Reportagem Seriada

Eleições municipais: o cenário da disputa pelo voto ao redor de Fortaleza

| ELEIÇÕES NA REGIÃO METROPOLITANA | Partidos traçam estratégias levando em consideração o peso dos municípios e as reais condições de conquistá-los. As alianças nas cidades também são importantes para a disputa na Capital. Se cada município tem sua realidade e os debates são particularizados, os lugares se interligam no aspecto político. Isto é, o apoio em um território, muitas vezes, significa a contrapartida em outro município
Episódio 16

Eleições municipais: o cenário da disputa pelo voto ao redor de Fortaleza

| ELEIÇÕES NA REGIÃO METROPOLITANA | Partidos traçam estratégias levando em consideração o peso dos municípios e as reais condições de conquistá-los. As alianças nas cidades também são importantes para a disputa na Capital. Se cada município tem sua realidade e os debates são particularizados, os lugares se interligam no aspecto político. Isto é, o apoio em um território, muitas vezes, significa a contrapartida em outro município Episódio 16
Tipo Notícia Por

O clima de eleição percebido nos comportamentos dos atores políticos não se restringe exclusivamente à Capital. A rotina de articulações vai se impondo também nos municípios localizados no entorno de Fortaleza, na Região Metropolitana. Por mais que o alastramento da pandemia do novo coronavírus tenha tomado o centro dos debates e ações, inclusive com repercussão na data dos pleitos municipais, adiados para novembro, a agenda política tem sido tocada paralelamente.

Leia mais | O que muda com o adiamento das eleições para novembro

Especificidades de cada local à parte, é o que ocorre em Caucaia, Maracanaú, Aquiraz e Eusébio. Do ponto de vista econômico, são municípios que figuram na lista dos dez maiores PIBs do Ceará.
Maracanaú tem um parque industrial. Caucaia, a força do turismo, com as praias de Cumbuco e Icaraí que aquecem a economia da região. Ambas têm, respectivamente, os maiores PIBs do Estado, excluindo Fortaleza da conta. Vitórias em municípios desse porte, portanto, são significativas e estratégicas no jogo pelo poder.

No aspecto político, são cidades com semelhanças e diferenças. Em algumas delas, por exemplo, o governador Camilo Santana (PT), do alto de um capital político adquirido após reeleição com 80% dos votos, não deverá estar em palanques.

A extensa base aliada com a qual governa o Estado acomoda adversários históricos pelos municípios. Diante de disputas que o envolvem, sejam locais ou nacionais, o petista já demonstrou mais de uma vez que a alternativa é a neutralidade.

Tendência é que Camilo adote inicialmente neutralidade na disputa pela Prefeitura de Maracanaú(Foto: FCO Fontenele)
Foto: FCO Fontenele Tendência é que Camilo adote inicialmente neutralidade na disputa pela Prefeitura de Maracanaú

É o que se desenha na disputa em Caucaia, por exemplo, já que Elmano de Freitas (PT) e Naumi Amorim (PSD), atual prefeito, são aliados do governador. Caucaia é o maior município sob administração do PSD. Amorim, inclusive, é correligionário de Domingos Filho, ex-vice-governador no segundo mandato de Cid Gomes (2011-2014) que, por sua vez, comanda o grupo ao qual Camilo pertence.

Maracanaú era território em que a previsão era de calma para o petista, já que poderia se posicionar abertamente em favor do aliado Júlio César Filho (Cidadania), líder dele na Assembleia Legislativa do Ceará, contra os adversários históricos liderados por Roberto Pessoa (PSDB), licenciado da Câmara dos Deputados para conduzir as articulações em torno do próprio nome. Em tese, isso não deverá mais acontecer porque o PT entrará na disputa na cidade após 20 anos ausente.

