Economia

Amazon Web Services anuncia nova operação do Brasil no Ceará

Em continuidade aos investimentos na América Latina, o novo ponto de presença (edge location) da AWS em Fortaleza será o terceiro serviço de dados da empresa no País
Edição Impressa
Tipo Notícia Por
ENCONTRO do governador Camilo Santana com o  diretor geral para o setor público da AWS Brasil, Paulo Cunha (Foto: Carlos Gibaja / Governo do Ceará)
Foto: Carlos Gibaja / Governo do Ceará ENCONTRO do governador Camilo Santana com o diretor geral para o setor público da AWS Brasil, Paulo Cunha

A Amazon Web Services, Inc. (AWS), anuncia com exclusividade ao O POVO o início oficial das operações de serviço de nuvem em Fortaleza, no Ceará, nesta quinta-feira, 23.

No Brasil, será o terceiro ponto de presença (edge location ou PoP) da companhia, uma empresa da norte-americana Amazon.com, Inc. (NASDAQ: AMZN). Com esse movimento, a infraestrutura global da AWS incluirá mais de 230 PoP em 91 cidades e 47 países.

Os planos de investimento previstos pela AWS para a América do Sul são de R$ 1 bilhão até 2022, com foco em expansão. A empresa iniciou em 2011 em São Paulo, sendo a 8ª região mundial da gigante de tecnologia. Hoje também tem presença no Rio de Janeiro.

Fundada em 2006, a AWS é uma plataforma de nuvem com mais de 200 serviços disponíveis. Sua atuação em operações digitais e baseadas em dados já ajudou a melhorar sistemas de aplicativos de delivery, bancos digitais, setor público, organizações de saúde, entre outros.

"O lançamento da infraestrutura local da AWS ajudará empresas e organizações governamentais no Brasil, incluindo setores de educação, mídia e entretenimento, jogos, saúde, finanças e e-commerce a trazer inovação mais rapidamente a seus clientes", frisa a companhia, sem detalhar parcerias.

Ao O POVO, a empresa garante que o novo ponto do Norte e Nordeste no Ceará oferecerá conectividade segura, confiável e de alto desempenho para o resto da rede global da AWS e suporte para serviços edge, incluindo Amazon CloudFront e AWS Global Accelerator. Porém, não há detalhes da infraestrutura local por "questões de segurança".

Sobre melhorias, os clientes podem esperar redução de até 18% na latência (tempo de reação) dos dados entregues por meio da operação no Ceará, segundo detalha Fernanda Spinardi, gerente de Arquitetura de Soluções da AWS no Brasil.

“Estamos felizes em continuar expandindo nossa presença e investimentos no Brasil em resposta ao feedback dos clientes, trazendo tecnologias de nuvem ainda mais avançadas para clientes em toda a América Latina”, afirma Jeffrey Kratz, gerente-geral da AWS para o Setor Público na América Latina, Canadá e Caribe.

Ele complementa que empresas de todos os tamanhos e em todos os setores, incluindo organizações do setor público e instituições educacionais poderão desfrutar da baixa latência e das altas taxas de transferência de dados fornecidas pelo novo edge location da AWS no Ceará.

Em relação ao compromisso de longo prazo com o Estado, a AWS detalha que tem trabalhado com organizações governamentais para fornecer os melhores serviços em nuvem.

Exemplo foi a parceria firmada em novembro de 2020 com o Governo do Ceará, por meio da Empresa Estadual de Tecnologia da Informação do Ceará (Etice), num acordo de colaboração para a criação do primeiro Centro de Competência em Transformação Digital do Brasil.

Paulo Cunha (PaCu), diretor geral para o setor público da AWS Brasil, destaca que o programa com o intuito de levar o ensino a mais de mil pessoas já superou o número de 300 formações. Ele frisa que as conversas com o Estado começaram há cinco anos.

"Queremos fazer do Ceará o primeiro governo 100% digital do Brasil, e a parceria com a AWS é fundamental para atingirmos este objetivo. O Ceará é o segundo maior ponto de conectividade de cabos de fibra óptica do mundo e temos investido em conectividade para todos os municípios do Estado. Fico muito feliz que o nosso Estado possa fazer parte da rede global da AWS por meio deste edge location", afirma Camilo Santana, governador do Estado do Ceará, em nota.

Abrangência

A infraestrutura global da AWS contempla 81 zonas de disponibilidade em 25 regiões geográficas. Também planejam lançar mais 21 zonas de disponibilidade e 7 novas regiões na Austrália, Índia, Indonésia, Israel, Espanha, Suíça e Emirados Árabes Unidos.

Emprego

As vagas para o time da AWS podem ser conferidas no site amazon.jobs/pt. Atualmente. há temos mais de 130 posições abertas no Brasil.

Dados gerais da AWS

• Fundada em 2006, a AWS é uma plataforma de nuvem com mais de 200 serviços disponíveis.
• No primeiro trimestre de 2021, cresceu US$ 13,5 bilhões ou 32% e tem uma taxa de execução de US$ 54 bilhões.
• Em 2011, lançou mais de 80 serviços e features; cerca de 160 em 2012; 280 em 2013; 516 em 2014; 722 em 2015; 1.017 em 2016; 1.430 em 2017; 1.957 em 2018; 2.345 em 2019; e 2.757 em 2020.
• Hoje têm 81 zonas de disponibilidade (AZ) em 25 regiões geográficas no mundo, com planos para mais 21 zonas de disponibilidade e mais sete novas Regiões AWS na Austrália, Índia, Indonésia, Israel, Espanha, Suíça e Emirados Árabes Unidos.
• A AWS inaugurou a região South America, em São Paulo, há dez anos, em 2011.
• A empresa completa 10 anos de operação no Brasil.

 

Benefícios da computação em nuvem

• Agilidade: a nuvem permite implantar serviços de tecnologia em questão de minutos e passar da ideia à implementação com agilidade em várias ordens de grandeza. Assim, as empresas podem experimentar e testar novas ideias para diferenciar as experiências dos clientes e transformar os negócios.
• Elasticidade: com a computação em nuvem, não é preciso provisionar recursos em excesso para absorver picos de atividades sazonais. O uso de recursos é alinhado à necessidade, com a possibilidade de aumentar ou diminuir instantaneamente a escala de acordo com a evolução das demandas.
• Economia de custo: a nuvem permite trocar despesas de capital (datacenters, servidores físicos etc.) por despesas variáveis, pagando apenas pela TI consumida. Além disso, as despesas variáveis são muito menores por conta da economia de escala.
• Implantação global em questão de minutos: a nuvem permite ainda ampliar as atividades para novas regiões geográficas e implantar recursos globalmente em minutos. A AWS, por exemplo, conta com uma infraestrutura global, que garante a implementação de aplicativos em vários locais físicos com apenas alguns cliques. Aproximar os aplicativos dos usuários finais reduz a latência e melhora a experiência desses usuários.
• Segurança: quando usada junto com medidas como educação de funcionários e controle de acesso, a nuvem é o ambiente mais seguro para as aplicações de organizações de qualquer setor e tamanho. As empresas podem usar a tecnologia de nuvem para coletar e armazenar grandes quantidades de dados com segurança e torná-los acessíveis a qualquer momento.
• Muitos dos desafios para grandes organizações migrarem para a nuvem não são técnicos, mas sim relacionados à cultura e à equipe. Se olharmos as maiores diferenças entre as organizações que falam sobre a mudança para a nuvem e aquelas que realmente o fazem e têm sucesso, geralmente se resumem a alguns pontos:
Equipe de liderança sênior alinhada e verdadeiramente comprometida com a mudança para a nuvem. É preciso definir uma direção e expectativas claras com o restante da organização para colocar todos na mesma página e trabalhar em prol de um mesmo objetivo. É comum que mudanças sejam bloqueadas se a equipe de liderança não estiver priorizando a estratégia e construindo uma cultura de transformação.
Organizações mais bem-sucedidas na migração para a nuvem começaram com uma meta agressiva (top-down), que impulsionou a companhia a se transformar de maneira muito mais ágil do que teria feito organicamente.
É muito importante que as organizações sejam treinadas na nuvem e se sintam confortáveis com os conceitos como parte de todo o processo. A AWS treina centenas de milhares de pessoas por ano para esse fim.
Também é necessário ter uma análise de portfólio para avaliar cada aplicativo e construir um plano selecionando o que mover no curto, médio e longo prazo. Isso ajuda as organizações a obterem os benefícios da nuvem para suas aplicações com muito mais rapidez, entendo as etapas da jornada de migração.

 

Principais produtos e serviços da AWS

• Amazon EC2 - serviço Web que disponibiliza capacidade computacional segura e redimensionável na nuvem.
• Amazon S3 - serviço de armazenamento de objetos que oferece escalabilidade, disponibilidade de dados, segurança e performance líderes do setor.
• Amazon API Gateway - serviço gerenciado que permite que desenvolvedores criem, publiquem, mantenham, monitorem e protejam APIs em qualquer escala com facilidade.
• Amazon ElastiCache - possibilita configurar, executar e escalar sem problemas conhecidos repositórios de dados na memória compatíveis com código aberto na nuvem.
• Amazon EKS - serviço Kubernetes totalmente gerenciado.
• Amazon RDS - facilita a configuração, a operação e a escalabilidade de bancos de dados relacionais na nuvem.
• Amazon ELB - O Elastic Load Balancing distribui automaticamente o tráfego de entrada de aplicações entre diversos destinos, como instâncias do Amazon EC2, contêineres, endereços IP, funções do Lambda e dispositivos virtuais.
• Amazon Lambda - serviço de computação sem servidor que permite executar código sem provisionar ou gerenciar servidores, criando lógica de dimensionamento de cluster com reconhecimento de workloads, mantendo integrações de eventos ou gerenciando tempos de execução.
• Amazon Kinesis - facilita a coleta, o processamento e a análise de dados de streaming em tempo real, permitindo que você obtenha insights oportunos e reaja rapidamente às novas informações.
• Amazon Cloudfront - serviço rápido de rede de entrega de conteúdo (CDN) que entrega dados, vídeos, aplicações e APIs a clientes em todo o mundo com segurança, baixa latência e altas velocidades de transferência em um ambiente de uso facilitado para desenvolvedores.
• DynamoDB - banco de dados de valores-chave e documentos que oferece desempenho em milissegundos de um dígito em qualquer escala.
• Amazon SQS - serviço de filas de mensagens gerenciado que permite o desacoplamento e a escalabilidade de microsserviços, sistemas distribuídos e aplicativos sem servidor.
• Amazon SNS - serviço de mensagens totalmente gerenciado para a comunicação de aplicação para aplicação (A2A) e de aplicação para pessoa (A2P).
• Amazon CloudWatch - serviço de monitoramento e observação criado para engenheiros de DevOps, desenvolvedores, Site Reliability Engineers (SREs – Engenheiros de confiabilidade de sites) e gerentes de TI.
• Amazon Aurora - banco de dados relacional compatível com MySQL e PostgreSQL criado para a nuvem e que combina a performance e a disponibilidade de bancos de dados empresariais tradicionais com a simplicidade e a economia de bancos de dados de código aberto.
• Amazon SageMaker - ajuda cientistas e desenvolvedores de dados a preparar, criar, treinar e implantar modelos de machine learning (ML) de alta qualidade rapidamente, reunindo um amplo conjunto de recursos criados especificamente para ML.
• AWS Cloud Formation - oferece uma forma fácil de modelar uma coleção de recursos relacionados da AWS e de terceiros, provisioná-la com rapidez e consistência e gerenciar todo o seu ciclo de vida mediante o tratamento da infraestrutura como código.
• Amazon EMR - plataforma de big data em nuvem líder do setor para processar grandes quantidades de dados usando ferramentas de código aberto, como Apache Spark, Apache Hive, Apache HBase, Apache Flink, Apache Hudi e Presto.
• Amazon Connect - disponível na América Latina a partir de março de 2021, é uma central de contatos na nuvem fácil de usar para todos os tipos de canais, que ajuda você a fornecer um atendimento superior ao cliente a um custo bem menor.

 

Programas da AWS

• AWS Educate: programa global que oferece ativos para alunos e professores para acelerar o aprendizado em nuvem. O AWS Educate é usado em mais de 200 países e territórios. Conecta 2.400 instituições, mais de 10.000 educadores e milhares de estudantes.
No Brasil, há milhares de membros da AWS Educate e centenas de instituições participantes. Algumas das instituições que aderiram à AWS Educate recentemente incluem Universidade Federal de Santa Maria, Escola Sesc de Ensino Médio, Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial, CEITEC, Universidade Federal de São Paulo, Universidade Federal da Bahia, Centro Universitário Uni Dom Bosco.
• AWS Academy: oferece às instituições de ensino superior um currículo gratuito e pronto para ensinar computação em nuvem e preparar os alunos para certificações reconhecidas pelo setor e empregos relacionados com a nuvem, em uma das indústrias que mais crescem.
Instituições da AWS Academy no Brasil: Instituto Mauá de Tecnologia, Kroton, Instituto de Matemática e Estatística da USP, Universidade de Fortaleza (UNIFOR), Universidade Presbiteriana Mackenzie, Faculdade de Tecnologia SENAI (Porto Alegre, Rio de Janeiro, Florianópolis, Londrina), Centro Universitário Senac SP.
• AWS EdStart: aceleradora de startups de tecnologia educacional AWS (EdTech) foi projetada para ajudar os empreendedores a construir a próxima geração de soluções de aprendizado on-line, análise e gerenciamento de campus na Nuvem AWS. Ele foi projetado para permitir que as startups da EdTech se movam mais rapidamente através de benefícios como suporte financeiro sem equidade por meio do Crédito Promocional da AWS, treinamento técnico e suporte, acesso a uma comunidade global de especialistas em EdTech e muito mais.
Membros da AWS EdStart no Brasil: Eskolare, Schoolastic, Studos, Domlexia, Letrus, EducaPX.
• AWS Activate: oferece às startups uma série de benefícios, incluindo créditos AWS, créditos do plano de suporte da AWS e treinamento para ajudar a crescer os negócios. Os benefícios de ativação são projetados para oferecer ferramentas e suporte especializado para que a companhia tenha sucesso com a AWS enquanto otimiza o desempenho, gerencia o risco e mantém os custos sob controle.
Slack, Airbnb, Nubank e Zoop são algumas das startups que usaram o AWS Activate.
• AWS Cloud Credit for Research: programa para apoiar pesquisadores que desejam criar soluções baseadas em nuvem, a fim de facilitar a pesquisa e seu trabalho com as comunidades.
• AWS DigiGov: projetado para que funcionários do governo aprendam sobre conceitos de computação em nuvem e sua proposta de valor, revisem casos de uso e entendam os diferentes serviços disponíveis na Nuvem AWS. A AWS desenvolveu o curso especificamente para colaboradores do setor público responsáveis pela tomada e implementação de decisões comerciais e técnicas relacionadas à TI.
Depois de pilotar a AWS DigiGov no Canadá em 2018 e escalar para três instituições em inglês e francês no Canadá em 2019, a AWS lançou o DigiGov na Colômbia em espanhol e no Brasil em português em 2019. A AWS também iniciou a implantação de versão virtual com duas instituições na Colômbia em maio de 2020 e no Brasil com o Instituto Brasileiro de Governança Pública (IBGP) em maio e julho de 2020. Até o momento, a AWS DigiGov alcançou mais de 300 funcionários do governo e do setor público, representando mais de 100 diferentes contas .

 

Rede Parceiros da AWS - APN 

• A Rede de parceiros da AWS (APN) é a comunidade global de parceiros que utilizam a Amazon Web Services para criar soluções e serviços para clientes. A AWS ajuda os parceiros a criar, promover e vender ofertas da AWS fornecendo valioso suporte empresarial, técnico e de marketing.
• Há milhares de parceiros da AWS em todo o mundo. Mais de 90% das empresas Fortune 100 e a maioria das empresas Fortune 500 utilizam soluções e serviços de parceiros da AWS. Os parceiros da AWS estão estrategicamente posicionados para ajudar as empresas a se beneficiar integralmente de tudo o que a AWS tem a oferecer e para acelerar a jornada para a nuvem.


 

AWS Training e Certificação

Os programas de Training and Certification da AWS ajudam as companhias a criar e validar habilidades para um melhor aproveitamento das mesmas. O conteúdo dos programas é criado por especialistas na AWS e atualizados regularmente, para que as habilidades com a nuvem estejam sempre em dia.

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais