Politica

Candidato apoiado por Ciro vence adversária apoiada por Lula em Missão Velha

| Eleições Suplementares | Eleito pelo PDT, Dr. Lorim evitou antecipar voto para presidente em 2022, mas alfinetou adversários em Brejo Santo
Edição Impressa
Tipo Notícia Por
DR. LORIM (de branco, ao centro) venceu com 52,84% dos votos em Missão Velha (Foto: FABIO LIMA)
Foto: FABIO LIMA DR. LORIM (de branco, ao centro) venceu com 52,84% dos votos em Missão Velha

Candidato apoiado por Ciro Gomes (PDT), o médico Dr. Lorim (PDT) foi eleito ontem prefeito de Missão Velha, no Cariri, com 52,84% dos votos. Candidata que recebeu apoio do ex-presidente Lula (PT), Fitinha teve 47,16% dos votos.

Eleito em disputa acirrada que contou com participação de líderes regionais e nacionais e expressivo reforço policial, Lorim era até ano passado vice-prefeito do município, na chapa com Diego Feitosa (MDB), e é sobrinho do ex-prefeito por três mandatos Manoel Dantas. A eleição contou com articulação ativa do líder maior do PSD no Ceará, Domingos Filho, e teve até vídeo de apoio divulgado por Ciro.

Do outro lado, apoiavam a candidata do PT o grupo do deputado Guilherme Landim (PDT), liderança política da região de Brejo Santo, e os deputados petistas José Guimarães e Fernando Santana. Durante a campanha, ela também chegou a receber apoio em vídeo do ex-presidente Lula, que pediu votos para a candidata.

Em discurso após a confirmação do resultado, Lorim disse que não fará política "fechando portas" e que pretende buscar diálogo com partidos da base do governo Camilo Santana (PT). Na noite de ontem, ele chegou a conversar com o senador Cid Gomes (PDT) sobre o resultado do pleito. Ele destacou parceria com os deputados Domingos Neto (PSD), André Figueiredo (PDT) e Osmar Baquit (PDT), mas evitou antecipar posicionamento sobre a eleição presidencial de 2022.

Missão Velha, Ce, BR 01.08.21-  Na foto: Dr. Lorim, prefeito eleito do Município de Missão Velha (Fotos Fabio Lima/O POVO)(Foto: FABIO LIMA)
Foto: FABIO LIMA Missão Velha, Ce, BR 01.08.21- Na foto: Dr. Lorim, prefeito eleito do Município de Missão Velha (Fotos Fabio Lima/O POVO)

"Várias pessoas que me apoiaram votam no Lula, inclusive (...) mas agora estamos saindo de um momento político de Missão Velha, é ao povo daqui que eu quero agradecer". Na fala, no entanto, ele aproveitou para "alfinetar" adversários de Brejo Santo, destacando que pretende priorizar a transferência de pacientes da rede de saúde do município para a região de Juazeiro do Norte, Crato e Barbalha.

"Nos últimos anos, o grupo que governava priorizou a transferência para Brejo Santo, o que não foi bom para Missão Velha. A passagem é mais cara, o custo é maior, e a qualidade do atendimento menor (...) foi uma decisão pensada no que era bom para o grupo político".

Dr. Lorim era o candidato de oposição ao prefeito que foi eleito no ano passado, Dr. Washington (MDB). Antes mesmo da posse, o emedebista teve registro de candidatura indeferido pela Justiça Eleitoral, em processo que terminou com a realização da eleição suplementar de ontem.

Com forte clima de acirramento, a disputa contou com expressivo reforço policial. Segundo o chefe de cartório de Missão Velha, Wellington Nogueira, o município costuma receber até 20 policiais para a realização de eleições. No pleito de ontem, foram 140 - entre 120 policiais militares, dez policiais civis e dez agentes da Polícia Federal.

Missão Velha, Ce, BR 01.08.21- Eleição para prefeitura de Missão Velha (Fotos Fabio Lima/O POVO)(Foto: FABIO LIMA)
Foto: FABIO LIMA Missão Velha, Ce, BR 01.08.21- Eleição para prefeitura de Missão Velha (Fotos Fabio Lima/O POVO)

Coordenador da eleição, o juiz eleitoral Djalma Sobreira Dantas destacou que, apesar do clima acirrado, os agentes consideraram a disputa "ocorrência zero". "Tivemos só algumas ocorrências naturais do pleito municipal, alguma propaganda, algo do tipo, mas nada considerado irregularidade a ponto de instaurar uma representação, uma investigação criminal", disse.

O presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE), desembargador Inácio de Alencar Cortez Neto, também classificou o pleito como tranquilo, destacando que a operação de segurança vem sendo planejada há várias semanas pela Corte. Apesar da ausência de registros oficiais, advogados das duas coligações da disputa apontaram grande número de denúncias de compras de voto e boca de urna. (Carlos Mazza/enviado a Missão Velha)

 

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais