de Melhor Atriz de Minissérie ou Série Limitada(Foto: Rich Fury / AFP / divulgação)
Foto: Rich Fury / AFP / divulgação Kate Winslet, protagonista de 'Mare of Easttown', levou o prêmio de Melhor Atriz de Minissérie ou Série Limitada

Com 2021 sendo a primeira vez na história do Emmy que os maiores prêmios foram entregues para produções de streaming, é curioso notar que a Netflix é a plataforma que mais demorou para conseguir uma vitória em uma categoria principal - séries originais do serviço estão na disputa desde 2013 -, enquanto a Apple TV , somente no segundo ano de elegibilidade, é a que menos demorou para triunfar.

Na edição de 2020 da premiação, o destaque de partida foi para a Netflix, que conseguiu vultosas 160 indicações contra as 107 da HBO. Em termos de vitórias, porém, a última prevaleceu, conquistando 30 troféus no total contra 21 do streaming. Neste ano, o cenário teve mudanças importantes: a HBO ultrapassou a Netflix no total de indicações, com 130 menções contra 129 da concorrente, porque concorreu somando as obras do canal a cabo com as da plataforma HBO Max. A Disney garantiu 71, as tradicionais NBC e CBS vieram atrás com 56 e 54, respectivamente, e a Apple TV conseguiu 35 indicações.

Nas vitórias, o cenário foi diferente: a Netflix prevaleceu, garantindo distância da HBO: foram 44 prêmios no total contra 19. Em terceiro, ficou a Disney com 14 troféus e, depois, a Apple TV , com 10 vitórias. A partir desses dados, seria possível avaliar que o modelo de streaming finalmente se consagrou e é a nova pedida - o que soaria, honestamente, tão descolado da realidade quanto o "novo normal".

O reconhecimento do Emmy, ao invés de coroar uma tendência ou apontar caminhos possíveis, veio em 2021 como um triunfo com cara de atrasado. Afinal, as plataformas de streaming já são uma realidade estabelecida, e popular, há anos. O que o evento parece demarcar, porém, é um novo momento das plataformas, tanto com o crescimento de alcance (muito devido ao cenário da pandemia) quanto pelo aumento de competitividade e opções.

Ajuda a entender esse movimento o fato de que serviços como Hulu - cuja vitória com "The Handmaid's Tale" em 2017 marcou a primeira vez que uma série de streaming venceu no evento - e Amazon Prime Video - que foi responsável pela primeira vitória em comédia de uma produção de uma plataforma, em 2018, com "The Marvelous Mrs. Maisel", repetindo o feito em 2019 com "Fleabag" - saíram de mãos vazias. O que virá em resposta ao momento é, ainda, uma incógnita, mas certamente o jogo de cifras milionárias e busca por prestígio seguirá sendo o costumeiro "normal".

Confira galeria com fotos da cerimônia e das séries:

abrir

Confira vencedores

- Série limitada ou minissérie: "O Gambito da Rainha" (Netflix)

- Série de drama:"The Crown" (Netflix)

- Série de comédia: "Ted Lasso" (Apple TV)

- Atriz coadjuvante em série de comédia: Hannah Waddingham, "Ted Lasso"

- Ator coadjuvante em série de comédia: Brett Goldstein, "Ted Lasso"

- Atriz coadjuvante de minissérie, antologia ou filme para TV: Julianne Nicholson, "Mare Of Easttown"

- Ator coadjuvante de minissérie, antologia ou filme para TV: Evan Peters, "Mare Of Easttown"

- Atriz coadjuvante em série de drama: Gillian Anderson, "The Crown"

- Ator coadjuvante em série de drama: Tobias Menzies, "The Crown"

- Atriz em série de comédia: Jean Smart, "Hacks"

- Ator em série de comédia: Jason Sudeikis, "Ted Lasso"

- Atriz de minissérie, antologia ou filme para TV: Kate Winslet, "Mare Of Easttown"

- Ator de minissérie, antologia ou filme para TV: Ewan McGregor, "Halston"

- Atriz em série de drama: Olivia Colman, "The Crown"

- Ator em série de drama: Josh O'Connor, "The Crown"

Confira lista completa aqui

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais