Foto de Carlos Mazza
clique para exibir bio do colunista

Colunista de política, o jornalista Carlos Mazza coordena o O POVO Dados, núcleo que trabalha com reportagens a partir de bancos de dados. Já foi repórter de Política e repórter especial do O POVO.

Carlos Mazza política

Pesquisa é mais má notícia para Luizianne do que boas novas para Wagner e Sarto

Nova rodada estabiliza cenário de segundo turno entre Capitão Wagner (Pros) e José Sarto (PDT) na disputa pela Prefeitura de Fortaleza
Pesquisa Datafolha para a Prefeitura de Fortaleza (Foto: O POVO)
Foto: O POVO Pesquisa Datafolha para a Prefeitura de Fortaleza

Nova rodada da pesquisa O POVO/Datafolha, divulgada nesta quarta-feira, 11, traz como detalhe mais marcante a estabilização do cenário de segundo turno entre Capitão Wagner (Pros) e José Sarto (PDT) na disputa pela Prefeitura de Fortaleza.

Além de os dois candidatos à frente terem oscilado positivamente um ponto para cima, com Wagner atingindo 30% das intenções de voto e Sarto 27%, Luizianne também teve oscilação negativa de 3%, atingindo a marca dos 15%. Wagner e Sarto estão, portanto, tecnicamente empatados na liderança.

LEIA TAMBÉM |

Pesquisa Datafolha Fortaleza: Capitão Wagner 30%, Sarto 27%, Luizianne 15%

O novo voto começa a ser decidido pela rejeição

Wagner parou de cair e Sarto, de crescer

Campanha se estabiliza e isso é boa notícia para Wagner e má para Sarto

 

Em 17 de outubro, quando foi realizado o primeiro levantamento do Datafolha em Fortaleza, a candidata do PT tinha índice de 24%, quase dez pontos a mais. De lá para cá, a petista só registrou quedas ou oscilações negativas na preferência do eleitorado.

No final das contas, rodada desta quarta-feira acaba sendo mais uma notícia negativa para Luizianne do que boas novas para Wagner ou Sarto, ambos estacionados no mesmo patamar de 5 de novembro. Caso a petista não consiga mudar o ritmo da campanha, a tendência de segundo turno entre Pros e PDT fica cada dia mais consolidada.

A impressão que fica é que, a preço de hoje, tem dado certo estratégia agressiva que a campanha de Sarto adotou contra Luizianne, apostando na comparação crítica das gestões da petista contra o atual governo Roberto Cláudio (PDT). O que falta saber é quanto isso deve impactar o eleitorado da candidata caso ela fique de fora do segundo turno.

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais