Reportagem

Medo não muda rotina na Capital

Durante o dia de ontem, comércio e transporte funcionaram normalmente. Apesar de provocar apreensão, embate entre policiais militares e Governo do Estado não muda rotina na Capital
Edição Impressa
Tipo Notícia Por

O clima de disputa entre policiais militares e o Governo do Estado em razão da reestruturação dos salários da categoria tem causado apreensão nos fortalezenses. A situação, no entanto, não alterou a rotina na Capital. Durante o dia de ontem, comércio e transporte público funcionaram normalmente.

Apesar do receio de recolhimento de parte da frota de ônibus, as linhas funcionaram de maneira habitual. O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Ceará (Sindiônibus) informou que o fluxo de ônibus deve continuar dessa forma. "Não há nenhuma espécie de redução de serviço programada ou recolhimento de frota", informou o órgão por meio de nota. O POVO esteve no terminal do Antônio Bezerra e do Papicu e constatou que não houve mudança na oferta do transporte, tampouco alteração no fluxo de pessoas nos terminais.

"Não vi nenhum problema aqui no terminal. Tomara que continue assim. Se o negócio é difícil com a polícia, avalie sem", diz o vendedor ambulante Antônio Aragão, 55, que trabalha no terminal do Antônio Bezerra do meio-dia até o início da noite. A estudante Carla Silva, 34, passa todos os dias pelo terminal por volta das 17 horas. "Soube da greve por grupos de WhatsApp. Mas está normal por aqui, tudo tranquilo", relata.

O POVO constatou tráfego normal de ônibus em avenidas de grande circulação como Bezerra de Menezes, João Pessoa, Avenida da Universidade, Dom Manuel, Aguanambi e Domingos Olímpio.

No terminal do Papicu, a vendedora Ana Cláudia dos Santos, 43, observou fluxo normal desde o início das informações sobre a paralisação. A impressão foi a mesma de Otaciane Botelho, 38. "O pessoal estava comentando sobre a greve mas a movimentação de hoje está normal", conta a assistente de vendas.

As lojas do Centro seguiram funcionando durante a tarde de ontem. De acordo com o presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Ceará (FCDL), Francisco Freitas Cordeiro, não houve "nenhuma informação sobre lojas fechando." A promotora de vendas Raquel Alves, 30, soube da situação por meio de jornais. "Não vi diferença. De manhã, o fluxo foi até bom. Tinha muita gente porque o pessoal está se preparando para o Carnaval. Apesar da chuva, que atrapalha um pouco, o movimento foi normal. Mas o pessoal fica com medo mesmo", disse a vendedora Alexsandra Oliveira, 48. (Colaboraram Filipe Pereira e Rubens Rodrigues)

 

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais