Reportagem Seriada

Os cuidados do Time Brasil contra a Covid-19 na Olimpíada de Tóquio

90% (271) dos atletas olímpicos brasileiros receberam a primeira dose da vacina contra a Covid-19. Já um total de 75% (226) estão imunizados, com tratamento completo (em uma ou duas doses)
Episódio 8

Os cuidados do Time Brasil contra a Covid-19 na Olimpíada de Tóquio

90% (271) dos atletas olímpicos brasileiros receberam a primeira dose da vacina contra a Covid-19. Já um total de 75% (226) estão imunizados, com tratamento completo (em uma ou duas doses) Episódio 8
Tipo Notícia Por

 

 

Disputar os Jogos Olímpicos em pleno cenário pandêmico é um desafio a mais na briga pelo pódio. Cartilha a ser seguida, cuidados redobrados, fiscalização, protocolos de saúde e vacina entram no roteiro rumo à medalhas. São elementos do novo ambiente imposto aos atletas brasileiros, assim como os demais competidores, em Tóquio. No Time Brasil, 90% (271) da delegação recebeu a primeira dose contra a Covid-19, enquanto 75% (226) foram vacinados com a segunda (ou dose única).

Sem revelar nomes nem o número, o COB confirmou que houve atletas que se recusaram a tomar a vacina contra o novo coronavírus. A entidade brasileira seguiu o posicionamento do COI de não obrigatoriedade quanto à imunização, mas recomendou que todos aceitassem.

 

"Tivemos atletas que optaram por não se vacinar. Vamos preservar os nomes... Temos nossa convicção sobre a validade da vacina. Vamos cobrar de todos e mais desses atletas o respeito às normas de segurança" Jorge Bichara, diretor de Esportes do COB

 

A vacinação dos atletas olímpicos brasileiros ocorreu na maior parte no Brasil, mas houve casos de desportistas que fizeram a preparação em outros países e foram imunizados nos Estados Unidos, na Itália, Espanha e em Portugal.

"Tivemos atletas que optaram por não se vacinar. Vamos preservar os nomes porque é algo de ordem pessoal e nós respeitamos. Temos nossa convicção sobre a validade da vacina, entendemos como muito importante e significativa. Vamos cobrar de todos e mais desses atletas o respeito às normas de segurança", afirmou Jorge Bichara, diretor de Esportes do COB, em entrevista coletiva.

 

Marco La Porta, vice-presidente do COB e chefe da missão brasileira, reforça os protocolos rigorosos durante a execução das Olimpíadas para diminuir os riscos de contaminação. Além dos testes diários, os atletas serão monitorados 24 horas por dia. Um aplicativo disponibilizado pelo comitê organizador colherá dados com intuito de manter controle sanitário. A delegação do Time Brasil também recebeu cartilha de comportamento e os chefes de equipes terão poder de fiscalização.

"Veio a pandemia e começamos a tomar alguns cuidados. Tínhamos exatamente o desafio de ter atletas na melhor performance, mas protegendo a saúde deles, que é o bem mais precioso. Fomos buscar especialistas no mercado para montar o protocolo. A gente não vai conseguir de forma alguma zerar o risco, isso é utopia, mas temos que trabalhar sempre para que esse risco seja o menor possível", comentou o vice-presidente do COB.

Entre os equipamentos de proteção à delegação, o COB levou a Tóquio 6 mil testes de antígeno, 68 mil máscaras descartáveis, 2,4 mil máscaras n95 e 400 litros de álcool líquido.

Essa notícia foi relevante pra você?

Conteúdo exclusivo para assinantes

Conteúdo exclusivo

Saiba mais

Estamos disponibilizando gratuitamente um conteúdo de acesso exclusivo de assinantes. Para mais colunas, vídeos e reportagens especias como essas acesse sua conta ou assine O POVO +.

Logo O POVO Mais