Júlio César Filho tentará usar bagagem de líder do governo na Assembleia para se cacifar como candidato a prefeito(Foto: Deísa Garcêz/especial para O POVO)
Foto: Deísa Garcêz/especial para O POVO Júlio César Filho tentará usar bagagem de líder do governo na Assembleia para se cacifar como candidato a prefeito

Há uma peculiaridade em Maracanaú. Embora PT e PSDB não tenham se bicado por décadas na maioria das regiões do País, a legenda de esquerda participa da gestão do tucano Firmo Camurça, inclusive com a titularidade da Secretaria da Juventude no município. É dessa pasta que sai Daniel Baima, que também é ex-vereador, como pré-candidato pelo partido de Camilo.

"De fato, o quadro mudou com a postulação do ex-secretário Daniel que é do PT. (...) Entretanto, como líder do governador Camilo Santana na Assembleia Legislativa, construí com o governador uma relação de confiança e respeito. Tenho, inclusive, um diálogo constante com o governador", argumentou Júlio César Filho em nota enviada ao O POVO sobre o provável impasse político. Ele se licenciou do mandato para centrar atenção no tema eleição, do qual se ocupará até o dia 15 de novembro, data do pleito.

Segundo disse, essa relação "solidificou uma grande identificação com o projeto político de desenvolvimento que vem sendo implantado no Ceará", plataforma que afirmar querer replicar em Maracanaú. "Continuo trabalhando para união de forças em prol da renovação em Maracanaú."

Ex-secretário da Juventude em Maracanaú, Daniel Baima será a aposta do PT para desbancar os dois grupos hegemônicos no município(Foto: Reprodução/Instagram)
Foto: Reprodução/Instagram Ex-secretário da Juventude em Maracanaú, Daniel Baima será a aposta do PT para desbancar os dois grupos hegemônicos no município

Mesmo tendo ajudado Camurça a governar o município, Baima afirma que fará oposição ao grupo do gestor, que será representado por Pessoa. E, além disso, diz que o PT tem de apresentar projeto alternativo aos dois principais grupos que rivalizam o poder há anos: o de Pessoa e o de Júlio César.

"O próprio prefeito reconhece o que fizemos à frente da Secretaria da Juventude e Lazer de Maracanaú", diz. E completa: "O prefeito terá o candidato dele, obviamente que estaremos do outro lado, disputando a confiança dos eleitores."

O tom de Baima é positivo sobre a possibilidade de ter o apoio de Camilo Santana, embora o aliado do governador César Filho esteja no páreo. "Aqui em Maracanaú ele sabe o papel que tivemos em sua campanha. Creio que terei o apoio dele, não só na campanha, mas como prefeito, se assim os eleitores quiserem", aposta Baima.

Prefeito do município por dois mandatos (2005-2012), Pessoa transferiu a cadeira para o então vice, Firmo Camurça (PSDB), o atual gestor e aliado. A vontade do tucano era fazer a filha Fernanda Pessoa prefeita, mas, segundo ele, não é momento para arriscar. Assim, tudo corre para que seja mesmo ele a enfrentar César Filho e Baima na disputa, num percurso que "só Deus e as convenções" partidárias podem impedir, nas palavras já ditas por ele ao O POVO.

Roberto Pessoa foi prefeito de Maracanaú por oito anos e agora tenta voltar no lugar do aliado Firmo Camurça, que ficou o mesmo período no cargo(Foto: Julio Caesar/O POVO)
Foto: Julio Caesar/O POVO Roberto Pessoa foi prefeito de Maracanaú por oito anos e agora tenta voltar no lugar do aliado Firmo Camurça, que ficou o mesmo período no cargo

Pai de César Filho e ex-prefeito do município, o vereador Júlio César opina que a população maracanauense está cansada dos 16 anos do grupo rival no poder e o desgaste é inevitável. "A saúde está ruim. A prefeitura ano passado fechou a emergência que funcionava há dezenas de anos. Tínhamos recursos na prefeitura para construção de uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento) no Acaracuzinho", ele lista.

"As pessoas esperam a sua volta pelo que fez como prefeito e faz como deputado federal", diverge Fernanda Pessoa sobre o pai, Roberto.

O jogo em Caucaia

O prefeito de Caucaia, Naumi Amorim (PSD), sabe que a eleição que o espera será difícil, diagnóstico apresentado por ele com naturalidade.

"Acho que não tem eleição fácil em lugar nenhum"

Naumi Amorim

 

Ele terá de enfrentar um arsenal de críticas à gestão vindas da oposição, que ensaia várias candidaturas. Demonstram interesse de entrar no páreo os deputados estaduais Vitor Valim (Pros), Elmano de Freitas (PT), as vereadoras Emília Pessoa (PSDB) e Natércia Campos (PMB), além do cientista político e professor Rodrigo Santaella (Psol).

Vitor Valim tentará em Caucaia alianças semelhantes às de Capitão Wagner em Fortaleza(Foto: Assembleia Legislativa)
Foto: Assembleia Legislativa Vitor Valim tentará em Caucaia alianças semelhantes às de Capitão Wagner em Fortaleza

Ex-vereador no município, Deuzinho Filho (Republicanos) deu a entender que seria candidato, mas sinaliza para composição com Valim. Antes de ingressar nas fileiras do Republicanos, passou por Pros, PSC e MDB. Aliança que Capitão Wagner formou para si na Capital tende a ser replicada na cidade vizinha, pelo menos em parte. PSC e Republicanos já estão no arco de Valim. “Tenho muito interesse que ele (Deuzinho) esteja junto comigo, se Deus quiser vai estar, contra o atual prefeito”, incentiva o deputado estadual.

Afora Fortaleza, Caucaia é o único lugar com possibilidade legal de segundo turno, o que favorece o lançamento de várias candidaturas e, só posteriormente, no segundo turno, uma união. "Caso essa união (da oposição) não seja possível", afirma Valim, "no segundo turno tenho certeza que todos nós iremos apoiar projeto que chegue lá diferente da gestão atual, que infelizmente tem maltratado e muito os munícipes de Caucaia."

Naumi Amorim, ao lado da primeira-dama e hoje deputada estadual Érika Amorim, no dia em que ele venceu a eleição para Prefeitura de Caucaia em 2016(Foto: Marcos Campos/especial para O POVO)
Foto: Marcos Campos/especial para O POVO Naumi Amorim, ao lado da primeira-dama e hoje deputada estadual Érika Amorim, no dia em que ele venceu a eleição para Prefeitura de Caucaia em 2016

A eventual neutralidade de Camilo Santana no município, ele projeta, tornará o processo "mais isonômico". "Vamos esperar o andar da carruagem para ver como isso vai se proceder mesmo."

Se Camilo deverá estar distante, Naumi espera ver em Cid Gomes (PDT) uma liderança participante na caminhada rumo à reeleição. O senador pedetista é líder do grupo que governa o Ceará e Fortaleza. É do jeito de Cid e Ciro, conforme o mais novo afirma recorrentemente, governar o máximo de municípios via alianças.

Elmano foi aprovado como candidato à prefeitura de Caucaia(Foto: Júnior Pio/AL-CE)
Foto: Júnior Pio/AL-CE Elmano foi aprovado como candidato à prefeitura de Caucaia

 

Na prática, a coalizão resulta em troca de apoios nos municípios. O PSD, por exemplo, apoiará a candidatura do PDT em Fortaleza, com a promessa da contrapartida. A sustentação dada pelo ex-governador é um dos trunfos que o atual prefeito de Caucaia cita em seu favor.

Sobre Camilo, o tom é outro. "Às vezes eu converso com alguém e a pessoa fala que vai apoiar o Elmano", ele diz, incerto. O gestor destaca que conversará com o petista para obter uma definição sobre o tema.

 

De Eusébio, grupo da família Gonçalves
quer avançar para municípios vizinhos

Ex-presidente da Câmara Municipal de Fortaleza (CMFor), ex-secretário de Saúde do Ceará e ex-deputado estadual, Acilon Gonçalves (PL) pretende que 2020 materialize a expansão de poder do grupo político da família dele. Além de tentar no Eusébio o quarto mandato de prefeito contra o vereador Chico do Posto (Pros), este apoiado por Capitão Wagner (Pros), o atual gestor quer alçar aliados aos Executivos municipais vizinhos.

O deputado estadual Bruno Gonçalves (PL), filho de Acilon, vai concorrer à Prefeitura em Aquiraz e já transferiu domicílio eleitoral para a cidade vizinha, onde terá como adversário Edson Sá (MDB), atual prefeito da cidade.

Bruno Gonçalves, deputado estadual, Acilon Gonçalves, prefeito do Eusébio, ao lado da primeira-dama Marta Gonçalves. Família quer ampliar área de atuação política(Foto: JOÃO FILHO TAVARES)
Foto: JOÃO FILHO TAVARES Bruno Gonçalves, deputado estadual, Acilon Gonçalves, prefeito do Eusébio, ao lado da primeira-dama Marta Gonçalves. Família quer ampliar área de atuação política

Outro nome ligado a Acilon, o vice-prefeito de Eusébio Paulo César Feitosa (PL) mudou o título para Itaitinga. Vai concorrer ao Executivo municipal contra o atual gestor, Abel Celercino Rangel (MDB).

Nos bastidores, fala-se que as aspirações de Acilon são de disputar o Palácio da Abolição ou o Senado Federal em 2022, razão que justificaria a busca pelo assentamento de bases no território do Estado já visando a eleição seguinte. Questionado, ele se esquiva dessas questões.

imagem

"Meu objetivo é poder consolidar no Eusébio e nas cidades metropolitanas e litorâneas este modelo implantado no Eusébio desde 2005 e que tanto tem melhorado as vidas das pessoas e que outros possam ajudar as demais cidades cearenses a também contribuir para esta melhoria", diz. E emenda:

"Não sou candidato em 2022”

Acilon Gonçalves

 

Em live transmitida em 25 de março nas redes sociais, Chico do Posto alternou o tom sobre o projeto dos Gonçalves entre desdenhar e esbravejar.

"O vice-prefeito mudou seu domicílio eleitoral para Itaitinga e o povo do Eusébio pagando para esse sacana fazer politicagem imunda lá em Itaitinga"

Chico do Posto

 

Ao O POVO sobre a disputa contra Acilon, do Posto afirma que a pandemia do novo coronavírus desvelou "muitas máscaras" de prefeitos "enganadores" e o "povo pode perceber que em muitos casos a saúde de seus municípios estava à míngua." Sobre o adversário, o pré-candidato afirmou que "nenhuma hegemonia é benéfica", adicionando que, com o capital político de Wagner, um "grande líder", traçará "um bom caminho para Eusébio".

Aliado de Capitão Wagner e com discurso eloquente, Chico do Posto vai tentar a Prefeitura do Eusébio, onde ocupa atualmente cargo de vereador(Foto: Reprodução Facbook)
Foto: Reprodução Facbook Aliado de Capitão Wagner e com discurso eloquente, Chico do Posto vai tentar a Prefeitura do Eusébio, onde ocupa atualmente cargo de vereador

No contexto de Aquiraz, o discurso adotado por Bruno Gonçalves dá fortes indícios da postura que ele deve tomar durante a campanha eleitoral. Ancorado no pai, premiado segundo melhor prefeito de todo o Ceará, atrás apenas de Roberto Cláudio (PDT), ele diz que propagará no município vizinho os feitos de Acilon, em contraposição a Edson Sá, a quem atribui administração malsucedida.

"Transferi meu título para o município de Aquiraz, primeiramente, porque existiu um chamado da população de Aquiraz, um clamor para que uma pessoa que comungue com as mesmas ideias de cuidar das pessoas, que foi implantada pelo Acilon no Eusébio seja implantada também no município de Aquiraz", ele diz, e se promove:

"Pode ter certeza que quem mais representa as ideias do Acilon, de cuidar das pessoas, é o filho do Acilon"

Bruno Gonçalves

 

O parlamentar aponta também que os cidadãos de Aquiraz procuram Eusébio porque, segundo diz, o primeiro não oferece os serviços básicos disponíveis no segundo.

Ainda de acordo com as impressões do parlamentar, os aproximados nove quilômetros de distância entre as duas cidades farão com que uma disputa influencie outra. "Afinal, mais da metade da população do Aquiraz trabalha no Eusébio, se diverte no Eusébio, usa o sistema de saúde do Eusébio."

Prefeito de Aquiraz Edson Sá não respondeu aos contatos da reportagem(Foto: Reprodução/Facebook Prefeitura de Aquiraz)
Foto: Reprodução/Facebook Prefeitura de Aquiraz Prefeito de Aquiraz Edson Sá não respondeu aos contatos da reportagem

O POVO tentou contato por telefone com Edson Sá, mas as ligações não foram completadas. Mensagem ao e-mail da Assessoria de Comunicação da Prefeitura foi enviado na última quinta-feira, 2, com questionamentos ao administrador sobre a eleição e a avaliação que faz da própria gestão. Ele não respondeu até o fechamento desta reportagem.

Pacatuba no radar do acirramento

Os últimos meses foram de agitada vida partidária para o prefeito de Pacatuba, Carlomano Marques. Desgostoso com a antiga casa, o MDB de Eunício Oliveira, saiu da legenda com artilharia apontada para que, àquele setembro de 2019, estava na conta de ex-amigo.

GILBERTO Kassab e Domingos Filho comandaram a festa de filiações ao PSD em Pacatuba(Foto: DIVULGAÇÃO/PSD)
Foto: DIVULGAÇÃO/PSD GILBERTO Kassab e Domingos Filho comandaram a festa de filiações ao PSD em Pacatuba

No evento que simbolizou o ingresso dele ao PSD, com a presença do ex-ministro Gilberto Kassab, afirmou até mesmo que o ex-presidente do Congresso Nacional "nunca deu um telefonema. Nem no aniversário, p… nenhuma. É como se eu não existisse."

Naquele momento o PSD avançava sobre prefeitos do Interior, até mesmo os da base do governador Camilo, o que gerou debates abertos na Assembleia Legislativa do Ceará (AL-CE). Mas Carlomano voltou ao MDB após esforço de Moses Rodrigues e Leonardo Araújo (este adversário da família de Domingos Filho), deputados federal e estadual, respectivamente. 

 

É assim, no novo antigo partido, e agora alvo da chateação de Domingos Filho, dirigente do PSD no Ceará, que Carlomano tentará novo mandato à frente do município serrano.

O PSD, inclusive, tentará agora impor dissabor ao ex-deputado estadual acompanhado do Pros, numa chapa com a ex-vereadora e ex-primeira-dama da Selma Cardoso (PSD) e comerciante e empresário Jefferson Novais (Pros). Detalhe: Selma é ex-esposa de Carlomano.

A dupla teria condições de propiciar cena curiosa: unir Domingos Filho (PSD) e Capitão Wagner (Pros) em um mesmo palanque, um aliado e um opositor do ferreiragomismo.

A oposição ao mandatário será encampada ainda pelo PDT, com Renato Célio Rodrigues, filho do ex-prefeito do município Célio Rodrigues. Ele só não disputou votos com Carlomano em 2016 por estar inelegível, após irregularidades detectadas nas contas dele pelo Tribunal de Contas do Ceará (TCE).

Ele é parte dos planos pedetistas de totalizar a partir de 70 prefeituras em 2020 no Ceará. Atualmente, o partido tem 65 prefeituras, disse o presidente da legenda André Figueiredo.

Essa notícia foi relevante pra você?

Conteúdo exclusivo para assinantes

Conteúdo exclusivo

Saiba mais

Estamos disponibilizando gratuitamente um conteúdo de acesso exclusivo de assinantes. Para mais colunas, vídeos e reportagens especias como essas acesse sua conta ou assine O POVO +.

Logo O POVO Mais